Menu
Busca sexta, 22 de fevereiro de 2019
(67) 9860-3221
TROCA DE IDEIAS

Renato Câmara se preocupa com o atendimento aos adolescentes caso maioridade penal seja reduzida

08 julho 2015 - 15h30

Com a tramitação, nas instâncias federais, da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que reduz maioridade penal de 18 para 16 anos, o deputado Renato Câmara (PMDB) se antecipa ao término das votações, e discute com o superintendente de Segurança Pública, Antônio Carlos Videira, maneiras de receber adequadamente os jovens que serão considerados maiores de idade perante a lei e que tenham de passar por alguma medida socioeducativa.

A maioridade penal aos 18 anos foi estabelecida na legislação brasileira em 1940 e regulamentada pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) em 1990. Se a PEC, que ainda está em tramitação na Câmara dos Deputados for aprovada no Senado, os adolescentes a partir dos 16 anos, que cometerem atos infracionais passam a receber as mesmas sanções e penalidades dos maiores de idade, em caso de crimes hediondos.

Preocupado com a maneira como os jovens serão recebidos pelo sistema, o deputado Renato Câmara procurou o superintendente de Segurança Pública do estado para discutir ações que tratem esses adolescentes de maneira adequada, “se a maioridade penal for reduzida, nosso estado precisa estar preparado para receber esses adolescestes. O relatório da PEC determina que os menores entre 16 e 17 anos, enquadrados na proposta, cumpram pena separados tanto dos maiores de 18 anos quanto daqueles que serão considerados menores, abaixo de 15 anos. Ou seja, não podem ir para as Uneis e muito menos para os presídios convencionais e nós não temos o espaço especial necessário para recebê-los. Precisamos começar a problematizar a maneira que esses jovens serão atendidos”.

Antônio Carlos Videira ressaltou a iniciativa do deputado, “tem iniciativas que precisam partir do poder legislativo. Temos que firmar parcerias para garantir bom atendimento e cumprir o papel de devolver à sociedade indivíduos melhores”.

Segundo dados da secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública, Mato Grosso do Sul tem 280 adolescentes em conflito com a lei e conta com dez unidades de internação, das quais três não funcionam plenamente.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PASSOU MAL
Atriz Fernanda Montenegro recebe alta de hospital no Rio
RIOS DE MS
Decreto é publicado e cota zero começa no ano que vem
DIVERSÃO
Jogos divertidos que melhor transitaram para o mundo virtual
DOURADOS
Pacientes ficam "reféns" de único mamógrafo no Centro de Atendimento à Mulher
PREVENÇÃO
Com distribuição de informativos e preservativos, SES reforça combate à aids durante carnaval
ESTADUAL
Sete e Operário de Dourados fazem clássico local no final de semana
MEDICINA
Chega ao Brasil uma nova vacina para meningite B
BRASIL
Confiança do consumidor recua 0,5 ponto em fevereiro
RIO DE JANEIRO
Belezas naturais e excelente gastronomia, conheça Nova Friburgo
SETE QUEDAS
Carro furtado é recuperado com mais de 300kg de maconha na MS-160

Mais Lidas

OPORTUNIDADE
Prorrogadas inscrições em processo seletivo para contratação de Assistentes de Atividades Educacionais
MAIS UM
Délia exonera secretário de Saúde e adjunta assume o posto
TURISMO
Deputado "mata" trabalho para passar nove dias em peregrinação
AMAMBAI
Homem mata a ex-mulher a facadas na frente dos sete filhos