Menu
Busca quinta, 20 de setembro de 2018
(67) 9860-3221
JUSTIÇA

Tribunal de Justiça abre amanhã o mutirão carcerário em MS

21 junho 2015 - 10h37

A partir desta segunda-feira, dia 22 de junho, até o dia 10 de julho, o Poder Judiciário de Mato Grosso do Sul realizará a edição 2015 do Mutirão Carcerário. O Provimento nº 345 que disciplina as atividades do mutirão carcerário em todo o Estado está publicado no Diário da Justiça do dia 11 de maio.

O juiz Albino Coimbra Neto será o coordenador-geral e os juízes Thiago Nagasawa Tanaka, Fernando Chemin Cury e Eguiliell Ricardo da Silva, indicados pela Coordenadoria das Varas de Execução Penal (COVEP), também participarão do mutirão carcerário, sem prejuízo de suas funções jurisdicionais.

Assim, o esforço concentrado envolverá a Vara Criminal de Aquidauana e a 3ª Vara Criminal de Dourados para reexame de todos os processos de presos provisórios, processos de presos condenados – definitivos ou provisórios – dos regimes fechado, semiaberto e aberto. No último caso, será decidida a possibilidade ou não de concessão de benefícios da Lei de Execuções Penais (Lei nº 7.210/1984).

Além das comarcas de Aquidauana e Dourados, todas as varas criminais do Estado participarão para o reexame dos processos de presos provisórios. Importante ressaltar que não estão no mutirão processos de apenados foragidos, em livramento condicional, prisão domiciliar, com medidas de segurança e penas não privativas de liberdade.

Segundo o provimento, a partir do dia 2 de junho os processos de execução criminal serão remetidos eletronicamente para triagem, onde serão examinados pela equipe designada para os trabalhos. O reexame dos processos com presos provisórios será realizado pelo juiz da causa, nas comarcas em que os feitos tramitam.

Entre os objetivos do mutirão estão inspecionar estabelecimentos penais e delegacias de polícia que mantêm presos; identificar presos estrangeiros, possibilitando medidas pertinentes não só aos benefícios penais, mas ao cumprimento da pena no país de origem; identificar e apontar eventuais fragilidades de segurança do sistema penitenciário, assim como facções criminosas; adotar providências para o recambiamento de presos, nos termos do projeto coordenado pelo CNJ e o Ministério da Justiça.

Não serão designados assessores para auxiliar os trabalhos do mutirão, portanto, caberá aos juízes monitorar as ações do projeto Começar de Novo e outras propostas locais, estabelecendo novas parcerias e adotando ações que visem à reinserção social e a proteção social às famílias dos presos, inclusive com emissão de documentos pessoais.

O TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) enviará cópia do provimento à OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional de Mato Grosso do Sul), solicitando que os advogados peticionem nos autos até o dia 12 de junho. Também receberão cópia do provimento o Ministério Público, a Defensoria Pública e a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SHOWBIZ
Apresentadora Rafa Brites exibe barriga chapada em viagem na Bahia
COXIM
Adolescente é esfaqueado pelo próprio irmão e mãe assume o crime
PARANÁ
STJ tira de Sérgio Moro investigação sobre ex-governador Beto Richa
TRÁFICO
Polícia apreende 503 quilos de maconha em veículo na BR-267
INVESTIMENTOS
MEC libera R$ 21 milhões a instituições federais de Mato Grosso do Sul
UEMS
Campanha 'Setembro Amarelo' promove palestras na segunda-feira
EMPREGO
Governo lança consulta para ouvir sociedade sobre futuro do trabalho
FISCALIZAÇÃO
Agência interdita sete aeronaves de MS por irregularidade
COMBUSTÍVEL
Preço do GLP industrial terá aumento de 5% a partir de amanhã
AVALIAÇÃO
Juiz autoriza laudo de sanidade mental para agressor de Bolsonaro

Mais Lidas

DOURADOS
Colisão frontal mata passageiro de caminhonete e deixa três pessoas feridas
DOURADOS
Homem esfaqueado pelo filho morre no Hospital da Vida
BR-163
Acidente envolvendo caminhão e caminhonete deixa dois em estado grave e um morto
DOURADOS
Ladrão é amarrado por populares após tentar roubar bolsa de mulher