Menu
Busca sexta, 20 de julho de 2018
(67) 9860-3221
BRASIL

Senador do PSDB deixa CPI da JBS após Marun ser escolhido relator

12 setembro 2017 - 17h20

O senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) deixou nesta terça-feira (12) a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito da JBS após o deputado Carlos Marun (PMDB-MS) ser escolhido relator dos trabalhos da CPMI.
Marun integra a chamada "tropa de choque" do presidente Michel Temer no Congresso Nacional e, na avaliação de Ferraço, a escolha de um aliado de Temer para a relatoria mostra ser "evidente" que a CPI terá investigação "parcial".

"As evidências são de que essa CPI não quer investigar coisa alguma. Essa CPI quer fazer acerto de contas. Existem crimes gravíssimos que precisam ser investigados com firmeza, rigor, mas com imparcialidade e isenção. Na medida que você coloca chefe de tropa de choque para fazer isso ou aquilo, fica evidente que essa será uma investigação parcial e eu não participo disse, por isso pedi o afastamento", disse Ferraço ao explicar a decisão.

A CPMI foi instalada na semana passada e terá como foco investigações sobre empréstimos obtidos pelo grupo J&F, que controla a JBS, junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O que diz Marun

Marun disse não se sentir constrangido em ser o relator da CPMI pelo fato de ser aliado de Michel Temer.

O presidente passou a ser investigado no Supremo Tribunal Federal após os delatores da J&F entregarem informações sobre ele ao Ministério Público Federal - Temer nega todas as acusações.

A jornalistas, Marun afirmou não querer a "espetacularização" da CPI nem a transformação dos trabalhos da comissão em "palanque eleitoral".

"Se a minha nomeação como relator gerou descontentamento, espero que minha atuação não produza descontentamento. A atitude do senador Ferraço é uma atitude tão baixa. O senador Ferraço não me conhece como eu não o conheço. Eu gostaria de saber qual é a atitude que eu tomei fora da legalidade, fora da retidão [...] Se for por questão de honestidade, eu posso dar aula ao senador Ferraço", disse.

"Ele [Ferraço] pode ser no máximo tão honesto quanto eu. Mais honesto que eu ele não é. Sua atitude é indigna de quem se diz democrata [...]. Esse tipo de gente acaba não fazendo falta em uma CPI na qual é exigida coragem", acrescentou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

LAMA ASFÁLTICA
PF diz que prisão foi baseada em novas provas contra Puccinelli
POLÍTICA
PSC muda planos e procurador pode disputar governo de MS
ESTADO
Resolução aprova projeto de curso técnico em Hospedagem para escolas da Rede Estadual
CRIME AMBIENTAL
Caçador é preso com armas e munições ilegais
OPORTUNIDADE
Faculdades do Senai da Capital e Dourados encerram segunda as inscrições do vestibular de inverno
POSSE
MPT-MS tem novo procurador Regional do Trabalho
PROMOÇÃO
Rotary Guaicurus realiza 9º “pirão do bem” em Dourados
PREVISÃO
Seco, final de semana em Dourados deve ser de sol com temperaturas amenas
IVINHEMA
MPE recomenda medidas para suprir falta de livros em escola estadual
CAMPO GRANDE
Prisão de Puccinelli é preventiva por desdobramento da 'Papiros de Lama'

Mais Lidas

DOURADOS
Ladrões levaram mais de R$ 1,5 mil em assalto a padaria
DOURADOS
Polícia prende trio acusado de assaltar padaria no III Plano
OPERAÇÃO ECHELON
Facção tem "casa de apoio" para presos em MS
MS-156
Traficantes abandonam caminhonete com mais de 1t de maconha