Menu
Busca segunda, 25 de março de 2019
(67) 9860-3221
DENÚNCIA

Policiais são condenados de 8 a 10 anos por concussão e sequestro

10 agosto 2018 - 14h35Por Da Redação

Nesta quinta-feira (09/08), os sete Policias Militares denunciados pelo Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul foram condenados pelos crimes de concussão e sequestro. As penas variam de 8 até 10 anos de prisão em regime fechado.

Na ocasião, em uma operação que contou com a participação do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), foram presos em flagrante dois policiais. Já no dia 05 de dezembro de 2017, o Juiz de Direito da Justiça Militar Estadual decretou a prisão preventiva dos outros Policiais Militares envolvidos nos crimes.

As penas são correspondentes aos crimes de sequestro e concussão, em razão da cobrança de propina para liberação de uma carga de cigarros contrabandeados e por terem restringido a liberdade de locomoção do motorista da carreta durante todo o dia.

O julgamento, com duração de aproximadamente três horas, foi presidido pelo Juiz de Direito auditor Alexandre Antunes da Silva, da Vara da Justiça Militar Estadual, e o MPMS foi representado pela Promotora de Justiça Tathiana Correa Pereira da Silva Façanha.

Operação

Outros policiais militares também foram alvo de complexa investigação desenvolvida pelo Ministério Público de Mato Grosso do Sul, por meio do Gaeco.

A operação “Oiketicus” foi deflagrada, na data de 16 de maio deste ano, quando o GAECO e a Corregedoria da Polícia Militar cumpriram 20 mandados de prisão preventiva, um mandado de prisão temporária e 45 mandados de busca e apreensão, expedidos pelo Juízo da Auditoria Militar.

Participaram da operação cerca de 125 Policiais Militares e 9 Promotores de Justiça. Os mandados tiveram como alvo as residências e locais de trabalhos de todos os investigados, distribuídos nos municípios de Campo Grande, Dourados, Jardim, Bela Vista, Bonito, Naviraí, Maracaju, Três Lagoas, Brasilândia, Mundo Novo, Nova Andradina, Boqueirão, Japorã, Guia Lopes, Ponta Porã e Corumbá.

As investigações do Gaeco visavam ao desbaratamento de organização criminosa composta por Policiais Militares que atuavam, primordialmente, na facilitação do contrabando de cigarros.

Deixe seu Comentário

Leia Também

UEMS
Curso de Libras Básico I abre inscrições nesta segunda-feira
JUSTIÇA
TRF-2 liberta segundo preso na operação que prendeu Temer
RIO NEGRO
Homem é assassinado com facada no peito durante briga em bar
INFORME PUBLICITÁRIO
Brasileiros rumo a Israel com foco em Agronegócio e Tecnologia
TEMPO
Segunda-feira de sol com algumas nuvens em Dourados; não chove
UAUUUUU!!
Anitta surge de tapa-sexo para divulgar novo álbum visual
LEGISLATIVO
Agenda: Capacitação, encontro de vereadoras e audiência pública movimentam semana
RESSOCIALIZAÇÃO
Com foco na psicologia, projeto prepara detentos para a liberdade
DIREITOS HUMANOS
Comissão debaterá Reforma da Previdência terça-feira no Senado
CONTRABANDO
Carro lotado de 'muamba' é apreendido na MS-276

Mais Lidas

TRÂNSITO
Homem morre após ser atropelado por motorista que fugiu do local do acidente
RIO BRILHANTE
Homem é assassinado após matar e comer galo do vizinho
CAMPO GRANDE
Sequestro termina com suspeito morto em troca de tiros com a polícia
DOURADOS
Mulher é presa tentando entrar na PED com drogas escondidas na vagina