Menu
Busca sábado, 19 de janeiro de 2019
(67) 9860-3221
CAMPO GRANDE

Procon constata abuso de preços nos postos de combustíveis

12 junho 2018 - 09h09

Após definir os preços máximos a serem praticados na venda de derivados de petróleo em Campo Grande com o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo e Lubrificantes MS (Sinpetro-MS), ao final da greve dos caminhoneiros, o Procon/MS (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor) iniciou fiscalização nos 153 estabelecimentos da Capital, com base em denúncias ou operações pontuais.

A ação do órgão ligado à Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast) é mais ampla, ao exigir da empresa as notas de entrada e saída dos combustíveis e cupons de revenda dos produtos ao consumidor, visando verificar  “se os preços praticados estão dentro de uma margem legal”, conforme explica o assessor jurídico Erivaldo Marques Pereira. Os postos têm 10 dias para apresentar a documentação.

“Estamos desenvolvendo duas frentes de trabalho com o propósito de autuar os estabelecimentos que estão descumprindo o acordo e apresentar à sociedade parâmetros de preços praticados pelos mesmos, por meio da fiscalização e uma pesquisa de valores feita na bomba”, diz. 

Consumidor deve denunciar

O Procon Estadual e o Sinpetro definiram que os postos de Campo Grande poderiam operar com o preço da gasolina com variação de R$ 4,19 a R$ 4,39, e o valor do etanol, de R$ 3,19 a R$ 3,29. Esses valores valem para as compras à vista ou no cartão de débito. A fiscalização em andamento foi iniciada no dia 1º de junho e aponta, após o auto de constatação feito em 29 dos 153 estabelecimentos, que ainda se pratica preços abusivos.

Um posto de combustíveis situado na avenida Mato Grosso, averiguado nessa segunda-feira (11.6) pelos fiscais do Procon, é exemplo do abuso praticado contra o consumidor. O litro da gasolina comum estava sendo vendido a R$ 4,499, e a aditiva, a R$ 4,689. Já o etanol, a R$ 3,395 (dentro da média estabelecida), e o óleo diesel, a R$ 4,175. Última pesquisa da Agência Nacional do Petróleo (ANP) apontou o preço médio do diesel em R$ 3,599 na Capital.

O assessor jurídico do Procon informa, ainda, que os postos que praticam irregularidades serão autuados administrativamente. Os estabelecimentos que não cumprirem o prazo – 10 dias – para apresentação das notas fiscais também serão punidos com multas. Erivaldo Pereira lembra que o consumidor deve denunciar os preços abusivos, apresentando o cupom de venda do combustível, pelo telefone 151 ou pelo Fale Conosco do site.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SHOWBIZZ
Cleo Pires arrasa de topless na praia e comenta o bronze: "torrada na foto"
SATURAÇÃO
Operação reforça abordagens a suspeitos e veículos na fronteira
JORNAL NACIONAL
Coaf aponta que Flávio Bolsonaro recebeu 48 depósitos suspeitos em 1 mês
IVINHEMA
Colisão envolvendo carreta e caminhão deixa motorista ferido
BALANÇA COMERCIAL
Com US$ 102 bi, agronegócio bate recorde de exportação em 2018
NOVA ANDRADINA
Polícia encontra 70 litros de cachaça artesanal com detentos em presídio
DE OLHO NO CÉU
Madrugada da próxima segunda-feira terá eclipse lunar total
CAMPO GRANDE
Ladrões são flagrados roubando telhado de empresa industrial
JUSTIÇA
Dois são condenados por falsificar documento para obter CNH
DE GRAÇA
Estão abertas as inscrições para aula de zumba na UFGD

Mais Lidas

POLÍCIA
Rapaz é preso acusado de realizar ‘disk-droga’ em Dourados
FAKE NEWS
Eleandro Passaia é chamado para depor em caso de morte de jogador Daniel
DOURADOS
Investigado por corrupção, Idenor Machado volta a ser preso
DOURADOS
Polícia não encontra e João Fava Neto é considerado foragido da Justiça