Menu
Busca terça, 20 de agosto de 2019
(67) 9860-3221
CULTURA

Espetáculo “Querô - uma reportagem maldita”, celebra 9 anos da primeira companhia de teatro douradense

06 junho 2019 - 13h05Por Vinicios Araújo

A companhia Theastai de Artes Cênicas, a primeira fundada em Dourados, completa nove anos neste mês com apresentação do espetáculo “Querô - uma reportagem maldita”. 

A companhia, formada pelo elenco Antônio Júnior, João Rocha, Társila Bonelli e Victor Angel Dias, nasceu em 2010 e de lá pra cá, levou para vários lugares do Brasil a qualidade do teatro douradense. 

Dentre as principais produções da Theastai, destacam-se: 

• I e II MIT – Mostra Independente de Teatro de Dourados;
• I, II e III Encontro de Palhaços; 
• Mostra de Comemoração ao dia mundial do Teatro e nacional do Circo;
• Espetáculos de repertório, com destaque para: Querô – Uma reportagem maldita, Quem matou o Morto?, Dandys Acrobático, Chuá – Uma aventura no Pantanal, Delírios – Traços dançantes em Lídia Baís e Experimento Banana. 

O grupo douradense já circulou todas as regiões do Brasil com seus espetáculos, participando de mostras e festivais importantes do país. Entre prêmios estaduais e federais, destacam-se FUNARTE — Arte Nas Ruas e Prêmio Célio Adolfo de Incentivo à Dança.

O espetáculo acontece no 8/06, às 20 horas. O valor do ingresso promocional está R$ 10,00, e no dia será R$ 20,00 a entrada inteira, e R$ 10,00 a meia entrada. O projeto Temporada Sucata realiza a 8 espetáculos, todos de grupos e artistas douradenses, com objetivo de fomento da cultura local. 

“A ideia do projeto é fortalecer a cena teatral na cidade, fomentando financeiramente o grupo/artista por meio de bilheteria popular, e o público, que tem, através deste projeto, a opção de prestigiar um espetáculo cênico todo final de semana”, explica nota oficial do Sucata Cultural.

Espetáculo Querô – Uma reportagem maldita:

SINOPSE:

"Querô - uma reportagem maldita" é um espetáculo bomba. Narrado com visceralidade do começo ao fim - da peça e da vida -, conta a história de Jerônimo da Piedade, vulgo Querô, um menor marginalizado, criado por uma cafetina, outra marginalizada, nas ruas do porto de Santos. Explosivo, visceral, brutal, humano. Adaptado da obra de Plínio Marcos, falar de Querô é falar do Brasil.

FICHA TÉCNICA:

Dramaturgia: Plínio Marcos
Adaptação dramatúrgica: João Rocha
Direção: João Rocha
Elenco: Antonio Júnior, João Rocha, Társila Bonelli e Victor Angel Dias
Iluminação: Cadu Modesto Fluhr
Arte gráfica: Helton Pérez / Vaca Azul
Realização: Cia. Theastai de Artes Cênicas
Parceria: COC/UFGD 

SERVIÇO — Sucata Cultural

Endereço: Rua Onofre Pereira de Matos, 815
Telefone fixo: (67) 3032-6404
Whatsapp: (67) 99629-7400

Deixe seu Comentário

Leia Também

MS
Veículo com sinais de identificação adulterados é apreendido pela polícia
ESTUPRO
Homem é preso após dormir com a namorada de 11 anos
RIO DE JANEIRO
Sequestrador estava em surto psicótico e ameaçou incendiar o ônibus
LOGÍSTICA
Nelsinho vem com ministro Ernesto Araújo a MS e realiza palestra em evento sobre corredor bioceânico
LOTERIA
Prêmio da Mega deve pagar R$ 31 milhões amanhã
LEGISLATIVO
Cadastros de programas sociais terão informações sobre violência doméstica
DOURADOS
Seis projetos e dois vetos são aprovados pela Câmara
MÉTODO SUPERA
Como combater o nervosismo e a ansiedade ao falar em público
FLAGRANTE
Caminhões são apreendidos carregados com madeira ilegal
RIO DE JANEIRO
Governador comemora desfecho com morte do sequestrador

Mais Lidas

NO PARANÁ
Douradense morre ao ser prensado por caminhão em laticínio
DOURADOS
Acusado de participação no sequestro de família douradense se apresenta à polícia
DOURADOS
Em ato de filiação ao PSL, reitora temporária diz não ter prazo para deixar comando da UFGD
MS-376
Veículo fica completamente destruído e homem morre em acidente entre Vicentina e Fátima do Sul