Menu
Busca sexta, 19 de abril de 2019
(67) 9860-3221
JUSTIÇA

Banco deve indenizar cliente chamado de "idiota" durante cobrança

08 fevereiro 2019 - 19h35Por Da Redação

Os desembargadores da 3ª Câmara Cível do TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), por maioria, deram parcial provimento ao apelo de um banco contra a sentença em ação de reparação de danos que o condenou ao pagamento de indenização de R$ 10.000,00. Pediu a redução do valor da indenização a ser paga a um cliente que foi xingado durante uma ligação de cobrança referente a cartão de crédito.

Consta nos autos que o autor é titular de um cartão de crédito da rede bancária apelante e, no mês de outubro de 2014, não conseguiu realizar o pagamento da fatura na data de seu vencimento. No dia 22 de outubro, ele recebeu uma ligação de cobrança do pagamento da referida fatura, ocasião em que informou que pagaria nos próximos dias.

Ainda conforme o processo, durante a conversa, o atendente do banco passou a ofender o autor, chamando-o de “burro” e de “idiota”. Mesmo o consumidor agindo com educação, o atendente continuou a desrespeitá-lo: “Ah, vai a m…, seu imbecil, não quero mais saber”, encerrando a ligação.

A defesa do banco afirmou que as ligações de fato ocorreram, mas em nenhum momento houve as ofensas alegadas pelo cliente. Ao ser questionada sobre a gravação da ligação, o banco afirmou que a gravação estava corrompida.

Para o Des. Fernando Mauro Moreira Marinho, relator designado, a pretensão de indenização por dano moral é aceitável e, no caso em exame, ficou demonstrado que o autor recebeu a ligação de cobrança por parte do funcionário da empresa bancária.

“A forma de tratamento para com o consumidor, mesmo sendo uma ligação de cobrança por inadimplência, deve se pautar pelo respeito e não por xingamentos. E se verifica que era dever da empresa juntar o áudio de gravação da ligação para provar que não haviam ofensas durante o atendimento, via telefone, o que não fez”, apontou.

Em seu voto, o relator afirmou ainda que a falta de qualidade de determinado serviço deve ser punida para que tal atitude não continue a trazer prejuízos aos consumidores. O desembargador apontou ainda que a indenização se refere aos constrangimentos perpetuados com a má qualidade de atendimento call center, o que causa ao consumidor sentimentos de raiva, impotência, tristeza e indignação.

“A reparação do dano moral deve se pautar pelos princípios da proporcionalidade e da razoabilidade, e diante das condições pessoais do ofendido, o grau da conduta do ato ilícito e a extensão do dano causado, entendo que deve haver redução do valor arbitrado. Diante do exposto, dou parcial provimento ao recurso para reduzir a quantia indenizatória para R$ 5.000,00”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

RELATO
Atriz da Globo diz que foi chamada de gordofóbica por perder peso
DOURADOS
Inscrições para a Corrida do Trabalhador seguem abertas
RIO DE JANEIRO
Buscas por corpos e sobreviventes na Muzema entram no oitavo dia
TECNOLOGIA
Satélite denuncia e homem é multado por desmatar área protegida
FRONTEIRA
Homem de 36 anos morre afogado em piscina
MS-338
Motorista freia ao ver anta e tem caminhão atingido por ônibus
BRASILEIRO
Corumbaense estreia na Série D em casa no dia 4; Operário vai a Minas em primeiro jogo
INTERNACIONAL
Encontro de cúpula Rússia-Coreia do Norte deve ser na próxima semana
DOURADOS
Bandidos invadem fazenda e furtam espingarda e mantimentos
RIOS DE MS
Paranaenses perdem barco e são multados por pesca ilegal

Mais Lidas

DOURADOS
Corpo desovado no IV Plano é de homem que matou e jogou mulher dentro de poço há 6 anos
DOURADOS
Polícia prende dois e acaba com "tribunal” que poderia resultar em morte no Canaã I
VIOLÊNCIA
Corpo é encontrado ‘ensacado’ em Dourados
DOURADOS
Homem foi espancado e enrolado em lençóis antes do corpo ser desovado no IV Plano