Menu
Busca terça, 20 de fevereiro de 2018
(67) 9860-3221
Bigolin
FISCALIZAÇÃO

Ministério do Trabalho fiscaliza postos de combustíveis de Campo Grande

06 setembro 2017 - 17h05

O Ministério do Trabalho e Emprego está fiscalizando postos de combustíveis de Campo Grande para verificar, entre outras questões, não só o cumprimento dos direitos trabalhistas de frentistas e demais empregados, bem como as questões de segurança e medicina do trabalho.

Os cuidados com o benzeno, componente cancerígeno que está presente em todos os combustíveis é uma das preocupações e atuação dos auditores fiscais.

A multa para aqueles estabelecimentos que estiverem em desacordo com as legislações pode chegar até a R$ 8 mil por infração.

"Nossa fiscalização é de rotina e vamos verificar as condições de todos os postos de combustíveis de Campo Grande", afirmou o auditor fiscal Kléber Silva, da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego em Mato Grosso do Sul.

Os trabalhos estão sendo realizados simultaneamente em Campo Grande e Dourados, informa Kleber Silva.

Depois, segundo ele, os fiscais vão fazer as demais cidades do Estado, sempre verificando o cumprimento de registro em carteira, recolhimento dos direitos trabalhistas e também a questão de saúde do trabalhador.

Na tarde desta quarta-feira, um posto da Petrobras na Avenida Afonso Pena recebeu a visita de quatro auditores fiscais que conversaram com trabalhadores, diretores da empresa e verificaram também documentos a respeito das questões trabalhistas da empresa. As próximas visitas serão feitas das mesma forma, de surpresa nos estabelecimentos.

O Sinpospetro/MS (Sindicato dos Empregados em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo do Mato Grosso do Sul) aplaude esse trabalho do MTE.

"Nós não só apoiamos como aplaudimos, pois somente a fiscalização rigorosa dos auditores pode fazer com que todas as empresas cumpram com suas obrigações trabalhistas e de saúde e segurança do trabalhador", afirma José Hélio da Silva, presidente do sindicato.

A diretoria do Sinpospetro/MS pede que a fiscalização seja de fato rotineira e constante nesse mercado de trabalho, principalmente pelo fato de ser uma atividade de alto risco à saúde não só dos trabalhadores nos postos como também dos próprios consumidores.

Gilson da Silva Sá, secretário adjunto de saúde, segurança e medicina do trabalho na Fenepospetro (federação nacional dos trabalhadores em postos de combustíveis) afirma que nem todos os empresários, donos de postos, cumprem com as leis federais relativas à saúde do trabalhador. "Nós, sindicalistas é que temos que ficar constantemente brigando para que o trabalhador seja protegido, quando a empresa deveria fazer normalmente porque é lei", critica.

Deixe seu Comentário

Leia Também

UAU
Ostentando corpão, Aline Riscado posa de biquíni e recebe elogios
ZÉ PEREIRA
Polícia da Capital investiga execução após rapaz de 27 anos desaparecer
JUSTIÇA
Empresas aéreas são condenadas em R$ 15 mil por extravio de bagagem
CONDENADO
Preso, Paulo Maluf é afastado do mandato de deputado federal
OURO DE OFIR
Dois suspeitos de aplicar golpes em 25 mil vítimas saem da prisão
NAVIRAÍ
Polícia apura se morte de mãe e filho em incêndio foi acidente ou suicídio
MEIO AMBIENTE
Fazendeiro é autuado em R$ 13 mil por desmatamento ilegal
POLÍTICA
Marun diz que não há como votar reforma da Previdência com intervenção
UFGD
Estão abertas as inscrições para participar do Projeto Bolsa Cultura
CRÉDITO
Ministério da Educação abre inscrições do Fies; prazo vai até o dia 28

Mais Lidas

ITAQUIRAÍ
Contador é executado com cinco tiros em MS
POLÍCIA
Acidente com caminhão carregado com cigarros mata motorista na MS-339
DESAPARECIMENTO
Ação conjunta encontra adolescente desaparecida na fronteira
DOURADOS
Homem é preso após invadir carro e furtar aparelho de som