Menu
Busca domingo, 20 de outubro de 2019
(67) 9860-3221
ECONOMIA

Dólar fecha em leve alta, com foco voltado para cena externa

16 setembro 2019 - 17h50Por G1

O dólar fechou em alta nesta segunda-feira (16), em meio à disparada nos preços internacionais do petróleo após ataques a instalações na Arábia Saudita, e também após a divulgação de dados chineses que fortaleceram temores sobre a desaceleração da economia do país.

A moeda norte-americana subiu 0,05%, a R$ 4,0892. No ano, o dólar acumula alta de 5,55%.

O dia foi de sobe e desce no mercado de câmbio. Na máxima da sessão até o momento, chegou a ser subir 0,46%, a R$ 4,106 e, na mínima, caiu 0,26%, a R$ 4,0763.

Tensão externa

No sábado (14), ataques provocaram incêndios na unidade saudita da Aramco em Abqaiq, a maior do mundo dedicada ao processamento de petróleo, e na instalação de Khurais, provocando a redução da produção da petroleira em cerca de 5,7 milhões de barris por dia, o que representa mais de 5% do suprimento global de petróleo.

As autoridades sauditas anunciaram que os ataques não provocaram vítimas, mas ainda não informaram quanto tempo será necessário para restabelecer plenamente a produção nas instalações. Analistas acreditam que seriam necessárias várias semanas ou meses para o país voltar à normalidade.

Em consequência do ataque, os preços do petróleo chegaram a subir quase 20% nesta segunda.

As tensões externas se intensificaram depois que o presidente norte-americano, Donald Trump, disse que os Estados Unidos estão preparados para uma possível resposta ao ataque, após uma autoridade do governo dos EUA apontar o Irã como responsável, o que o país nega.

Para Jefferson Laatus, sócio e fundador do Grupo Laatus, o mercado ainda está tentando entender o que aconteceu e, diante de toda cautela em torno da situação, é esperada volatilidade ao longo da sessão.

"Há um grande sentimento de incerteza atrelado à questão. Os investidores estão na dúvida se buscam por proteção ou não e isso é o que está direcionando o mercado hoje", disse à Reuters.

Decisões sobre juros

Os operadores do mercado também aguardam, para esta semana, a decisão do Banco Central dos Estados Unidos sobre a taxa de juros do país. O presidente Donald Trump vem pressionando as autoridades monetárias para reduzir a taxa, atualmente entre 2,5% e 2,25%.

Analistas do mercado avaliam que a alta do petróleo pode favorecer uma alta da inflação e impedir uma nova queda dessa taxa de juros.

Deixe seu Comentário

Leia Também

IMPASSE
Representantes da UFGD recorrem à bancada federal para nomeação de reitor
10 MESES
Bombeiros encontram mais um corpo da tragédia em Brumadinho
INVENTÁRIO
Juiz da Capital pode estar ligado a mais um esquema de corrupção
UEMS
Dourados sedia na próxima semana o IV Congresso de Línguas
INTERNACIONAL
Incerteza sobre 4º mandato de Evo marca eleição amanhã na Bolívia
Céuzinho
Jovem sobrevive após cair de altura de 20 metros em cachoeira
JUDICIÁRIO
Gilmar Mendes suspende lei municipal que barrava ensino de gênero
CAPITAL
Aquaplanagem pode ter causado acidente que matou violeiro, diz motorista
UEMS
Semana Técnica de Computação começa segunda-feira em Dourados
CRIMINOSOS
‘Escritório’ da falsificação: Preso tinha contratos com grupo de estelionatários

Mais Lidas

PONTA PORÃ
Empresário é executado por pistoleiros na fronteira
CAMPO GRANDE
Cantor Ivo de Souza morre em acidente no macro anel da BR-262
DOURADOS
Homem é assaltado por travesti após parar carro no Centro
DOURADOS
Mãe de criança morta após parto segue internada sob escolta