Menu
Busca domingo, 15 de dezembro de 2019
(67) 9860-3221

Coca fecha parceria milionária com times paulistas

10 dezembro 2009 - 13h27

Presidente do Corinthians reforça veto a jogos no Morumbi Os quatro grandes clubes paulistas se uniram sob a bênção do padre Marcelo Rossi. Na manhã desta quarta-feira, o religioso foi o garoto-propaganda do evento que divulgou o contrato de patrocínio firmado entre o G4 (parceria agora oficializada por Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo) e a Coca-Cola e Kaiser.

"Eu era corintiano, mas troquei de time. Agora sou G4", discursou Marcelo Rossi, que vestiu uma camiseta de divulgação sobre a sua batina, posou para fotos com uma lata de refrigerante em mãos e não fez reprovação às bebidas alcoólicas. Até chorou, no momento em que o prefeito Gilberto Kassab falava sobre as enchentes na cidade de São Paulo.

Sempre que alguém se dirigia a Marcelo Rossi, inclusive, o padre fazia jus ao papel de garoto-propaganda e respondia com um berro: "G4!". Os presidentes Juvenal Juvêncio e Andrés Sanchez (de São Paulo e Corinthians, respectivamente) sorriam com o canto da boca a cada intervenção.

Após trocar diversos cochichos com Sanchez, Juvenal Juvêncio também se apresentou para discursar - o presidente do Corinthians, então, esticou os braços de maneira debochada, aparentemente incomodado com a demora do encontro e a eloquência do colega. O são-paulino defendeu a "rivalidade sadia" entre os clubes e a ampliação de ações de marketing em conjunto.

O Palmeiras foi representado pelo presidente Luiz Gonzaga Belluzzo, que não permaneceu até o final da reunião - estava claramente incomodado com os problemas do seu time. Antes de sair pelos fundos, o dirigente foi o único a segurar uma lata de cerveja (ele não bebe) na foto oficial com os patrocinadores do G4.

Já Marcelo Teixeira, mandatário do Santos que perdeu a eleição para Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, sequer foi ao encontro. Viajou para Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, sob a desculpa de viabilizar a versão feminina do Mundial de Clubes.

"O Marcelo já sonhava com o G4 há muito tempo. Tudo para ele emana de Deus", disse o vice-presidente santista Norberto Moreira da Silva, que também deixará o cargo na próxima semana. A afirmação alegrou o padre Marcelo Rossi.

O primeiro contrato firmado pelo G4 paulista renderá aos clubes um valor entre R$ 8 e R$ 18 milhões, segundo o presidente Andrés Sanchez - a Coca-Cola e a Kaiser preferiram não divulgar o investimento.

Pelo acordo, com duração até dezembro de 2014, as empresas poderão explorar comercialmente as marcas de Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo, além de divulgar seu logotipo em placas de publicidade nos estádios.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AGENDA
ALEMS fecha ano com reuniões de CPI, de frente parlamentar e fórum
84 ANOS
Exposição de fotos ‘via Satélite’ de Dourados continua até dia 31
EM CARACOL
Novo campo de futebol deve beneficiar mais de 6 mil moradores
PRIMEIRA EDIÇÃO
Corrida Eldorado Run reúne cerca de mil corredores solidários em Três Lagoas
CORUMBÁ
Refém de bandidos, idoso passa horas amarrado em árvore
LEI
Bolsonaro diz que vetará aumento de pena para injúria na internet
MEIO AMBIENTE
Pesca, plástico, aquecimento global e óleo são ameaças para tartarugas
CULTURA
Período para cadastro de projetos do FIC começa neste domingo
INTERNACIONAL
Jamaicana vence Miss Mundo, e beleza negra domina concursos
SEGUNDO CASO EM 5 DIAS
Homem morre e deixa filho de 10 meses

Mais Lidas

CAARAPÓ
Homem é assassinado a golpes de faca após discussão em bar
DOURADOS
Inteligência da PM prende dois por tráfico no bairro Estrela Tovi
GRANDE DOURADOS
Quadrilha especializada em roubo de caminhonetes é desarticulada e seis são presos
FURTO
Polícia recupera objetos e fecha ponto de receptação em Dourados