Menu
Busca quinta, 18 de julho de 2019
(67) 9860-3221
CAPITAL

Justiça nega liberdade a lutador que matou hóspede

04 junho 2015 - 10h15

Justiça negou o pedido de revogação da prisão preventiva do lutador Rafael Martinelli Queiroz, de 27 anos, acusado de matar um hóspede em um hotel da capital sul-mato-grossense na noite de 18 de abril. A decisão foi divulgada na quarta-feira (3) no site do Tribunal de Justiça (TJ-MS).

Segundo o G1/MS, a defesa do lutador alegou no pedido que o acusado não necessita permanecer preso por exercer atividade lícita, ter residência fixa e não possui antecedentes criminais. O parecer do Ministério Público Estadual (MP-MS) foi pelo indeferimento do pedido.

O G1 entrou em contato com a defesa do lutador, mas até a publicação desta reportagem não obteve retorno.

O juiz titular da 1ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande, Carlos Alberto Garcete de Almeida, afirmou na decisão que até o momento não ocorreu qualquer mudança nos fatos que justifique a colocação do acusado em liberdade. Almeida destacou que o crime foi “extremamente grave e possui repercussão social muito ampla”. De acordo com o magistrado, a liberdade poderia colocar em risco a ordem pública.

Almeida ressaltou que o lutador teria praticado o crime com extrema brutalidade contra uma pessoa desconhecida. Além disso, o juiz disse que o lutador demonstrou perigo no momento da prisão quando a Polícia Militar pediu reforço policial.

O crime aconteceu em um hotel na avenida Afonso Pena, no bairro Amambaí, depois de uma discussão entre Rafael e a namorada Carla Medeiros Dias, 24 anos. Segundo a Polícia Civil, o engenheiro era vizinho de quarto, não conhecia o casal e estava na capital de Mato Grosso do Sul a trabalho.

Ainda segundo a polícia, o hóspede foi morto "de graça" pelo lutador, que entrou no apartamento da vítima a procura da namorada, que tinha fugido do quarto do casal depois de ser agredida. A defesa diz que o comportamento agressivo do lutador surpreendeu a família e amigos dele.

O lutador é acusado pelo crime de lesão corporal dolosa em relação a namorada, em situação de violência doméstica, e de homicídio qualificado por motivo torpe, meio cruel e por recurso que dificultou a defesa da vítima e crime de resistência à prisão.

A denúncia foi recebida pela Justiça no dia 14 de maio. O lutador está preso desde o dia 19 de abril, dia seguinte ao fato, e foram feitos exames psicológicos e toxicológico no acusado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍTICA
Marun anuncia Puccinelli à disputa ao Governo em 2022
DOURADOS
Fundação contratada por R$ 243 mil apresenta Plano de Arborização Urbana
FRONTEIRA
Pistoleiros são presos após executarem homem a tiros
FUTEBOL
Série B do Brasileirão tem um jogo marcado para hoje
DOURADOS
"Pirão do Bem" acontece neste sábado no Rotary Guaicurus
DANOS MORAIS
Acusada por furto que não cometeu será indenizada em R$ 15 mil por supermercado
DOURADOS
Reunião na Câmara discutirá meio de reverter corte em obra do aeroporto
ADEQUAÇÃO
Lei que proíbe canudos plásticos em MS é sancionada
BRASIL
Índice de confiança do empresário cresce pelo segundo mês consecutivo
NORTE DE MS
Homem é encontrado morto no meio da rua e suspeita é de hipotermia

Mais Lidas

DOURADOS
Execução de comerciante douradense foi “comemorada” com tiros em bairro da periferia
DOURADOS
Indígenas invadem propriedade e atacam policiais com flechas e coquetel molotov
DINHEIRO NOVO
Governo deve anunciar ainda esta semana a liberação de saques do FGTS
POLÍCIA
Polícia prende ladrão de moto e descobre ‘boca de fumo’ no Dioclécio Artuzi