Menu
Busca terça, 20 de agosto de 2019
(67) 9860-3221

Salas de cinemas devem se adequar à lei de acessibilidade no Estado

14 janeiro 2013 - 19h00





A implantação da Lei 4314, de 8 de janeiro de 2013, em Mato Grosso do Sul, vai mobilizar entidades de direitos humanos e gestores de áreas sociais de outros estados envolvidos na solução dos principais desafios de acessibilidade. De autoria do deputado estadual George Takimoto (PSL) e sancionada na semana passada pelo governador André Puccinelli (PMDB), a lei obriga os diversos estabelecimentos de frequência e circulação de público (cinemas, teatros, auditórios, casas de shows, restaurantes, bares e similares) a dispor de estruturas para receber as pessoas com necessidades especiais.



O prazo para que esses estabelecimentos se ajustem à chamada "lei Takimoto" é de no máximo seis meses, a contar de quinta-feira (9), no Estado. Descumprir essa determinação pode acarretar multa diária de 1 mil Uferms. Quando apresentou o projeto, George Takimoto amparou-se, primeiro, na Declaração Universal dos Direitos Humanos da ONU, focalizando o artigo 1°: "Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotados de razão e consciência e devem agir em relação uns aos outros com espírito de fraternidade".



Com esse indutor, o deputado reforçou a proposta citando conceitos básicos da Constituição Federal, que consagra como direitos fundamentais o princípio da igualdade entre os cidadãos brasileiros e estrangeiros e estabelece entre os objetivos fundamentais da República a construção de uma sociedade livre, justa e solidária, além de promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.



Para Takimoto, as pessoas com necessidades especiais sofrem preconceito e discriminação quando não encontram condições de acessibilidade. "Inexiste a igualdade quando um cadeirante não tem rampa e piso adequado para se locomover, quando pessoas com algum tipo de limitação física não encontra a estrutura própria para, por exemplo, frequentar cinemas, shows, igrejas ou usar sanitários e telefones públicos", descreve.



"As salas de cinema não apresentam ambientes condignos que permitam à pessoa em cadeira de rodas ou com mobilidade reduzida, receber o serviço com a mesma qualidade e em condições similares às pessoas não-portadoras de necessidades especiais", completa. O deputado lembra que para aplicação da lei devem ser obedecidos os critérios da norma de acessibilidade a edificações, mobiliários, espaços e a equipamentos urbanos, da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) NBR 9050, ou outra que vier a sucedê-la.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ESTADO
Com a inauguração em Ribas do Rio Pardo, 34 municípios passam a contar com Procon
TRÁFICO
Polícia prende traficante que vendia drogas há oito anos em bairro
FISCALIZAÇÃO
Foragido da Justiça de MG é preso na região de Maracaju
PAÍSES VIZINHOS
Portaria impede entrada de altos funcionários da Venezuela no Brasil
FLAGRANTE
Veículo de luxo roubado no ES é recuperado em Rio Brilhante
AQUIDAUANA
Policial aposentado morre ao ser atropelado pelo próprio veículo
EDITAL
Assinatura de convênios garante repasse de R$ 1,5 milhão para pesquisas no Estado
DOURADOS
Inscrições para seleção de novas Famílias Acolhedoras são abertas
CAMPO GRANDE
Polícia encontra maconha escondida em armário de escola
POLÍTICA
Haddad suspende agenda e Caravana Lula Livre é cancelada em Dourados

Mais Lidas

NO PARANÁ
Douradense morre ao ser prensado por caminhão em laticínio
DOURADOS
Acusado de participação no sequestro de família douradense se apresenta à polícia
DOURADOS
Em ato de filiação ao PSL, reitora temporária diz não ter prazo para deixar comando da UFGD
MS-376
Veículo fica completamente destruído e homem morre em acidente entre Vicentina e Fátima do Sul