Menu
Busca segunda, 09 de dezembro de 2019
(67) 9860-3221
CORUMBÁ

Justiça nega prisão de médico suspeito de cobrar por cirurgia do SUS

19 julho 2019 - 20h50Por G1

O juiz Deyvis Ecco da 2° Vara Criminal de Corumbá, não aceitou o pedido do Ministério Público feito na última segunda-feira, dia 15 de julho, para que o médico suspeito de cobrar R$1 mil por uma cirurgia do SUS (Sistema Único de Saúde), fosse preso para não atrapalhar as investigações.

De acordo com a decisão publicada nesta sexta-feira (19), o juiz entendeu que não há possibilidade de reincidir no ato e, por isso, sua liberdade não atrapalharia as investigações. Ele determinou que o médico compareça em juízo a cada dois meses para assinar presença.

Essa decisão se refere à denúncia de que o médico teria cobrado para fazer a cirurgia de retrada de um pólipo do útero pelo SUS. A paciente que denunciou estava internada na Santa Casa de Corumbá e fez uma gravação de áudio para comprovar a cobrança.

O promotor Luciano Conti, que fez o pedido de prisão, informou que vai recorrer ao Tribunal de Justiça porque o Ministério Público entende que existe uma gravidade concreta no caso.

A Santa Casa de Corumbá declarou que o processo está sob análise jurídica e que aguarda o parecer da comissão de ética. Nesta quinta-feira (18), pediu afastamento da rede municipal de saúde onde atendia.

O Conselho Regional de Medicina afirmou que uma apuração sobre o médico tramita em sigilo. A reportagem não conseguiu contato nesta sexta-feira com o médico. Na última semana, ele negou a acusação.

Entenda o caso

O médico de Corumbá, a 415 quilômetros de Campo Grande, é suspeito de cobrar R$ 1 mil para fazer cirurgia de retirada de um pólipo do útero pelo SUS. A paciente, de 26 anos, e o marido gravaram conversa com ele e registraram boletim de ocorrência na Polícia Civil. O casal não chegou a fazer o pagamento.

De acordo o boletim de ocorrência, a paciente deu entrada na maternidade da Santa Casa de Corumbá no dia 23 de abril, dizendo estar com dores e sangramento no útero. Lá, o médico, depois de dizer que ela estava com "frescura", afirmou que seria preciso uma operação para retirada de um pólipo e que cobraria pelo procedimento.

"Aí, foi quando ele começou com uma história de que o SUS pagava muito pouco para ele. [...] E que, se ele me pagasse esse mesmo valor, eu iria fazer faxina na casa dele. Eu fiquei, assim, perplexa com essa história", conta a jovem, que prefere não se identificar.

Já internada pelo SUS, a paciente disse que ficou sem reação e que, após a chegada do marido, foi com ele até o consultório do médico, no próprio hospital, onde gravaram a conversa. No áudio, a declaração atribuída ao obstetra diz:

"Eu não faço pelo SUS, tá? Por motivo simples. O SUS paga R$ 24 pra fazer isso. Eu não vou botar a mão no útero de mulher desse tamanho com cinco cesáreas anteriores por R$ 24". O interlocutor altera a voz quando fala sobre a característica física da paciente.

A conversa continua: "...eu posso manter ela com a cirurgia pelo SUS e a gente faz acerto à parte. Em dinheiro, sem recibo e antecipado, tá? [...] Eu posso tentar te ajudar. Isso te custaria mil reais, tá? [...] Só que isso é ilegal, tá? Mas eu tenho duas opções: ou o ilegal ou eu não faço".

Após a conversa com o médico, a jovem fugiu do hospital, tentou registrar boletim de ocorrência na Polícia Civil, mas, segundo ela, o investigador que a atendeu afirmou que não havia crime na situação relatada. O registro policial só foi feito dia 9 de julho, na Delegacia de Atendimento à Mulher, e pelo crime de corrupção passiva.

Ele também é suspeito de abuso sexual. O processo corre sob sigilo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MEIO AMBIENTE
Universidades estudam como reduzir emissões de CO2 na atmosfera
MEIO AMBIENTE
Governo vai remunerar quem atua na conservação ambiental
CONCURSO
11 órgãos abrem inscrições para 1,4 mil vagas nesta segunda-feira
SUMIÇO
Família procura por homem que desapareceu na região de Taquarussu
MÚSICA
Festival em meio a 'reserva natural' acontece hoje em Dourados
FUTEBOL
Última rodada do Brasileirão 2019 será disputada neste domingo
ECONOMIA
Com a certeza de dinheiro na conta, servidor estadual faz planos com 13°
INTERNACIONAL
Pelo menos 43 pessoas morrem em incêndio em fábrica da Índia
AGEPAN
Portaria homologa tarifas de pedágio de ponte sobre o Rio Paraguai
DOURADOS
Inteligência da PM prende dois por tráfico no bairro Estrela Tovi

Mais Lidas

CAMPO GRANDE
Deputado perde Carteira de Habilitação ao cair em blitz da Lei Seca
RIBAS DO RIO PARDO
Casal aparece e relata que “sumiço” foi por contratempo com celular
POLÍTICA
Plenário do Senado pode votar o Pacote Anticrime ainda neste ano
Homem "furta" carro penhorado em "boca" e é perseguido por traficantes