Menu
Busca quarta, 24 de julho de 2019
(67) 9860-3221
CORUMBÁ

Com carros na garagem e renda de R$ 4 mil, família recebia Bolsa Família

12 julho 2019 - 21h50Por Da redação

A CGU (Controladoria-Geral da União) divulgou na última semana relatório sobre pagamentos do benefício Bolsa Família entre 2017 e 2018 em Corumbá, cidade localizada na região de fronteira com a Bolívia. O benefício é destinado a famílias da extrema pobreza, mas a investigação apontou que famílias com renda de até R$ 4,2 mil e com dois carros na garagem eram contempladas pelo programa. Segundo o site Midiamax, a controladoria ainda investigou funcionários da prefeitura e do Governo do Estado que também recebiam o benefício.

De acordo com o relatório, foram identificadas quatro famílias com renda per capita superior à estabelecida pelo programa. A CGU também flagrou 16 famílias de beneficiários compostas por servidores da Prefeitura de Corumbá e Ladário e do Governo de Mato Grosso do Sul.

Entre os casos que chamam a atenção, está o de uma família com renda de R$ 4.283,74. No programa, a beneficiária havia declarado que a renda per capita da casa era de R$ 35, mas a investigação apontou que a renda por pessoa é de R$ 1.070,93. Além disso, o casal mora em uma casa incompatível com o perfil do público-alvo do Bolsa Família e ainda tinha dois carros, um avaliado em R$ 17 mil e outro no valor de R$ 61 mil.

Em um outro caro, o marido da beneficiária tinha duas motos e um carro avaliado em R$ 29 mil. Ele ainda era servidor da Prefeitura de Corumbá e tinha salário de R$ 3,1 mil. À CGU, a prefeitura defendeu que o Cadastro Único é auto declaratório, logo o beneficiário se responsabiliza pelas informações declaradas.

O Bolsa Família atende famílias que vivem em situação de extrema pobreza, com renda por pessoa de até R$ 89 e na pobreza, com renda por pessoa entre R$ 89 e R$ 178. Segundo a CGU, considerando que o público-alvo do programa é de famílias em situação de vulnerabilidade e com renda de no máximo R$ 178 por pessoa, ter um carro pode ser indicativo de fraude. “Considera-se que a propriedade de veículos acima de R$ 20 mil é um forte indicativo de que as famílias podem ter fornecido informações inverídicas de renda para ingressarem ou se manterem no Programa”, diz.

Deixe seu Comentário

Leia Também

UAU
Prima gata de Luísa Sonza chama atenção com fio-dental em praia
CAMPO GRANDE
Viúva de homem que morreu após explosão diz estar grávida e marido não sabia
CULTURA
20º Festival de Inverno de Bonito começa na proxima quinta-feira
PARANÁ
Ônibus escolar que saiu de MS é apreendido com uma tonelada de maconha
COSTA RICA
Família busca ajuda em quartel e bombeiro salva vida de criança sufocada
EDUCAÇÃO
UEMS abre inscrições para curso de Libras na unidade de Dourados
ECONOMIA
Guedes confirma liberação de R$ 42 bi de FGTS e PIS até o fim de 2020
IVINHEMA
Motociclista morre após ser atropelado por caminhão tipo baú
REVISÃO
Brasil revoga refúgio concedido a três paraguaios acusados de sequestro
EMPREGO
Itaú Unibanco e Itaú BBA abrem inscrições para programa de trainee

Mais Lidas

DOURADOS
Autor de sequestro e homicídio é encontrado morto na PED
POLÍCIA
Baleado no Flor de Liz afirma ter sido vítima de desacordo comercial
POLÍCIA
Mulher é presa por tráfico na Vila Cachoeirinha
ITAPORÃ
Carro com quase 1t de maconha colide contra cerca durante tentativa de fuga