Menu
Busca sexta, 24 de maio de 2019
(67) 9860-3221
CRIME AMBIENTAL

PMA multa proprietária rural e madeireira durante fiscalização

15 maio 2019 - 16h50Por Da Redação

Uma proprietária rural de Pedro Gomes foi autuada administrativamente e multada em R$ 19 mil, depois que a Polícia Militar Ambiental (PMA) constatou o desmate de 19 hectares em sua fazenda localizada em Coxim. Os policiais foram até a propriedade na tarde desta terça-feira (14.5), depois de serem acionados pelo Ministério Público Estadual (MPMS), no âmbito da Operação Cervo do Pantanal, que apura desmatamento no Estado.

De acordo com a PMA, com base na análise de imagens de satélite o MPMS detectou indícios de desmatamento na propriedade rural, que teria ocorrido entre 2013 e 2014. Chegando ao local, os policiais militares, com o uso de drone e GPS, constataram a destruição da vegetação em 19 hectares. A madeira extraída não estava mais lá e a área já estava coberta de pastagem para criação de gado.

A infratora, de 56 ano, não possuía autorização ambiental para a atividade e foi autuada administrativamente e multada em R$ 19.000,00. Ela também responderá por crime ambiental, que prevê pena de três a seis meses de detenção. Além disso, foi notificada a apresentar um Plano de Recuperação da Área Degradada e Alterada (PRADA) junto ao órgão ambiental estadual.

Madeira

Em Dois Irmãos do Buriti, durante fiscalização os policiais militares ambientais apreenderam um caminhão carregado de madeira que estava sendo transportada ilegalmente.

O caminhão carregava 25m³ de toras de madeira da espécie jatobá, que haviam sido embarcadas em uma fazenda e seguia para uma madeireira na cidade de Anastácio. No Documento de Origem Florestal (DOF), que é o documento ambiental para o transporte e armazenamento de qualquer produto florestal, constavam apenas 12 m³ de madeira e eram transportados excesso de 13 m³.

O caminhão e a madeira foram apreendidos e encaminhados à Delegacia de Polícia de Dois Irmão do Buriti. Os Policiais Militares Ambientais autuaram administrativamente a empresa madeireira infratora em R$ 7.500,00. A empresa está sediada em Anastácio e os responsáveis também responderão por crime ambiental. A pena para este crime é de seis meses a um ano de detenção.

Nesta quarta-feira (15.5), a equipe seguiu para a fazenda de onde estava saindo a madeira ilegal, para averiguar as licenças para a derrubada das árvores.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAMPO GRANDE
Teste físico para concurso da PM e Bombeiros será no domingo
FLAGRANTE
Funcionários de olaria são presos com rifles
A DONA DO PEDAÇO
Maria da Paz decide vender bolos na rua para sobreviver
MATO GROSSO DO SUL
Congresso Internacional debate pautas para próxima eleição
SENADO
Comissão analisa prioridade de matrícula para vítimas de violência doméstica
RURAL
Prorrogado prazo para cadastramento de áreas para plantio de milho em Mato Grosso do Sul
BRASIL
Bolsonaro diz que Câmara votará porte de arma para produtor rural
DOURADOS
Prevendo avanços, políticos conhecem Sisfron em Dourados
LOTERIA
Mega-Sena pode pagar R$ 3 milhões em sorteio amanhã
MAIS ALTA DO PAÍS
UFMS cobra R$ 7 mil para revalidar diploma estrangeiro e MPF quer diminuição do valor

Mais Lidas

DOURADOS
Preso em operação estava sob monitoramento por assalto
DOURADOS
Vereadora vai à delegacia e diz ser vítima de atentado
DOURADOS
Ciclista atropelado na Marcelino morre após meses de tratamento
DOURADOS
Preso é encontrado morto na PED em mesmo raio onde ocorreu pente-fino
Rapaz estava enforcado em uma das celas da unidade penal