Menu
Busca quarta, 17 de julho de 2019
(67) 9860-3221
FERIADO DE FINADOS

Vai viajar com a família? Tire as dúvidas sobre o uso da cadeirinha

02 novembro 2017 - 10h30

Um dos mais importantes avanços na legislação brasileira protetiva às crianças no trânsito é a Lei da Cadeirinha, de maio de 2010, que estabeleceu padrões de segurança para transporte de crianças menores de dez anos.

A legislação determinou o uso obrigatório de bebê-conforto, poltrona de elevação (cadeirinha) e assento de elevação para o transporte de crianças no carro de acordo com a idade, porém, muitos condutores ainda colocam em risco a vida de crianças pequenas ao transportá-las sem o equipamento.

Segundo a organização não-governamental Criança Segura, de 2001 a 2015, o número de mortes de crianças no trânsito caiu 42%.

Apenas de 2014 para 2015, esse número apresentou uma redução de 16,02%. Entretanto, apesar da grande diminuição, essa continua sendo a principal causa de morte acidental entre pessoas de zero a 14 anos no Brasil.

Especialistas afirmam que o uso dos dispositivos de segurança reduz em cerca de 70% as mortes ou lesões graves de crianças.

“É fundamental o uso adequado dos equipamentos de segurança seguindo as instruções corretas de instalação e tipo referente a cada idade. É mais do que provado que a cadeirinha pode salvar vidas e também minimiza a consequência do acidente na criança”, afirma a diretora de Educação para o Trânsito do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MS), Marlene Alves Nogueira Rondom.

Confira as regras para cada idade

A regra do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) sobre cadeirinhas utiliza faixas etárias para indicar o equipamento mais adequado:

Até 1 Ano de idade – dispositivo de retenção (bebê-conforto ou “conversível”), fixado no banco traseiro do veículo, de costas para o motorista, posicionado num ângulo de 45°.

De 1 a 4 anos de idade – cadeirinha, fixada no banco traseiro do veículo, virada de frente para o motorista.

De 4 a 7 anos e meio de idade – assento de elevação, no banco traseiro, permitindo o posicionamento correto do cinto de três pontos sobre o peito e os quadris da criança.

De 7 anos e meio a 10 anos de idade – cinto de segurança de três pontos, posicionado na altura do peito e dos quadris da criança, no banco traseiro. As costas devem estar apoiadas no encosto.
Infração

Quem for pego sem o dispositivo terá de pagar uma multa de R$ 293,47 (infração gravíssima) e perderá 7 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH), além da apreensão do veículo para regularização.

Deixe seu Comentário

Leia Também

OUVIDORIA
TRE-MS implanta novo sistema para registrar reclamações
PROPOSTA
Projeto quer tornar terrenos baldios em hortas em Dourados
EXECUÇÃO
Homem considerado "braço direito" de Liko'i foi morto com 11 tiros
SAÚDE
Quanto tempo é normal ficar sem ir ao banheiro? Especialista explica
FRONTEIRA
Corpo em decomposição é encontrado em fazenda
REPERCUSSÃO
PDT suspende deputados que votaram a favor da reforma da Previdência
MODA E CIA
10 looks para você colocar a calça jeans para jogo no trabalho
ESPORTE
Time de futebol americano seleciona novos jogadores em Dourados
ARQUITETURA
Mesa de estudo para quarto: como escolher, dicas e fotos
BR-463
Paranaense é preso com cocaína escondida em fundo falso de veículo

Mais Lidas

DOURADOS
Coordenadora de Ceim é exonerada e pais fazem abaixo-assinado para tentar mantê-la
DOURADOS
Upiran entrega carta de demissão a Délia e aguarda substituto para deixar Educação
POLÍCIA
Investigação vê indícios de relação entre homicídios no Jardim Pantanal e Guanabara
DOURADOS
Assassinado em conveniência já cumpriu pena por tráfico e lavagem de dinheiro