Menu
Busca segunda, 20 de maio de 2019
(67) 9860-3221
SAÚDE PÚBLICA

Secretário diz que Estado não é responsável por paralisação de obras do Regional de Três Lagoas

15 maio 2019 - 08h26Por Da Redação

O secretário de Estado de Saúde Geraldo Resende disse, na tarde desta terça-feira (14) que o governo do Estado não é responsável pelo atraso no pagamento de salários dos trabalhadores do canteiro de obras do Hospital Regional de Três Lagoas.

Geraldo Resende confirmou que houve atraso no repasse de recursos para a Sial, empresa responsável pelas obras de construção do Hospital Regional de Três Lagoas. Mas isso se deveu à demora, pela empreiteira, na entrega de documentos à Secretaria de Estado de Infraestrutura de Mato Grosso do Sul (Seinfra) para a renovação do contrato com o governo do Estado.

“Houve um pequeno atraso porque o Estado não podia efetuar pagamentos, devido à cessação do contrato. A empresa demorou em entregar os documentos para a renovação e isso impediu o repasse dos recursos”, confirmou Geraldo Resende. A prorrogação do convênio somente foi publicada no Diário Oficial no último dia 6 de maio.

O secretário explicou ainda que foi efetuada uma medição na obra com data de 10 de maio, no valor de R$ 1.090.000,00, dos quais, R$ 537 mil são recursos oriundos do BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social e R$ 553 mil dos cofres do Tesouro Estadual.

O BNDES tem a prerrogativa de vistoriar o canteiro de obras para conferir a medição. “Após a medição, o Estado tem um prazo de 30 dias para efetuar o pagamento”, salienta Geraldo Resende, que informou ainda a existência de duas outras medições na Seinfra, para lançamento.

 “Estamos tentando um contato com a empreiteira para construirmos a possibilidade de resolver o problema dos repasses dos trabalhadores com a maior brevidade possível, para que as obras sejam retomadas o quanto antes”, finalizou Geraldo Resende.

Paralisação

Segundo informações extraoficiais, um grupo de aproximadamente 100 operários resolveu entrar em greve na manhã desta terça-feira porque não teria  recebido o pagamento de seus salários no quinto dia útil de maio, que caiu no dia 8 passado. Segundo essas informações, esses funcionários são contratados por uma empresa que é subcontratada da Sial – a qual não estaria efetuando os repasses há cerca de três meses.

“O governo tem um contrato com a empresa Sial e se esta não está honrando seus compromissos com suas subcontratadas, o Estado não é responsável por isso”, salientou Geraldo Resende. “Entramos em contato com a empreiteira, cobrando o pagamento dos salários dos trabalhadores com a maior brevidade possível, para que as obras sejam retomadas o quanto antes”, concluiu.

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Governo está aberto a mudanças na reforma da Previdência, diz relator
AO VIVO
Câmara julga denúncia de quebra de decoro parlamentar contra Idenor Machado; assista
TRÁFICO
Morador em Rondônia é preso na BR-463 com mais de 600kg de maconha
CAMPO GRANDE
Servidor público é alvo de golpe e criminosos fazem empréstimo de R$ 77 mil
FAMOSOS
Após troca de farpas, Anitta diz: "Não tenho tempo para assistir Sonia Abrão"
EDUCAÇÃO
Em MS 95 mil estudantes se inscreveram para o Enem
DOURADOS
Brigada realizará Páscoa dos Militares com celebrações religiosas
RESSOCIALIZAÇÃO
Blocos de cimento fabricados em presídio vão garantir calçamento a bairros de Aquidauana
PRESSÃO
Bolsonaro diz que sem reforma, faltará dinheiro para salários em 2024
EDUCAÇÃO
IFMS abrirá 80 vagas para cursos de graduação no 2º semestre

Mais Lidas

DOURADOS
Mulheres são presas ao tentar levar droga para maridos na PED
RODOVIÁRIA
Mulher é presa em Dourados com maconha que seria entregue no RS
DOURADOS
Guarda flagra adolescentes bebendo vodka durante a madrugada no Centro
EDUCAÇÃO
Inscrições do Encceja 2019 começam nesta segunda-feira