Menu
Busca quinta, 18 de outubro de 2018
(67) 9860-3221
DEBATE

MS realiza o 1º encontro de trabalhadores indígenas em novembro

21 outubro 2017 - 17h42Por da Redação

A questão do índio no mundo do trabalho será tema central do primeiro encontro dos trabalhadores indígenas de Mato Grosso do Sul, que acontecerá nos dias 10 e 11 de novembro, em Campo Grande. A realização do evento é do Coletivo de Trabalhadores Indígenas de MS.,

O encontro tem como principal parceiro o Ministério Público do Trabalho (MPT) e será realizado nas dependências da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB).

Conforme o coordenador do Coletivo Indígena, José Carlos Pacheco, os temas do encontro são os seguintes: A Importância do trabalhador indígena no mercado de trabalho; Organização dos trabalhadores/as indígenas; Inserção dos indígenas no Mundo do Trabalho; Problemáticas e desafios; e a reforma trabalhista, entre outros assuntos inerentes a questão.

A coordenação do Coletivo está percorrendo as principais aldeias e comunidades indígenas do Estado para convidar e mostrar a importância do encontro. "Pela receptividade e a confiança conquistada junto às lideranças de todas as etnias, acreeditamos num encontro histórico em nosso Estado", afirma José Carlos.

O coordenador cita que uma das etnias que mais sofre é o povo kaiwoá guarani da região do Conesul (Dourados, Caarapó, Amambaí, Coronel Sapucaia e outras cidade adjacentes).

"Muitos  trabalhadores/as indígenas trabalham no emprego doméstico, no corte de cana nas usinas de álcool e açucar , carvoarias, colheita da mandioca, plantio de eucaliptos, fazendas  e até na  colheita da maçã fora de nosso Estado", diz, acrescentando que muitos empregadores exploram a mão de obra indígena sem as minímas  condições de trabalho e remuneração.

"São obrigados a trabalhar por baixa renumeração e muitos desses trabalhadores/as saem dessas frentes de trabalho  sem direito trabalhista, em  situação de trabalho escravo, que em alguns casos é comum, infelizmente,  em nosso estado do MS".

Sobre o Coletivo 

Criado em 2011, o Coletivo dos Trabalhadores e Trabalhadoras Indígenas do MS representa um avanço para a classe trabalhadora não apenas do Estado, mas também do Brasil. O principal objetivo do Coletivo é o debate da organização dos/as trabalhadores/as indígenas. "Queremos contribuir para que os diferentes segmentos de nosso contingente se conscientizem e se unam para que os anseios de  todos se tornem realidade", observa o coordenador do Coletivo.

Segundo informações de Pacheco, o MS possui a segunda maior população indígena do Brasil, com cerca de 80 mil índios, oriundos das etnias terena, kaiowá guarani, aticum,  kadiweu,  guató, kinikinaw, ofaié  e outros.

"Esta diversidade possibilita que a realização do 1º Encontro Estadual dos/as Trabalhadores/as Indígenas do MS", avalia o coordenador, citando a maioria está concentrada nas nas cidades de Miranda, Aquidauana, Anastácio, Dourados, Amambaí, Caarapó, Coronel Sapucaia, Paranhos e Campo Grande.

Deixe seu Comentário

Leia Também

UAU
Mariana Goldfarb relembra foto em que aparece nua na praia
ELEIÇÕES 2018
Jair Bolsonaro afirma que não vai a debates no segundo turno
FRONTEIRA
Homem de 43 anos e o filho de 11 são assassinados a facadas
DISPUTAS
Jogos Escolares e da Juventude iniciam confronto no fim de semana
LICITAÇÕES
Decretada emergência em três cidades por estragos de chuva
HOMICÍDIO
Juiz decide levar a júri popular réu que provocou acidente com morte
ECONOMIA
Riqueza das famílias brasileiras encolheu US$ 380 bilhões em 1 ano
ACADÊMICOS
UFGD é campeã estadual dos Jogos Universitários Brasileiros
JUSTIÇA
Concessionária e montadora são condenadas por problemas em moto
PARANAÍBA
Mulher descobre gravidez um dia antes do parto e perde bebê

Mais Lidas

DOURADOS
Homem morre ao tentar atravessar “lago da rodoviária” a nado
PEDRO JUAN
Suspeita de envolvimento em roubo a vereador douradense é executada na fronteira
CENAS DE CINEMA
Perseguição e troca de tiros termina com veículos recuperados em Dourados
MARACAJU
Empresário douradense e filho morrem em acidente na BR-267