Menu
Busca quinta, 14 de novembro de 2019
(67) 9860-3221
JUSTIÇA

Semana da Conciliação começa no início de novembro

19 outubro 2019 - 10h45Por Da Redação

Será realizada no período de 4 a 8 de novembro a 14ª Semana Nacional de Conciliação, com o objetivo de mobilizar operadores do direito e a sociedade para disseminar a conscientização e a cultura conciliatória como mecanismo eficiente para efetiva prestação jurisdicional. No Poder Judiciário de Mato Grosso do Sul a ação será de responsabilidade do coordenador de Conciliação do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (Nupemec), Des. Vladimir Abreu da Silva, e do juiz Cezar Luiz Miozzo.

Participarão da ação todas as comarcas e varas do Estado que permitam a conciliação e, em segundo grau de jurisdição, os desembargadores que decidirem aderir ao movimento podem participar, mediante comunicação à comissão coordenadora.

Os interessados na inclusão do processo na Semana de Conciliação podem requerer junto ao cartório até o dia 19 de outubro, para que este providencie as intimações necessárias depois de designada a audiência pelo juiz. O pedido de inclusão do processo na pauta de conciliação poderá ser feito posteriormente a esta data, até o início da mobilização, desde que as partes e seus advogados se comprometam a comparecer à audiência, independentemente de intimação.

As ações com audiências designadas para a Semana da Conciliação serão selecionadas pelos magistrados. A parte também poderá requerer a inclusão de seu processo na Semana da Conciliação por meio da página eletrônica do Tribunal de Justiça, no banner disponibilizado no Portal do TJMS.

Nas causas patrocinadas pela Defensoria Pública e naquelas em que há intervenção do Ministério Público, as audiências deverão ser agendadas de modo a viabilizar a presença do Defensor Público e do representante do Ministério Público, tanto no primeiro como no segundo grau.

Saiba mais – Incluída no Código de Processo Civil de 2015 como etapa processual obrigatória, a solução de conflitos pela via da conciliação dispensa a atuação imediata de advogados e do juiz, que apenas valida formalmente os acordos negociados entre as partes.

A conciliação pode ser utilizada em quase todos os casos: pensão alimentícia, divórcio, desapropriação, inventário, partilha, guarda de menores, acidentes de trânsito, dívidas em bancos e financeiras e problemas de condomínio, entre vários outros. Exceção para casos que envolvam crimes contra a vida (homicídios, por exemplo) e situações previstas na Lei Maria da Penha.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAPITAN BADO
Testemunhas escutam tiros e encontram homem executado na fronteira
IMORTAL
Sul-maro-grossense é indicado para Academia Brasileira de Educação Física
BODOQUENA
Homem é preso acusado de estuprar a filha da enteada
CESSÃO ONEROSA
Municípios vão receber dinheiro do leilão do pré-sal até 27 de dezembro
CAPITAL
Responsável por atropelamento com morte se apresenta e fica livre
UEMS
Inscrições ao Mestrado Acadêmico em Letras terminam na próxima semana
CAPITAL
Mulher joga copo de vidro na testa de ex-marido após crise de ciúmes
PROTESTOS
fronteira do Brasil com Bolívia em Corumbá é reaberta após 21 dias
AQUIDAUANA
Pai denuncia escola após filho ser impedido de usar banheiro e defecar na roupa
JUSTIÇA
Concessionária deve indenizar cliente por emplacamento incorreto

Mais Lidas

DOURADOS
Encontrado morto na PED dividia cela com 18 internos em ala comandada por facção
TRÂNSITO
Bêbado invade preferencial e deixa família ferida em Dourados
ENCOMENDADA
Quadrilha desarticulada tinha ordem de facção para roubar seis motos em Dourados
PURIFICAÇÃO
Preso, ex-secretário de Saúde é exonerado do cargo de coordenador do Samu