Menu
Busca quinta, 17 de outubro de 2019
(67) 9860-3221
CINEMA

Justiça manda Ancine retomar edital de séries com temática LGBT

07 outubro 2019 - 19h50Por g1

A Justiça Federal no Rio de Janeiro determinou, nesta segunda-feira, dia 07 de outubro, a suspensão dos efeitos de uma portaria editada pelo Ministério da Cidadania que impedia a conclusão de um edital da Ancine (Agência Nacional do Cinema) para produções audiovisuais. Entre elas havia projetos com temática LGBT que, segundo o MPF (Ministério Público Federal), foram censurados pelo governo Bolsonaro.

Na decisão da 11ª Vara Federal, a juíza Laura Bastos Carvalho ressalta que a demora na conclusão do concurso poderá trazer prejuízos aos cofres públicos. A magistrada também assinala, em outro trecho do despacho, que alegações a princípio "irrelevantes" apresentadas pelo ministério para suspender o certame dão indícios de que a discriminação apontada pelo MPF "pode estar sendo praticada".

Por esses e outros motivos, a juíza federal concedeu a liminar, citando ainda que o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) já transferiu ao BRDE (Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul) mais de meio milhão de reais (R$ 525 mil) referentes a gestão financeira do contrato.

Ação civil pública

No início do mês, o MPF moveu ação civil pública contra o ministro da Cidadania, Osmar Terra, apontando que o chefe da pasta havia suspendido o edital após crítica do presidente Jair Bolsonaro a peças LGBT que foram selecionadas no concurso.

O MPF apurou e concluiu que a Portaria 1.576, de 20 de agosto de 2019 foi motivada por discriminação contra projetos com temática relacionada a lésbicas, gays, bissexuais, transexuais e travestis – LGBTT.

Os documentários alvo de crítica de Bolsonaro foram: "Sexo Reverso", "Transversais", "Afronte" e "Religare Queer", criticados pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, em vídeo publicado nas redes sociais em meados de agosto deste ano.

Conheça as séries que haviam sido suspensas pelo governo

O inquérito civil do MPF também identificou que a suspensão do concurso causou dano ao patrimônio público federal no valor de quase R$ 1,8 milhão (1.786.067,44) quantia referente aos gastos já efetuados com sua realização.

A ação do MPF, que acusa Osmar Terra de improbidade administrativa, pede que a portaria seja anulada e o concurso seja concluído. Também é solicitado que o chefe da pasta seja condenado, com base na Lei de Improbidade Administrativa a:

Ressarcimento integral dos valores dispendidos com a realização do concurso – R$ 1,8 milhão;

Perda da função pública exercida;

Suspensão dos direitos políticos por oito anos;

Pagamento de multa civil em valor equivalente a duas vezes o valor do dano causado;

Proibição de contratar com o Poder Público Federal ou dele receber benefícios, incentivos fiscais ou creditícios, pelo prazo de cinco anos.

O Ministério da Cidadania comunicou que "o edital suspenso não foi discutido por este governo" e "por se tratar de recursos públicos – R$ 70 milhões – que financiariam séries para serem exibidas em TVs públicas, este governo resolveu suspender com a intenção de analisar os critérios de sua formulação".

Deixe seu Comentário

Leia Também

FUTEBOL
Final da Libertadores de 2020 será no estádio do Maracanã
JARDIM
Mulher é agredida com golpes de capacete e esfaqueada pelo marido
UEMS
Apresentação de dança ajuda na construção do Hospital de Amor de Dourados
ECONOMIA
Setembro tem a maior criação de emprego para o mês desde 2013
NAVIRAÍ
Médico diz que ganha pouco, se recusa a atender grávida e acaba preso
JUSTIÇA
Banco deve encerrar financiamento estudantil e indenizar acadêmico
COTAÇÃO
Dólar fecha em alta após dia de sobe e desce
ECONOMIA
Dourados é responsável por mais de um terço dos empregos criados no Estado em setembro
CONTRABANDO
Veículos abarrotados com quase meio milhão de maços de cigarros são apreendidos
FRONTEIRA
Pai e filho são presos por envolvimento em assassinato de idoso

Mais Lidas

DOURADOS
Ciclista morre no HV após ser atropelado por ônibus
POLÍCIA
Irmãos são detidos após polícia encontrar droga no Jardim Flórida
DOURADOS
UPA passa a atender apenas casos de urgência e emergência
EXPULSÃO
Chefão do narcotráfico é entregue à Polícia Federal brasileira