Menu
Busca terça, 18 de setembro de 2018
(67) 9860-3221
CONSUMIDOR

Reunião debate diferença de preços nos postos da Capital e interior

12 julho 2018 - 08h49Por Da redação

Reunião ococrrida na quarta-feira (11/7) envolvendo representantes do Ministério Público Estadual, das Distribuidoras de Combustíveis em MS, Procon’s, Defensoria Pública, Sefaz (Secretaria de Estado de Fazenda), Decon (Delegacia de Defesa do Consumidor), e Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Mato Grosso do Sul (OAB/MS) discutiu a diferenciação de preços entre os postos da Capital e do interior.

A reunião tratou de várias questões dentre elas: por que a nota fiscal fornecida aos postos revendedores não discrimina a redução dos R$ 0,46 e os valores do ICMS; por que as Distribuidoras monitoram, semanalmente, os preços de venda dos postos, teria o propósito de estipular ou manipular os preços; como funciona a verticalização; e quais distribuidoras possuem postos de vendas.

O representante da Distribuidora BR disse que a diferença de preço nos Municípios do interior é decorrente da livre concorrência e quem determina a decisão final do valor é o revendedor.

Já o representante da Distribuidora TAG, justificou que a empresa precisa de remuneração e tem que trabalhar com as margens diferenciadas, visto que a margem de uma cidade do interior é distinta da capital, e que também estão dando desconto maior do que o Governo estabeleceu.

Na ocasião, a representante do Procon de Campo Grande, Rosimeire Cecília da Costa, questionou sobre o lançamento do aplicativo que apresenta os menores preços de produtos, inclusive de combustíveis. O representante da Sefaz, Mário Roberto Ferreira da Silva, disse que o aplicativo já está pronto e apenas depende da autorização do Governo do Estado para entrar em funcionamento.

O Procurador de Justiça e Coordenador do CAOPJCon, Aroldo José de Lima, ressaltou que o propósito do Sistema Estadual de Defesa do Consumidor não é inviabilizar o negócio, mas exigir a transparência, e deseja ver um preço menor e mais justo para os postos de combustíveis do interior. Ele sugeriu ainda que sejam repassadas a nota de entrada na Distribuidora e a nota de saída; em relação à nota fiscal do consumidor, o Procon já tem acesso.

Ainda ontem, o Procon Estadual e o CAOPJCon oficiaram às Distribuidoras locais solicitando que apresentem as notas de entrada de combustível, referente a determinados períodos, emitidas pelas refinarias até o dia 20 deste mês, para fins de fiscalização.

Deixe seu Comentário

Leia Também

JUSTIÇA
Consumidor que fez “gato” em energia é condenado a pagar dívida
FRONTEIRA
Polícia prende dupla responsável por roubom de cerca de 15 motos
UFGD
Evento sobre prevenção ao suicídio acontece até segunda-feira
JUSTIÇA
PGR recorre contra decisão de Gilmar Mendes que soltou Beto Richa
CONCURSO
UEMS recebe inscrições para dois novos Processos Seletivos
ESPORTES
Hortência é eleita a melhor da história dos Mundiais de Basquete
PESQUISA IBOPE
Bolsonaro, 28%; Haddad, 19%; Ciro, 11%; Alckmin, 7%; Marina, 6%
PECULATO
Segunda Turma do STF absolve Renan Calheiros no caso Mônica Veloso
JARDIM
Revoltado com abordagem, motorista invoca Bolsonaro, xinga PM e é preso
TELEVISÃO
A nova temporada do reality show "A Fazenda" começa nesta terça-feira

Mais Lidas

DOURADOS
Homem encontrado na Marcelino morreu de causas naturais
FLAGRANTE
Mãe é presa na frente da filha traficando cocaína
DOURADOS
Corpo é encontrado na Marcelino Pires
MS-164
Trio é flagrado com mais de 1t de maconha no Copo Sujo