Menu
Busca sábado, 21 de julho de 2018
(67) 9860-3221
FERIADO DE FINADOS

Vai viajar com a família? Tire as dúvidas sobre o uso da cadeirinha

02 novembro 2017 - 10h30

Um dos mais importantes avanços na legislação brasileira protetiva às crianças no trânsito é a Lei da Cadeirinha, de maio de 2010, que estabeleceu padrões de segurança para transporte de crianças menores de dez anos.

A legislação determinou o uso obrigatório de bebê-conforto, poltrona de elevação (cadeirinha) e assento de elevação para o transporte de crianças no carro de acordo com a idade, porém, muitos condutores ainda colocam em risco a vida de crianças pequenas ao transportá-las sem o equipamento.

Segundo a organização não-governamental Criança Segura, de 2001 a 2015, o número de mortes de crianças no trânsito caiu 42%.

Apenas de 2014 para 2015, esse número apresentou uma redução de 16,02%. Entretanto, apesar da grande diminuição, essa continua sendo a principal causa de morte acidental entre pessoas de zero a 14 anos no Brasil.

Especialistas afirmam que o uso dos dispositivos de segurança reduz em cerca de 70% as mortes ou lesões graves de crianças.

“É fundamental o uso adequado dos equipamentos de segurança seguindo as instruções corretas de instalação e tipo referente a cada idade. É mais do que provado que a cadeirinha pode salvar vidas e também minimiza a consequência do acidente na criança”, afirma a diretora de Educação para o Trânsito do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MS), Marlene Alves Nogueira Rondom.

Confira as regras para cada idade

A regra do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) sobre cadeirinhas utiliza faixas etárias para indicar o equipamento mais adequado:

Até 1 Ano de idade – dispositivo de retenção (bebê-conforto ou “conversível”), fixado no banco traseiro do veículo, de costas para o motorista, posicionado num ângulo de 45°.

De 1 a 4 anos de idade – cadeirinha, fixada no banco traseiro do veículo, virada de frente para o motorista.

De 4 a 7 anos e meio de idade – assento de elevação, no banco traseiro, permitindo o posicionamento correto do cinto de três pontos sobre o peito e os quadris da criança.

De 7 anos e meio a 10 anos de idade – cinto de segurança de três pontos, posicionado na altura do peito e dos quadris da criança, no banco traseiro. As costas devem estar apoiadas no encosto.
Infração

Quem for pego sem o dispositivo terá de pagar uma multa de R$ 293,47 (infração gravíssima) e perderá 7 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH), além da apreensão do veículo para regularização.

Deixe seu Comentário

Leia Também

UAU
Dany Bananinha exibe suas curvas na ilha de Fernando de Noronha
DOIS IRMÃOS DO BURITI
Detentos tiram fotos e atualizam Facebook de dentro de presídio
MEDIDA PROVISÓRIA
Governo Federal cria fundo nacional de desenvolvimento ferroviário
ECONOMIA
Preço da gasolina sobe após 6 semanas seguidas de queda, diz ANP
ECONOMIA
Prazo para atualização do Cadastro Único é prorrogado até 17 de agosto
TRÊS LAGOAS
Retirada da carreta que tombou na BR-158 demorou mais de 5 horas
TECNOLOGIA
Whatsapp anuncia testes contra disseminação de fake news
NOVA ANDRADINA
Taxista tenta desviar de buraco e capota veículo na MS-134
ELEIÇÕES 2018
Solidariedade ameaça deixar 'Blocão' após se aproximar de Alckmin
BOAS PRÁTICAS
Grupo de Brasília visita o HU de Dourados e conhece assistência a indígenas

Mais Lidas

ALBINO COM A JOAQUIM
Músico morre quatro dias após acidente no Centro de Dourados
LAMA ASFÁLTICA
Puccinelli, filho e advogado são presos na Capital
DOURADOS
Vereador é assaltado por dupla armada ao chegar em casa
CAARAPÓ
Ação conjunta prende trio suspeito de roubo a joalheria