Menu
Busca quarta, 25 de abril de 2018
(67) 9860-3221
GOVERNO PRESENTE MS COMPORTAMENTAL
NÃO SOLICITADO

Loja é condenada a indenizar cliente por envio de cartão

10 outubro 2017 - 18h35Por Da Redação

Sentença proferida pelo juiz Ariovaldo Nantes Correa, da 8ª Vara Cível de Campo Grande, julgou procedente a ação movida por consumidora que recebeu um cartão de crédito de estabelecimento comercial, mesmo após recusar a assinatura do contrato.

A loja foi condenada ao pagamento de R$ 5 mil de danos morais pela situação, que foi considerada prática abusiva. 

Alega a autora que estava em uma das unidades da ré com sua mãe quando lhe foi ofertado um cartão da loja e disse que tinha interesse. Foram solicitados seus dados apenas para preencher a minuta e, após a leitura, deparou-se com cláusula que não concordava e decidiu não firmar o contrato de serviço. Afirma que foi informada pela atendente que o documento com os seus dados seria destruído.

No entanto, um mês após o ocorrido recebeu em sua residência um cartão de débito/crédito em seu nome e, mesmo sem utilizar o cartão, recebeu a fatura lhe cobrando tarifa de anuidade. Sustenta que a conduta da ré configura prática abusiva e deve ser condenada ao pagamento de dano moral. 

Em contestação, a loja defende que agiu dentro da legalidade e que a autora não demonstrou o pedido de cancelamento do cartão e que não pode ser responsabilizada por insatisfação posterior do consumidor, pois a autora tinha ciência da contratação do seguro e suas implicações.

A ré sustenta, por fim, que o contrato é válido e que não houve dano moral. 

O juiz Ariovaldo Nantes Correa esclareceu que a ré não demonstrou por meio de documentos, de modo satisfatório, a contratação do serviço pela autora, ônus que lhe cabia conforme prevê o Código de Processo Civil. “Como a ré não comprovou que a autora tenha contratado os serviços de cartão de crédito, indevida qualquer cobrança ao mesmo relacionada”. 

Com relação ao pedido de danos morais, o juiz apreciou que o envio do produto sem qualquer solicitação prévia por parte do consumidor configura prática abusiva, conforme dispõe o art. 39, III, do Código de Defesa do Consumidor e a Súmula 532 do Superior Tribunal de Justiça, de modo que julgou procedente o pedido. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍTICAS PÚBLICAS
MS é contemplado com recursos para políticas públicas de Igualdade Racial
DOURADOS
Corrida do Trabalhador 2018 tem 400 inscritos
IMUNIZAÇÃO
Procura por vacinas contra a gripe é tranquila nos postos de saúde de Dourados
DOURADOS
Cadela Inca flagra indígena com skunk na mochila
GERAL
Abevê realiza amanhã ação no Dia de Combate à Hipertensão
FUTEBOL
Palmeiras encara o Boca na Argentina pela Libertadores
PROPOSTA
Diferenciação no atendimento aos pacientes com e sem plano poderá ser proibida em MS
BR-267
Carreta furtada há quase um mês no Paraná é recuparada em MS
CULTURA
Grupo de teatro do Maranhão promove espetáculo gratuito em Dourados
Além da apresentação, das 14h às 18h, acontece uma oficina para atores e alunos de teatro
TRABALHO PARLAMENTAR
Projeto de Marçal para pacientes com doenças raras é base de proposta no Congresso Nacional

Mais Lidas

TRABALHO CONJUNTO
Dez são presos em operação que encontrou drogas em Dourados
DOURADOS
Após apreensão em caminhão, maconha também é encontrada em barracão de reciclados
JARDIM GUANABARA
Farejador encontra maconha escondida em carga de recicláveis em Dourados
DOURADOS
Maconha era escondida em meio a fardos de recicláveis em barracão