Menu
Busca domingo, 09 de dezembro de 2018
(67) 9860-3221
DEBATE

MS realiza o 1º encontro de trabalhadores indígenas em novembro

21 outubro 2017 - 17h42Por da Redação

A questão do índio no mundo do trabalho será tema central do primeiro encontro dos trabalhadores indígenas de Mato Grosso do Sul, que acontecerá nos dias 10 e 11 de novembro, em Campo Grande. A realização do evento é do Coletivo de Trabalhadores Indígenas de MS.,

O encontro tem como principal parceiro o Ministério Público do Trabalho (MPT) e será realizado nas dependências da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB).

Conforme o coordenador do Coletivo Indígena, José Carlos Pacheco, os temas do encontro são os seguintes: A Importância do trabalhador indígena no mercado de trabalho; Organização dos trabalhadores/as indígenas; Inserção dos indígenas no Mundo do Trabalho; Problemáticas e desafios; e a reforma trabalhista, entre outros assuntos inerentes a questão.

A coordenação do Coletivo está percorrendo as principais aldeias e comunidades indígenas do Estado para convidar e mostrar a importância do encontro. "Pela receptividade e a confiança conquistada junto às lideranças de todas as etnias, acreeditamos num encontro histórico em nosso Estado", afirma José Carlos.

O coordenador cita que uma das etnias que mais sofre é o povo kaiwoá guarani da região do Conesul (Dourados, Caarapó, Amambaí, Coronel Sapucaia e outras cidade adjacentes).

"Muitos  trabalhadores/as indígenas trabalham no emprego doméstico, no corte de cana nas usinas de álcool e açucar , carvoarias, colheita da mandioca, plantio de eucaliptos, fazendas  e até na  colheita da maçã fora de nosso Estado", diz, acrescentando que muitos empregadores exploram a mão de obra indígena sem as minímas  condições de trabalho e remuneração.

"São obrigados a trabalhar por baixa renumeração e muitos desses trabalhadores/as saem dessas frentes de trabalho  sem direito trabalhista, em  situação de trabalho escravo, que em alguns casos é comum, infelizmente,  em nosso estado do MS".

Sobre o Coletivo 

Criado em 2011, o Coletivo dos Trabalhadores e Trabalhadoras Indígenas do MS representa um avanço para a classe trabalhadora não apenas do Estado, mas também do Brasil. O principal objetivo do Coletivo é o debate da organização dos/as trabalhadores/as indígenas. "Queremos contribuir para que os diferentes segmentos de nosso contingente se conscientizem e se unam para que os anseios de  todos se tornem realidade", observa o coordenador do Coletivo.

Segundo informações de Pacheco, o MS possui a segunda maior população indígena do Brasil, com cerca de 80 mil índios, oriundos das etnias terena, kaiowá guarani, aticum,  kadiweu,  guató, kinikinaw, ofaié  e outros.

"Esta diversidade possibilita que a realização do 1º Encontro Estadual dos/as Trabalhadores/as Indígenas do MS", avalia o coordenador, citando a maioria está concentrada nas nas cidades de Miranda, Aquidauana, Anastácio, Dourados, Amambaí, Caarapó, Coronel Sapucaia, Paranhos e Campo Grande.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BANDEIRANTES
Veículo desgovernado invade canteiro de obras e mata trabalhador na BR-163
DOURADOS
Por força judicial, terceira sessão para definir Mesa Diretora da Câmara é cancelada
CONGRESSO
CPI dos Maus-tratos encerra trabalhos com propostas polêmicas
RORAIMA
Intervenção deverá valer a partir de amanhã até 31 de dezembro
Interventor prepara plano de ação a ser apresentado a Temer
CORUMBÁ
Mulher descobre traição e acaba agredida a pauladas pelo marido
SAÚDE
"Revolução sexual” contra impotência faz 20 anos em 2018
Médicos celebram disponibilidade de remédios para tratar disfunção
CAPITAL
Homem tem o carro incendiado após enteado pegar veículo sem autorização
PRESIDENTE ELEITO
Bolsonaro afirma que irá propor mudanças no sistema eleitoral no 1º semestre de 2019
LEVANTAMENTO
Brasil tem 5,2 milhões de crianças na extrema pobreza e 18,2 milhões na pobreza
ECONOMIA
Inflação cai ao menor nível desde 1994
Indicador fechou novembro com queda de 0,21%. Produtos importantes, como combustíveis, ficaram mais baratos

Mais Lidas

VIOLÊNCIA
Idosa é espancada, esfaqueada e vai parar na UTI após assalto em Dourados
DOURADOS
Vereadores voltam a “sumir” e eleição da Mesa da Câmara é adiada mais uma vez
DOURADOS
Presos na Cifra Negra devem ser transferidos ainda hoje à PED e delação não é descartada
DOURADOS
Polícia cumpre todos os mandados de prisão em ação que investiga corrupção na Câmara