Menu
Busca quarta, 14 de novembro de 2018
(67) 9860-3221
REMÉDIO ERRADO

Após 10 meses em coma, morre vítima de erro médico

29 junho 2015 - 08h02

O vendedor autônomo Sílvio José Ramos Júnior, de 33 anos, morreu neste domingo, dia 28 de junho, após 10 meses de sofrimento. A família ainda tenta provar que ele foi vítima de um erro médico ao receber uma medicação no CRS (Centro Regional de Saúde) do bairro Tiradentes, em Campo Grande.

###Histórico
No dia 31 de agosto de 2014 Juninho, como era conhecido, deu entrada no posto de saúde com ânsia de vômito e sentindo mal estar. De acordo com um boletim de ocorrência registrado sobre o caso, o médico plantonista não realizou exames necessários e ministrou diazepan, dipirona e outros medicamentos.

Segundo o irmão do paciente, Renato Gama, 34 anos, minutos depois Juninho sofreu convulsões e uma parada cardiorrespiratória. Ele foi encaminhado para um hospital particular, às custas do poder público, com a alegação de que faltava vaga em uma unidade pública.

Após um período, a clínica particular passou a cobrar pelo atendimento a Juninho. Meses depois, em outubro de 2014, Juninho recebeu alta do CTI (Centro de Tratamento Intensivo) e passou a receber tratamento em um quarto numa casa alugada no bairro Tarumã.

###"O perdi"
“No caso do meu irmão, não tem mais o que fazer. Eu o perdi. Ele não vai mais andar, não vai mais comer, não vai mais falar. Por enquanto eu nem sei o que vou fazer”, disse Renato, na época, ao site Campo Grande News.

Até hoje não se sabe qual substância provocou a reação no paciente. Valdemar Morais de Souza, presidente da Associação de Erros Médicos de Mato Grosso do Sul, acredita que o caso foi resultado de erro médico.

“Ele não tinha nenhuma doença, apenas um mal-estar, e por causa de um procedimento médico completamente equivocado foi transferido do posto de saúde para a clínica com parada cardiorrespiratória, entubado e em coma induzido”, disse Valdemar. “E a família, que não autorizou a transferência, ficou com uma conta de R$ 136 mil para pagar”, completa.

O corpo de Juninho foi velado e enterrado ainda na tarde deste domingo, dia 28, em Campo Grande.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DEVOLUÇÃO
Receita paga sexta-feira restituições do sexto lote do IRPF de 2018
CASA NOVA
Reforma e ampliação do Fórum de Nova Andradina será entregue dia 20
NOVOS CANAIS
Disque Lâmpada da Semsur agora terá número de WhatsApp e e-mail
PEDRO JUAN
“Arquivo vivo”, advogada executada na fronteira ameaçava autoridades
LAVA JATO
Após 3 horas, termina depoimento de Lula no caso do sítio de Atibaia
ELDORADO
Vereador morre em acidente na rodovia BR-163 próximo a Itaquiraí
UFGD
Projeto para construção de aeromodelos está com inscrições abertas
CAMPO GRANDE
Pedestre que teve perna esmagada em acidente morre em hospital
RURAL
Iagro divulga regras para declaração do saldo de caprinos e ovinos
ENSINO SUPERIOR
Local de prova do Enade 2018 pode ser conferido no cartão de inscrição

Mais Lidas

PEDRO JUAN
Advogada de narcotraficantes brasileiros morre após atentado na fronteira
PARAGUAI
Polícia paraguaia acredita que pistoleiros brasileiros mataram advogada
FRONTEIRA
Mulher é assassinada a tiros, quase um ano após execução do marido
PEDRO JUAN CABALLERO
Vídeo mostra momento em que advogada é atingida por pistoleiros