Menu
Busca quinta, 09 de abril de 2020
(67) 9860-3221

Dólar cai mais de 1% e crava nova mínima do dia e fica em R$ 2,664

26 janeiro 2005 - 15h58

O dólar cravou uma nova mínima do dia, negociado a R$ 2,664, queda de 1,04%. Segundo o vice-presidente executivo de tesouraria do banco alemão WestLB, Flávio Farah, as vendas por investidores estrangeiros ajudam a explicar o recuo forte da cotação."Fica difícil o Banco Central, sozinho, tentar reverter uma tendência mundial da moeda americana."Hoje, o BC comprou divisas. Há operadores que defendem a realização de mais de um leilão por dia. Desde o dia 6 de dezembro, a autoridade monetária realiza intervenções quase que diariamente no mercado com o objetivo de reforçar as reservas em moeda estrangeira do país. Segundo Farah, uma renovação do acordo do Brasil com o FMI (Fundo Monetária Internacional) abriria espaço para uma queda maior do dólar. "Mas se não houver a renovação, o mercado não terá uma reação tão negativa."Atualmente, o banco alemão projeta o dólar a R$ 2,85 para o fim do ano. Esse valor está abaixo da média do mercado (R$ 2,90) apontada pelo boletim Focus na última segunda-feira.Tendência externaA queda da cotação desagrada os exportadores e desafia o governo a adotar medidas para conter a valorização do real. Os leilões de compra de divisas pelo Banco Central tiveram apenas o efeito de impedir um tombo maior da cotação.Até o final deste trimestre, o governo promete elevar de seis meses para um ano o prazo para o exportador internalizar suas divisas. Ou seja, ele terá mais tempo para trocar seus dólares por reais. Isso pode reduzir a oferta de divisas no mercado e pressionar a cotação.A valorização do real segue uma tendência externa de moedas como o euro, iene e libra, que se fortalecem frente ao dólar. Nesta quarta-feira, o euro voltou a subir frente a moeda dos EUA, após ter sido ontem cotado abaixo de US$ 1,30.O fluxo positivo de recursos também contribui para o real forte. Além dos dólares do comércio exterior, há as captações por meio de lançamento de bônus por bancos, empresas e pelo governo.Na semana passada, o Tesouro captou 500 milhões (cerca de US$ 650 milhões) de euros com o lançamento de bônus de dez anos. A tomada de empréstimos é favorecida pelo nível baixo do risco-país, que hoje cai 2,14%, aos 410 pontos.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAMPO GRANDE
Bandidos ameaçaram cortar dedos de mãe e filho feitos reféns em assalto
ECONOMIA
Emendas do senador Nelsinho atende Dourados e mais quatro municípios
AQUIDAUANA
Homem que emprestou moto a autor de feminicídio responderá criminalmente
REGIÃO
Pagamento das parcelas do FCO empresarial está suspenso até dezembro
JURADO DE MORTE
Jovem arremessa ‘pombos’ para dentro de presídio para quitar dívida
DOURADOS
Dupla é presa acusada de tentativa de homicídio e fazer criança como escudo
PANDEMIA
Paraguai estende quarentena e fronteiras permanecem fechadas
JUSTIÇA
Proprietária deve ser ressarcida pela venda de imóvel adquirido há 25 anos
POLÍTICA
Cidades brasileiras registram panelaço contra presidente Bolsonaro
FIGUERÃO
Traficante se esconde em pântano, mas é preso com 733 quilos de maconha

Mais Lidas

DOURADOS
Mulher tenta desviar de buraco, é atropelada por carreta e morre
DOURADOS
Assassinos de homem no Parque das Nações roubaram celular de testemunha
DOURADOS
Na volta ao atendimento, populares formam filas longas em frente a agências bancárias
DOURADOS
Mulher morta em acidente cursava pedagogia e terá corpo levado a Naviraí