Menu
Busca terça, 17 de setembro de 2019
(67) 9860-3221
SANGUE FRIO

MPF recorre de sentença que absolveu dois acusados em uma das ações

21 agosto 2019 - 18h35Por Da Redação

O Ministério Público Federal (MPF) recorreu de sentença proferida pela 5ª Vara Federal de Campo Grande que absolveu duas pessoas das acusações de fraude licitatória e peculato alegando não existir provas suficientes para a condenação. 

Ambos foram denunciados pelo MPF em uma das 15 ações referentes à Operação Sangue Frio, especificamente por desvios da ordem de R$ 166 mil, por meio de superfaturamento de serviços contemplados em licitação fraudada do Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian (HU), que direcionou o contrato à empresa Cardiocec.

A mesma decisão condenou um deles à pena de 1 ano e 2 meses de reclusão, mais pagamento de multa, por dois crimes de falsificação documental. O MPF também recorreu da pena aplicada. 

Entenda o caso – Segundo a denúncia do MPF, entre os meses de setembro e novembro de 2009, José Carlos Dorsa, ex-diretor do HU falecido em março de 2018, e outras duas pessoas fraudaram licitação do Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian.

Durante toda a duração do contrato referente a esse procedimento licitatório, dezembro de 2009 a janeiro de 2014, os três denunciados desviaram em proveito próprio recursos públicos da ordem de R$ 166 mil provenientes dos serviços prestados por meio referida licitação em valores superfaturados. 

Em agosto de 2012, o grupo acompanhado de mais pessoas falsificou documento e fizeram uso dele junto à Controladoria Geral da União (CGU). 

Recurso – O MPF interpôs recurso junto ao Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3) pedindo a condenação dos dois pela prática dos crimes pelos quais foram absolvidos. No recurso, o órgão ministerial argumenta que na aplicação da pena devem ser levadas em conta as circunstâncias e consequências dos crimes, absolutamente desfavoráveis, considerando o expressivo valor financeiro envolvido e a desmoralização da instituição pública de onde o dinheiro foi desviado.

Além disso, o recurso aponta a culpabilidade gravíssima por tratar-se de profissionais da saúde, categoria que inerentemente goza da confiança da sociedade, e o fato de que os denunciados apresentam condição social e grau de instrução favorecidos e em momento algum demonstraram arrependimento pelas graves condutas praticadas em prejuízo do erário e da sociedade.

Sangue Frio – A Operação Sangue Frio, deflagrada pela Polícia Federal e pela CGU em 2013, apurou diversas irregularidades ocorridas na Fundação Carmem Prudente de Mato Grosso do Sul (Hospital do Câncer), como: contratação de empresas prestadoras de serviço de propriedade dos diretores ou vinculados à família do médico Adalberto Siufi; contratação de familiares para ocupar funções responsáveis pelas finanças da fundação e para ocupar altos cargos; cobrança do Sistema Único de Saúde de procedimentos de alto custo após o óbito dos pacientes; e acordo com farmácia com indício de superfaturamento. As investigações acabaram levando à identificação de crimes de mesma natureza em outros hospitais, como é o caso do Hospital Universitário.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SHOWBIZZ
Morando nos EUA Sue Lasmar compra casa para se defender de furacão
CAMPO GRANDE
Motociclista fica ferido ao ser atingido no pescoço por linha chilena
UEMS
Inscrições para Transferência Externa começam nesta segunda-feira
FOMENTO
FCO aprova R$ 335 milhões a mais para atender empreendedores de MS
CAMPO GRANDE
Polícia apreende caminhão com cigarros contrabandeados e 150 kg de maconha
SAÚDE
Cassems realiza ‘1º Seminário em Saúde Mental’ para colaboradores
COMÉRCIO EXTERIOR
Balança comercial registra déficit na segunda semana de setembro
PONTA PORÃ
Homem invade residência e estupra mulher enquanto dormia
EDUCAÇÃO
Palestra 'Negócios que mudam o Mundo' será na UEMS de Dourados
LAVA JATO
Justiça de São Paulo rejeita denúncia contra Lula e Frei Chico

Mais Lidas

DOURADOS
Carro roleta Marcelino, bate em moto e deixa jovem ferida
EMPREENDENDO NO BAIRRO
Distante 8 km do Centro, moradores do Parque II só sentem falta de lotérica no comércio do bairro
FRONTEIRA
Empresário brasileiro atacado por pistoleiros não resiste a ferimentos e morre
IVINHEMA
Pescador encontra cadáver às margens de rio e informa a Polícia