Menu
Busca quinta, 17 de outubro de 2019
(67) 9860-3221
AMBIENTAL

Operação Corpus Christi começa com foco na repressão à pesca predatória

19 junho 2019 - 11h01Por Da Redação

A Polícia Militar Ambiental coloca a partir das 12h desta quarta-feira (19/6), 310 homens a campo em operação preventiva e repressiva aos crimes e infrações ambientais no Estado, a qual durará até 8h de segunda-feira (24). A Operação Corpus Christi objetiva colocar o efetivo nos rios, em barreiras nas estradas, fiscalização em propriedades rurais, em locais de belezas naturais de prática de turismo cênico e de recreio e outras variáveis de interesse ambiental, para prevenir e combater infrações e crimes que possam degradar esses recursos naturais.

Serão quatro dias de feriado, em razão de decretos de pontos facultativos para repartições públicas estaduais e também em vários municípios, o que exige uma fiscalização intensiva, especialmente relativamente à pesca predatória. A PMA possui 26 subunidades que estarão cuidando de suas respectivas áreas, colocando, inclusive, o efetivo administrativo a campo.

A sede (Campo Grande) estará com equipes itinerantes agindo em todo território do Estado. A PMA espera um grande fluxo de turistas locais e de outros Estados, em especial, para a prática de pesca. Portanto, a fiscalização será intensificada nos rios mais piscosos e atrativos para evitar a pesca predatória

DRONES

O uso de drone no monitoramento das áreas de rios onde estão os cardumes será intensificado, tendo em vista que essa tecnologia tem sido fundamental na prevenção e até na repressão à pesca predatória e a outros crimes no Estado. O uso desses aparelhos é importante, em virtude de que muitos pescadores que praticam pesca predatória possuem uma rede de informantes, para avisarem via telefone e, às vezes, até com fogos, quando os Policiais saem para a fiscalização nos rios, o que torna difícil a prisão dos infratores.

O uso das imagens dos drones, em alguns casos, permitirá a identificação dos elementos, mesmo que fujam, por características físicas pessoais e das embarcações utilizadas. Dessa forma, serão identificados e responderão por crime ambiental de pesca predatória. A pena para este crime é de um a três anos de detenção. Serão também multados administrativamente em valor de R$ 700,00 a R$ 100.000,00.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍTICA
Membros da Frente da Suinocultura tomam posse hoje na Assembleia de MS
BRASIL
Eduardo Bolsonaro é indicado novo líder do PSL na Câmara do Deputados
UEMS
Terminam hoje as inscrições do workshop “Redação de Patentes - Além dos Guias”
JUDICIÁRIO
Supremo julga nesta quinta-feira prisão após segunda instância
DINHEIRO NOVO
Pagamento do Pis/pasep aos nascidos em outubro começa nesta quinta
SÃO PAULO
Carreta carregada com material bélico do Exército tomba na divisa com MS
TEMPO
Quinta-feira de sol com aumento de nebulosidade em Dourados
INVESTIMENTO
MEC vai liberar mais R$ 43 milhões para 96 obras em universidades
UEMS
Semana Técnica de Computação acontece de 21 a 25 de outubro
SAÚDE
Senado aprova obrigação de exame em 30 dias para diagnóstico de câncer

Mais Lidas

POLÍCIA
Irmãos são detidos após polícia encontrar droga no Jardim Flórida
DOURADOS
Ciclista morre no HV após ser atropelado por ônibus
DOURADOS
UPA passa a atender apenas casos de urgência e emergência
EXPULSÃO
Chefão do narcotráfico é entregue à Polícia Federal brasileira