Menu
Busca quinta, 18 de julho de 2019
(67) 9860-3221
FLAGRANTE

Agentes penitenciários encontram 86 porções de droga arremessadas pela muralha de presídio

04 julho 2015 - 07h15

Agentes penitenciários do Estabelecimento Penal de Jair Ferreira de Carvalho (EPJFC), o Segurança Máxima da Capital, flagraram na manhã de sexta-feira (3), durante verificação de rotina, 86 porções de maconha nos fundos do pavilhão 1, próximo à linha de tiro, provavelmente arremessados pela muralha.

Ontem, os servidores da Máxima localizaram seis aparelhos celulares, chips e carregadores durante vistoria em celas dos pavilhões 1 e 6.

Na manhã de quarta-feira (1º), o flagrante também ocorreu nos fundos do Pavilhão 1, sendo interceptados cinco aparelhos celulares, quatro chips, 12 fones de ouvido e quatro carregadores para celular, além de três tabletes de maconha.

O trabalho de vistoria em pavilhões, celas e entornos das áreas internas é realizado diariamente em presídios de todo o estado, segundo o diretor-presidente da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário, Ailton Stropa Garcia, no sentido de impedir por parte dos detentos o uso de equipamentos e substâncias proibidas. “É uma batalha constante e demonstra a honestidade da maior parte dos nossos servidores, que estão empenhados nesta missão”, ressalta.

Centro Penal da Gameleira

Outras apreensões foram registradas, na última quarta-feira (1º), no Centro Penal Agroindustrial da Gameleira, unidade penal masculina de regime semiaberto. No total, foram encontrados 308g de maconha em duas celas da unidade prisional, que estavam “camufladas” nas paredes dos banheiros e, graças a experiência dos profissionais, puderam ser localizadas. Dois internos admitiram a propriedade da droga e foram indiciados.


No dia anterior, os agentes haviam encontrado várias porções de maconha e cocaína no pavilhão “D”; a maior parte da droga estava sobre o telhado do presídio, provavelmente arremessada pelo lado de fora das dependências da unidade prisional. Com a vistoria, os agentes também apreenderam seis aparelhos celulares e carregadores.

Interior

Em Ponta Porã, na Unidade Penal Ricardo Brandão, foram encontrados 240 gramas de maconha próximo ao muro do presídio na manhã desta sexta-feira. A apreensão contou com o apoio da Polícia Militar, responsável pela guarda das muralhas.

No Estabelecimento Penal Feminino de São Gabriel do Oeste , em vistoria de rotina realizada pelas agentes plantonistas, foi encontrado, junto ao muro dos fundos, um saco plástico contendo uma pequena quantidade de maconha. Não foi possível identificar o responsável pelo entorpecente.

Já em Dourados, no Estabelecimento Penal de Regimes Semiaberto e Aberto, os servidores da Agepen realizaram esta semana três flagrantes em internos que retornavam para o pernoite portando drogas. Em um dos casos, o interno colocou com fita adesiva 109 gramas de maconha na axila esquerda; nos outros dois os detentos estavam com a droga escondida nas meias, totalizando 169 gramas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍTICA
Marun anuncia Puccinelli à disputa ao Governo em 2022
DOURADOS
Fundação contratada por R$ 243 mil apresenta Plano de Arborização Urbana
FRONTEIRA
Pistoleiros são presos após executarem homem a tiros
FUTEBOL
Série B do Brasileirão tem um jogo marcado para hoje
DOURADOS
"Pirão do Bem" acontece neste sábado no Rotary Guaicurus
DANOS MORAIS
Acusada por furto que não cometeu será indenizada em R$ 15 mil por supermercado
DOURADOS
Reunião na Câmara discutirá meio de reverter corte em obra do aeroporto
ADEQUAÇÃO
Lei que proíbe canudos plásticos em MS é sancionada
BRASIL
Índice de confiança do empresário cresce pelo segundo mês consecutivo
NORTE DE MS
Homem é encontrado morto no meio da rua e suspeita é de hipotermia

Mais Lidas

DOURADOS
Execução de comerciante douradense foi “comemorada” com tiros em bairro da periferia
DOURADOS
Indígenas invadem propriedade e atacam policiais com flechas e coquetel molotov
DINHEIRO NOVO
Governo deve anunciar ainda esta semana a liberação de saques do FGTS
POLÍCIA
Polícia prende ladrão de moto e descobre ‘boca de fumo’ no Dioclécio Artuzi