Menu
Busca sábado, 15 de junho de 2019
(67) 9860-3221

Descoberta científica auxilia no tratamento do câncer de boca

01 agosto 2006 - 17h00

Cientistas britânicos informaram hojem terem descoberto que as células que causam câncer de boca se desenvolvem em dois cursos distintos, "mortal" e "imortal", um critério que pode ajudar a conter a doença em seu estágio inicial.Cientistas do Centro de Pesquisas de Câncer do Reino Unido descobriram que as células podem ser "mortais", morrendo naturalmente, ou "imortais", espalhando-se continuamente. Eles acreditam que a identificação precoce da mortalidade das células pode revelar o nível de agressividade da doença e, portanto, ajudar os médicos a determinar o tratamento apropriado. Antes, acreditava-se que todos os tipos de câncer de boca se desenvolviam ao longo de um único curso degenerativo.Amostras foram recolhidas das bocas de 19 pessoas com lesões pré-cancerosas (feridas bucais), 16 com câncer de boca e quatro sadias para analisar as células e estudar os cursos de desenvolvimento individual.Os especialistas descobriram que as células mortais exaurem-se enquanto o tumor se expande, e portanto respondem melhor ao tratamento. As células imortais continuam se dividindo, demonstrando uma resistência maior ao tratamento e uma tendência à recorrência."Os dados que coletamos fornecem pela primeira vez uma forte evidência de que alguns tumores cancerosos são mais agressivos do que outros e, portanto, ligados a uma menor probabilidade de sobrevivência do paciente", disse o cientista Paul Harrison, que chefiou o trabalho do centro.Falhas tanto no gene p53, que normalmente evita que células danificadas se dividam, quanto no p16, que controla o processo de regulação celular, determinam o grau de mortalidade das células e, conseqüentemente, a agressividade do tumor maligno. O consumo excessivo de tabaco e bebidas alcoólicas contribui para o desenvolvimento das duas versões da doença.Os casos de câncer de boca aumentaram em um quarto no Reino Unido nos últimos dez anos. A cada ano, 4.400 pessoas são diagnosticadas com a doença e 1.600 pessoas morrem, segundo o centro de pesquisas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECOLOGIA
Número de turistas internacionais em Mato Grosso do Sul cresce 14% em 2018
FUTEBOL
Com triunfo sobre a Bolívia, Brasil chega à 100ª vitória na Copa América
ANASTÁCIO
Policial desconfia de negociação de jet ski e dupa é presa com arma e mais de R$ 13 mil
MUNDO
Hong Kong recua sobre lei que permite extradições para China
CAMPO GRANDE
Homem é assassinado por ex-marido da mulher durante encontro
MALHAÇÃO
Cleber e Anjinha se estranham e namoro fica ameaçado: 'Eu vou desistir'
ASSEMBLEIA
Escola Bilíngue para Surdos passa pela CCJR e segue a plenário
IMUNIZAÇÃO
Campanha de vacinação contra aftosa encerra neste sábado em MS
CAMPO GRANDE
Internado com suspeita de H1N1, homem morre em hospital e pode ser 15ª vítima em MS
THE INTERCEPT
Moro não reconhece autenticidade de mensagens de site

Mais Lidas

DOURADOS
Jovem foi jogado ainda vivo dentro de poço e crime ocorreu por ciúme
COLT
Preso que ordenava mortes em ‘tribunais do crime’ é transferido de MS para o RN
POLÊMICA
Dono da Havan manda “recado” a manifestantes após protesto em frente a loja de Dourados
DOURADOS
Guarda vai atender furto e acaba prendendo homem por tráfico de drogas no Canaã 3