Menu
Busca quinta, 19 de abril de 2018
(67) 9860-3221
BANNER CRA
FERIADO DE FINADOS

Vai viajar com a família? Tire as dúvidas sobre o uso da cadeirinha

02 novembro 2017 - 10h30

Um dos mais importantes avanços na legislação brasileira protetiva às crianças no trânsito é a Lei da Cadeirinha, de maio de 2010, que estabeleceu padrões de segurança para transporte de crianças menores de dez anos.

A legislação determinou o uso obrigatório de bebê-conforto, poltrona de elevação (cadeirinha) e assento de elevação para o transporte de crianças no carro de acordo com a idade, porém, muitos condutores ainda colocam em risco a vida de crianças pequenas ao transportá-las sem o equipamento.

Segundo a organização não-governamental Criança Segura, de 2001 a 2015, o número de mortes de crianças no trânsito caiu 42%.

Apenas de 2014 para 2015, esse número apresentou uma redução de 16,02%. Entretanto, apesar da grande diminuição, essa continua sendo a principal causa de morte acidental entre pessoas de zero a 14 anos no Brasil.

Especialistas afirmam que o uso dos dispositivos de segurança reduz em cerca de 70% as mortes ou lesões graves de crianças.

“É fundamental o uso adequado dos equipamentos de segurança seguindo as instruções corretas de instalação e tipo referente a cada idade. É mais do que provado que a cadeirinha pode salvar vidas e também minimiza a consequência do acidente na criança”, afirma a diretora de Educação para o Trânsito do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MS), Marlene Alves Nogueira Rondom.

Confira as regras para cada idade

A regra do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) sobre cadeirinhas utiliza faixas etárias para indicar o equipamento mais adequado:

Até 1 Ano de idade – dispositivo de retenção (bebê-conforto ou “conversível”), fixado no banco traseiro do veículo, de costas para o motorista, posicionado num ângulo de 45°.

De 1 a 4 anos de idade – cadeirinha, fixada no banco traseiro do veículo, virada de frente para o motorista.

De 4 a 7 anos e meio de idade – assento de elevação, no banco traseiro, permitindo o posicionamento correto do cinto de três pontos sobre o peito e os quadris da criança.

De 7 anos e meio a 10 anos de idade – cinto de segurança de três pontos, posicionado na altura do peito e dos quadris da criança, no banco traseiro. As costas devem estar apoiadas no encosto.
Infração

Quem for pego sem o dispositivo terá de pagar uma multa de R$ 293,47 (infração gravíssima) e perderá 7 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH), além da apreensão do veículo para regularização.

Deixe seu Comentário

Leia Também

RESOLUÇÃO
MP e Dourados firmam parceria para regularizar a falta de exames de ecocardiografia
Na Ação o MP solicita que seja realizado por mês, pelo menos 300 exames
AGORA É LEI
Pesca e navegação no Rio Salobra e Córrego Azul estão proibidas
Apenas pesca científica e previamente autorizada, está liberada
CULTURA
Dança afro brasileira será tema de oficina em Dourados
TRÊS LAGOAS
PF deflagra operação para ‘barrar’ tráfico ramificado em presídio
DIA DO ÍNDIO
Um milhão de indígenas brasileiros buscam alternativas para sobreviver
É CLIPE QUE VOCÊS QUEREM?
Alok se prepara para lançar clipe com participação de Marina Ruy Barbosa
FLAGRANTE
Preso com maconha na MS-270 apresentou identidade falsa
ITAPORÃ
Ciclista é arremessado a 40 metros e morre após atropelamento na MS-156
ARTIGO
Tecnofam: falando a língua do homem do campo, por Renato Câmara
ANASTÁCIO
10 ficam feridos após reboque de caminhonete se soltar e atingir van

Mais Lidas

ITAPORÃ
Mortos em troca de tiros após assalto eram de Dourados
SEGURANÇA PÚBLICA
Em comunicado, PCC convoca integrantes para “alerta geral”
DOURADOS
Após invadir Ceim, dupla ameaça vigia de morte e rouba equipamentos
TENSÃO EM MS
Presos tentam impedir pente-fino na PED, mas agentes fazem ‘limpa’