Menu
Busca domingo, 20 de outubro de 2019
(67) 9860-3221

Ciro vai propor mudança no acordo com FMI já

15 agosto 2002 - 13h53

Mauro Benevides Filho, o assessor econômico da Frente Trabalhista, afirmou que na próxima segunda-feira o candidato Ciro Gomes vai propor, em reunião com o presidente Fernando Henrique Cardoso, alterações no acordo feito pelo governo com o Fundo Monetário Internacional (FMI).
- Um acordo para endividar o Brasil não adianta. Esse acordo tem de ser acompanhado de mudanças na política econômica. O Ciro Gomes vai propor na discussão de segunda-feira alterações já, junto ao Congresso Nacional - declarou Benevides Filho, professor de Economia da Universidade Federal do Ceará, que concedeu entrevista à Rádio CBN.
Para o assessor econômico de Ciro, os mercados no país passam por um momento de turbulência não por causa do crescimento dos candidatos de oposição nas pesquisas eleitorais, mas pela demonstração de incapacidade do governo de honrar seus contratos.
- Se por um lado o acordo com o FMI pode dar um alívio, no curto prazo, com relação à escassez da moeda americana, por outro lado os investidores estrangeiros e nacionais começam a ficar preocupados com a capacidade de o governo honrar seus compromissos - afirmou, lembrando que o acordo com o Fundo tem de ser alterado nos primeiros seis meses do próximo governo.
- O que o mercado deseja é a segurança intertemporal de que pelos menos os juros ele receba. Com o superávit primário de 3,75%, o país não é capaz nem mesmo de pagar os juros da dívida pública brasileira - completou o economista, ressaltando que não há problema para o pagamento da dívida pública externa, já negociada com prazos de até 18 anos.
De acordo com o economista, o governo Fernando Henrique elevou a dívida nacional de 29% do Produto Interno Bruto (PIB), em 1994, para 58% do PIB.
Segundo Benevides Filho, os problemas econômicos do país seriam resolvidos com reformas tributária e previdenciária, além da redução da vulnerabilidade externa.
- Essas três ações permitirão a redução da taxa de juros, que permitirá o crescimento econômico e a geração de empregos - ressaltou o economista.
Segundo ele, essas reformas que até hoje não foram feitas podem ser realizadas logo no início de um governo Ciro Gomes.
- Temos confiança que sim. O período em que o governante tem a sua maior taxa de confiança são os primeiros oito meses. Portanto, logo no início nós temos de implantar essas reformas - afirmou.


Deixe seu Comentário

Leia Também

Festival
Orquestra paraguaia é atração do Fasp 2019 com instrumentos de materiais recicláveis
MUNDO
Bolivianos vão às urnas para escolher presidente e outras autoridades
CAPITAL
“Corrida Saúde Cassems” leva quase 3 mil pessoas à rua
DOURADOS
Programação do Outubro Rosa terá eventos nesta semana
BRASIL
Semana Nacional de Ciência e Tecnologia começa nesta segunda-feira
DOURADOS
Interessados em trabalhar como ambulante no Dia de Finados devem ir à Semsur
UFGD
Ação de universidade na praça central de Dourados será nesta semana
DOURADOS
Campanha de vacinação contra o sarampo segue até dia 25
INTERIOR
Veículo capota na MS-134 e motorista é socorrido ferido
DOURADOS
Dia D de combate à sífilis será em 29 de outubro

Mais Lidas

PONTA PORÃ
Empresário é executado por pistoleiros na fronteira
CAMPO GRANDE
Cantor Ivo de Souza morre em acidente no macro anel da BR-262
DOURADOS
Homem é assaltado por travesti após parar carro no Centro
DOURADOS
Mãe de criança morta após parto segue internada sob escolta