Menu
Busca sexta, 19 de julho de 2019
(67) 9860-3221
NOVIDADES

Pesquisadores discutem empreendedorismo e inovação do jornalismo na internet

02 junho 2015 - 15h30

Assessoria

Na era da tecnologia, inovar tornou-se uma necessidade de sobrevivência no mercado, até mesmo no mercado de comunicação. Para o professor da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, Rosental Calmon Alves, “não é o fim dos meios de massa, mas a sobrevivência deles passa pelo empreendedorismo e inovação”. Alves está em Campo Grande para o Simpósio Internacional de Ciberjornalismo, que acontece até quarta-feira (03) na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). A sexta edição do evento traz o tema Performance em Ciberjornalismo: tecnologia, inovação e eficiência.

“Muitas empresas jornalísticas já tem mais leitores pelo celular que por outros meios”, ressalta o jornalista, que foi um dos precursores na migração do jornal impresso para a internet, quando trabalhava no Jornal do Brasil (JB). Mas, para ele estamos repetindo no celular os mesmos erros que cometemos na web no início da utilização da mídia digital, quando houve apenas a transposição do jornal impresso para a internet; a adequação do formato e utilização das ferramentas disponíveis aconteceu aos poucos.

Por isso, na opinião do professor, a pesquisa em Comunicação nunca foi tão importante como é no momento. “Não vale trazer os mesmos paradigmas da era industrial para agora”, destaca, lembrando que vivemos a era pós-industrial, a qual propiciou a extensão das nossas mentes.

Acompanhar a evolução dos meios tecnológicos pode ser visto como uma oportunidade ou desafio. “Vinte anos depois, ainda há quem veja a web como mais um meio de comunicação a somar-se aos outros ou simplesmente, a oferecer uma nova plataforma para os meios existentes”, diz o professor de Jornalismo Empreendedor, disciplina anexada ao currículo de várias universidades americanas.

Para finalizar, Alves destacou mais um ponto importante: “Estamos desestabilizando a programação da televisão. Não vamos mais marcar hora para a novela e a notícia”, disse ele para instigar o público, formado por estudantes e professores, a pensar nos rumos da informação na era digital.

A abertura do evento, que tem como parceiros a Fundação de Apoio ao Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul (Fundect) e o Governo do Estado, contou com a participação da diretora-científica da Fundect, Marilda Bruno, do subsecretário adjunto de Comunicação, Guilherme Lamenha, do diretor do Centro de Ciências Humanas e Sociais e do pró-reitor de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação da UFMS, Geraldo Vicente Martins e Jeovan de Carvalho Figueiredo, respectivamente, entre outros convidados.

Programação

O simpósio oferecerá, durante três dias, oficinas e palestras com professores de universidades brasileiras, de Portugal, Argentina e Espanha. A programação completa está disponível no site do evento [http://www.ciberjor.ufms.br/ciberjor6/programa/](http://www.ciberjor.ufms.br/ciberjor6/programa/).

Deixe seu Comentário

Leia Também

UAU!
Namorada de Enzo Celulari, Victória Bartelle se refresca em dia de sol
POLÍCIA
PF suspende inquéritos que usam dados do Coaf sem aval da Justiça
BRASIL
ANTT publica novas regras para cálculo do frete mínimo dos caminhoneiros
CORUMBÁ
Médico suspeito de cobrar por cirurgia no SUS é denunciado por abuso sexual
JUDICIÁRIO
Goleiro Bruno obtém progressão de pena para o regime semiaberto
TECNOLOGIA
UEMS oferece curso gratuito de informática básica em Dourados
SAPUCAIA
Motocicleta furtada é recuperada e condutor é preso por receptação
DESVIOS DA PETROBRAS
Ex-sanador Romero Jucá e Sérgio Machado viram réus na Lava Jato
ELDORADO
Falsa farmacêutica participava de campanhas e vacinava pacientes
JUDICIÁRIO
Vítima de agressões de ex-marido será indenizada por danos morais

Mais Lidas

FRONTEIRA
Pistoleiros são presos após executarem homem a tiros
FRONTEIRA
Suspeito de ter matado homem encontrado boiando em rio é preso
DOURADOS
Delegado encerra Inquérito e aguarda perícia para saber se tiro que matou bioquímico foi acidental
BR-163
Ponte sobre o Rio Dourados será parcialmente demolida em obra de R$ 3 milhões