Menu
Busca quinta, 21 de fevereiro de 2019
(67) 9860-3221
NO ACRE

País não vencerá a guerra contra o tráfico abandonando a fronteira, diz Azambuja

27 outubro 2017 - 18h20Por da Redação

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, sustentou a criação de um sistema único de segurança para resguardar os mais de 23 mil km de fronteira – MS tem limites internacionais com a Bolívia e o Paraguai por 1.517 km, dos quais 549 km de fronteira seca -, durante as discussões no Encontro de Governadores do Brasil pela Segurança e Controle das Fronteiras, realizado nesta sexta-feira (28.10), em Rio Branco, Acre.

Ao apoiar a decisão unânime dos governadores pela criação de um Fundo Nacional de Segurança Pública para financiar uma força-tarefa nas fronteiras, Reinaldo Azambuja reafirmou sua preocupação com o aumento do crime organizado nas cidades situadas nas linhas internacionais. A não presença das forças nacionais para reprimir o tráfico de drogas e armas e o contrabando, segundo ele, os estados não vencerão essa guerra.

“Em quase três anos, investimos mais que os outros governos em segurança pública, reaparelhando e modernizando nossas polícias e colocando mais policiais nas ruas. Contudo, sem a União assumindo seu papel constitucional na fronteira e uma integração com os estados e municípios, será difícil bloquear a entrada de ilícitos no Rio de Janeiro e outros grandes centros”, disse o governador. “Precisamos trabalhar integrados e com inteligência”, ponderou.

Para Reinaldo Azambuja, a criação do fundo é fundamental como instrumento de financiamento das estruturas de segurança pública, porém voltou a cobrar a presença da União no comando de uma ação integrada para combater as facções. “Só avançaremos com a formação de um núcleo central, de competência do governo federal. Enquanto a União empurrar essa responsabilidade aos estados, não conseguimos brindar a fronteira”, cobrou.

Realidade dramática


O encontro na capital acreana foi iniciado às 11h (horário MS), sem a presença do presidente da República, Michel Temer, que cancelou a viagem por problemas de saúde. Governadores de 20 estados e autoridades de todo o país se unem em uma só voz para buscar soluções no combate ao narcotráfico e pela defesa da segurança nacional. Assim como Reinaldo Azambuja, os demais governadores cobraram com veemência uma posição da União quanto ao controle das fronteiras.

“Acho que este encontro seja talvez a última oportunidade para que tenhamos, a partir de então, uma nova postura de segurança pública. Não estamos aqui para eleger culpados, nem corrigir o passado”, declarou Robinson Faria, governador do Rio Grande do Norte. O ministro da Justiça, Torquato Jardim, reconheceu que a questão do tráfico de drogas, que coloca o Brasil como segundo maior consumidor, “é dramática e precisa ser enfrentada”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
Guarda Mirim abre turma e recebe título de Utilidade Pública Estadual
MEC
Instituições federais de ensino de MS recebem R$ 2,61 milhões
LAVAGEM DE DINHEIRO
PGR mantém na 1ª instância inquérito sobre Flávio Bolsonaro
CAMPO GRANDE
Homem perde R$ 7 mil por pensar que esposa tivesse sido sequestrada
CRIME AMBIENTAL
Proprietário rural é autuado por desmatamento de vegetação nativa
NORMALIDADE
Problema é solucionado e atendimento no Detran volta a funcionar
CAMPO GRANDE
Menino atropelado por Van teve traumatismo craniano e respira por aparelhos
JUSTIÇA
TJ nega Habeas Corpus a acusado de estuprar filhas de 8 e 9 anos
DOURADOS
Casa da Cultura UEMS terá recital de violão e violino de graça
POLÍTICA
STF envia inquérito sobre caixa 2 de Onyx à Justiça Eleitoral

Mais Lidas

DOURADOS
Mulher que encomendou morte de marido é transferida para presídio
OPORTUNIDADE
Prorrogadas inscrições em processo seletivo para contratação de Assistentes de Atividades Educacionais
JARDIM PIRATININGA
Recém-nascida é encontrada sob tanque de lavar roupas em Dourados
DOURADOS
Investigado por estupro de enteadas, homem é preso com pornografia infantil no celular