Menu
Busca quarta, 20 de março de 2019
(67) 9860-3221

Criança morta em Aquidauana pode ter sido asfixiada

10 dezembro 2003 - 14h58

A menina Mayara Brito Neves, de 3 anos, pode ter morrido de asfixia. A hipótese foi apresentada pelo delegado regional de Polícia Civil de Aquidauana, José Raimundo Pinto Filho, conforme o site Aquidauana News. O corpo de Mayara foi encontrado esta manhã às margens de um córrego da cidade. Ela estava desaparecida desde 18 horas de ontem, foi encontrada nua e há suspeita de possa ter sofrido abuso sexual. Quando foi encontrada, a menina estava com a cabeça submersa na água.Na opinião do delegado, a criança pode ter sido levada até ao local por uma pessoa conhecida, fato que já está sendo investigado pela sua colega, a delegada Jaíza dos Santos Teixeira. A policia também não descarta homicídio e analisa evidências de estupro seguido de morte por afogamento.O corpo de Mayara já está no IML de Aquidauana. O clima na cidade é tenso por conta da revolta de parentes e da população local.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
Homem é preso após furtar tela de Associação de Moradores
ECONOMIA
Dólar fecha em queda com foco no Fed e aposentadoria dos militares
CRIME AMBIENTAL
Desmatamento gera multa de R$ 41 mil a produtor rural
IBOPE
Aprovação do governo Bolsonaro cai 15 pontos e chega a 34%
TEMPO
Caarapó é castigada com mais de 70 mm de chuva
TJMS
Juiz da infância de Dourados é promovido a desembargador do TJ
TRAGÉDIA
Brumadinho: total de mortes confirmadas sobe para 209
FUTEBOL DE MS
Primeira fase do Estadual termina sem troca de técnicos
DOURADOS
Defesa Civil mantém alerta com “chuvarada” que deve continuar na região
RESSOCIALIZAÇÃO
Artesã ensina detentas a confeccionar bonecas de pano

Mais Lidas

PREJUÍZO
Chuva forte derruba árvores e deixa ruas alagadas em Dourados
DOURADOS
Pai e madrasta de criança morta por agressão vão a júri popular
FRONTEIRA
Homem é executado enquanto tomava tereré na frente de açougue
IMPETUS
“Central de inteligência” do PCC que planejava matar servidores de MS é desarticulada na PED