Menu
Busca terça, 25 de junho de 2019
(67) 9860-3221

Conservação da vida silvestre no pantanal é tema de evento

05 dezembro 2003 - 17h01

Durante toda essa semana, no período de 1º a 5 de dezembro, foi realizado na Embrapa Pantanal uma série de reuniões técnicas, seminários e workshops internacionais sobre as “espécies de paisagem” do Pantanal (landscape species) . As atividades tiveram como objetivo definir as espécies prioritárias para a conservação e, com base nos resultados, dar início a novos projetos de pesquisa e programas de conservação. Os encontros reuniram pesquisadores de várias regiões do mundo e foram realizados através de uma iniciativa da Wildlife Conservation Society (WCS). A WCS é uma organização não governamental, que desenvolve três programas no Brasil, dois na Amazônia e um no Pantanal. Para o coordenador do Programa Pantanal da WCS, Silvio Marchini, os encontros alcançaram seus objetivos e contribuíram com a organização de uma série de informações. “Durante essa semana pudemos analisar as ameaças que envolvem o ecossistema pantaneiro e identificar as lacunas de pesquisa sobre as espécies de fauna do Pantanal. Essas informações servirão de referência para a comunidade cientifica, norteando os caminhos que devemos seguir”, afirmou Silvio. Ele explicou ainda que o conceito de “espécies de paisagem” está relacionado a cinco critérios, que são: área de distribuição, heterogeneidade do habitat, vulnerabilidade as ações humanas, papel ecológico e valor sócio cultural. Cada uma das espécies de animais identificadas, ao longo da semana, foi avaliada de acordo com esses cinco critérios. “No final dos trabalhos um software específico analisa os dados e relaciona as espécies que mais se destacam em termos de complementaridade, ou seja, animais que de forma conjunta abrangem todos os ambientes e ameaças que compõem a paisagem”, salientou. Silvio também destacou a importância da parceria com a Embrapa Pantanal. “Acredito que qualquer organização ou instituição que pretenda pesquisar o ecossistema pantaneiro deve levar em consideração os conhecimentos científicos dessa instituição que atua aqui há muitos anos e detêm amplo conhecimento regional, além de operacionalizar as etapas de realização dos eventos”, completou. Para o pesquisador da Embrapa Pantanal, Guilherme Mourão, esses eventos são relevantes para a conservação das espécies de fauna pantaneira, pois servem de diretrizes para as pesquisas a longo prazo. “As pesquisas ficam fortalecidas na região, pois a comunidade científica passa a contar com informações agrupadas que mostram novos cenários e perspectivas para a conservação da fauna local”, ressaltou Guilherme

Deixe seu Comentário

Leia Também

SHOWBIZZ
Mariana Ximenes relaxa no mar e deseja boa semana para os fãs
COSTA RICA
Polícia prende mãe que matou bebê de 1 anos ao jogá-la na parede
PRAÇA ANTONIO JOÃO
Prefeitura promove ação para recolher lixo eletrônico em Dourados
MEIO AMBIENTE
Pecuarista é multado em R$ 3,3 mil por exploração ilegal de madeira
POLÍTICA
Bolsonaro diz que vai vetar lista tríplice para agências reguladoras
NOVA ALVORADA
Fogo destrói caminhonete que trafegava pela rodovia BR-163
UEMS
Inscrições em Programa de Assistência Estudantil terminam 4ª-feira
DOURADOS
Casal de Minas Gerais é preso transportando skank em veículo
LOTERIA
Confira as dezenas sorteadas na Quina de São João
POLÍTICA ENERGÉTICA
Governo aprova resolução para abrir mercado e tentar reduzir preço do gás

Mais Lidas

POLÍCIA
Gangue invade festa e esfaqueia três adolescentes em Dourados
HOSPITAL DA VIDA
Jovem morre horas após acidente de moto
DOURADOS
Moto com mais de R$ 20 mil em multas é apreendida após flagra de excesso de velocidade
VICENTINA
Colisão frontal mata homem na MS-376