Menu
Busca segunda, 23 de setembro de 2019
(67) 9860-3221
ENERGIA ELÉTRICA

Aneel reajusta valor das bandeiras tarifárias; maior é de 50% na amarela

21 maio 2019 - 21h50Por G 1

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) aprovou nesta terça-feira, dia 21 de maio, um reajuste nos valores da bandeira tarifária amarela e da bandeira vermelha, nos patamares 1 e 2.

O maior reajuste ocorreu na bandeira amarela, que passou de R$ 1 a R$ 1,50 para cada 100 quilowatts-hora (kWh) – uma alta de 50%. O patamar da bandeira vermelha 1 passou de R$ 3 para R$ 4 a cada 100 kWh, alta de 33,3%, e o patamar 2 da bandeira vermelha passou de R$ 5 para R$ 6 por 100 kWh consumidos, alta de 20%.

Novos valores (por 100 kWh):

Bandeira amarela: R$ 1,50

Bandeira vermelha 1: R$ 4,00

Bandeira vermelha 2: R$ 6,00

O reajuste servirá para adequar o valor do custo extra a ser cobrado dos consumidores em períodos em que a produção de energia ficar mais cara. O objetivo é que a arrecadação com as bandeiras fique o mais próximo possível do valor extra gasto com a geração de energia.

Segundo o diretor-geral da Aneel, André Pepitone, o reajuste evitará que a conta da bandeira tarifária fique deficitária em 2019. Em 2017, a conta da bandeira fechou com um déficit de R$ 4,4 bilhões e em 2018 o déficit foi de cerca de R$ 500 milhões. Esses déficits foram incluídos nos reajustes tarifários.

“A revisão é necessária para que não haja um déficit ainda maior em 2019, que terá que ser pago nas tarifas de energia em 2020”, afirmou. Segundo ele, os novos valores são mais adequados ao real custo de geração deste ano.

Sistema de bandeiras

Em vigor desde 2015, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo da energia gerada, possibilitando aos consumidores reduzir o consumo quando a energia está mais cara.

De acordo com o funcionamento das bandeiras tarifárias, as cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração.

A bandeira verde significa que o custo está baixo e é coberto pela tarifa regular das distribuidoras, então não há cobrança extra na conta de luz. O acionamento das bandeiras amarela e vermelha representam um aumento do custo de produção de energia e, por isso, há cobrança na conta de luz. O aumento do custo de geração está ligado principalmente ao volume de chuvas e ao nível dos reservatórios.

O acionamento da bandeira implica em uma cobrança extra na conta de luz, valor que é usado para pagar pela geração de energia mais cara.

Antes do sistema de bandeiras, o custo da geração de energia mais cara já era cobrado do consumidor, mas com um ano de atraso. O sistema permitiu a cobrança mensal do valor e a possibilidade de avisar os consumidores que o custo da energia está mais caro, permitindo que eles reduzam o consumo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

UAU!
Luísa Sonza exibe boa forma em passeio de iate e ganha elogios
APOSENTADORIA
Reforma da Previdência pode ser votada em 1º turno nesta terça-feira
PONTA PORÃ
Veículo blindado roubado em São Paulo é recuperado na região de fronteira
FOGO
Helicópteros entram em operação no combate às queimadas no Pantanal
MARACAJU
Homem é preso por receptação e polícia recupera caminhão furtado
ECONOMIA
Termina hoje prazo para cliente da Caixa autorizar saques do FGTS
OPORTUNIDADES
Concursos: 17 órgãos abrem amanhã inscrições para mais de 1.500 vagas
OPERAÇÃO BOCAIÚVA
Ação apreende 11 filhotes de papagaios e aplica multa de R$ 60 mil
MEIO AMBIENTE
Semana da Árvore termina com plantio de mudas no Antenor Martins
FÓRMULA 1
Vettel supera Leclerc, vence em Singapura e quebra jejum de 22 corridas

Mais Lidas

TRAGÉDIA
Criança morre em hospital e polícia investiga estupro de vulnerável
FLAGRANTE
Guarda Municipal flagra "festinha social" lotada de menores
DOURADOS
Campo-grandense é preso após roubar escritório de advocacia em Dourados
FRONTEIRA
Adolescente de 16 anos é morto na frente do pai com um tiro no peito