Menu
Busca segunda, 21 de janeiro de 2019
(67) 9860-3221
ECONOMIA

Dólar fecha em queda, de olho em negociação entre China e EUA e reforma da Previdência

09 janeiro 2019 - 17h50Por G1

O dólar fechou em queda nesta quarta-feira (9), com expectativas de que China e EUA possam chegar a um acordo para evitar uma guerra comercial em larga escala e após definição de como será apresentada a reforma da previdência pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

A moeda norte-americana caiu 0,89%, vendida a R$ 3,6823 - o menor valor desde outubro de 2018. Na mínima do dia, chegou a R$ 3,6752, e na máxima a R$ 3,7118. Já o dólar turismo era vendido perto de R$ 3,82, sem considerar o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

No dia anterior, a moeda norte-americana caiu 0,48%, a R$ 3,7153.

Internamente, a expectativa de que na próxima semana o presidente Jair Bolsonaro deve receber a proposta de reforma da Previdência, e que ela não será fatiada, é bem recebida pelos investidores. Isso porque o mercado considera a reforma uma medida essencial para reordenar as contas públicas para que a economia volte a crescer com mais força.

Na terça-feira, o ministro da Economia, Paulo Guedes, após reunião com o chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse que a reforma do atual modelo de Previdência será acompanhada pela criação de um regime de capitalização, que trará ganhos mais fortes para o sistema.

No entanto, os investidores agora aguardam sinais de que a reforma pode ser aprovada. "O que o governo tem apresentado é positivo, mas agora precisamos de ação", disse à Reuters a estrategista de câmbio do banco Ourinvest, Fernanda Consorte. "O otimismo com o discurso já foi precificado", o que dificulta o dólar cair muito mais, completou ela.

Cenário externo

As notícias do exterior influenciam positivamente, em meio a expectativas de que Estados Unidos e China anunciem algum avanço nas negociações comerciais. Investidores também aguardam a divulgação da ata da última reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), em busca de sinais sobre os próximos passos em relação aos juros.

O mercado monitora pistas sobre o rumo dos juros nos Estados Unidos porque, com taxas mais altas, o país se tornaria mais atraente para investimentos aplicados atualmente em outros mercados, como o Brasil, motivando assim uma tendência de alta do dólar em relação ao real.

Intervenção do BC no câmbio

O Banco Central anunciou para esta sessão leilão de até 13,4 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares para rolagem do vencimento de dezembro, no total de US$ 13,398 bilhões.

Se mantiver essa oferta diária e vendê-la até o final do mês, terá feito a rolagem integral, segundo a Reuters.

Deixe seu Comentário

Leia Também

VIOLÊNCIA
Chacina deixa sete mortos na região metropolitana do Rio
POLÍTICA
Tereza Cristina demite ouvidor do Incra ligado ao PT
RODOVIA
Motorista que causou acidente com 3 mortes cometeu suicídio, diz PRF
EMPREGO
Funtrab tem mil oportunidades de emprego para trabalhadores da cultura da maçã
ENSINO
Faculdades do Senai da Capital e Dourados encerram dia 8 as inscrições do vestibular para 7 cursos superiores
FUTEBOL
Operário vence o Corumbaense por 2x0 na estreia do Campeonato Estadual
DOURADOS
Município troca interino na Secretaria de Obras Públicas
TV
Globo hostiliza jornalismo da Record e insinua parcialidade com Jair Bolsonaro
BALANÇO
Metade das prefeituras gastam menos de R$ 403 ao ano na saúde
CAMPO GRANDE
Três pessoas ficam feridas após atropelamento na Capital

Mais Lidas

IVINHEMA
Assaltante é morto após invadir chácara, sequestrar duas vítimas e tentar roubar carros
FRONTEIRA
Jogador de futebol, ‘Alicate’ é executado com 26 tiros de fuzil
MONTE LÍBANO
Homem é preso acusado de tráfico de drogas por atacado
PARQUE DO LAGO
Casal é preso por promover festa para adolescentes com bebida alcoólica