Menu
Busca segunda, 22 de outubro de 2018
(67) 9860-3221
JULGAMENTO

Juiz decide levar a júri popular acusado de matar musicista

10 outubro 2018 - 21h35Por Da Redação

Nesta quarta-feira, dia 10 de outubro, Dia Nacional de Luta Contra a Violência à Mulher, o juiz titular da 2ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande, Aluízio Pereira dos Santos, decidiu levar a júri popular mais um caso de feminicídio. 

O juiz pronunciou por homicídio qualificado por motivo fútil, meio cruel, com recurso que dificultou a defesa da vítima e feminicídio, o réu L.A.B.B., acusado do assassinato da musicista Mayara Amaral. A sessão de julgamento está marcada para o dia 23 de novembro, a partir das 8 horas. 

O réu também será julgado pelos crimes de furto e ocultação/destruição de cadáver, com emprego de fogo. A.S.P., outro envolvido, será julgado pelo crime de receptação.

De acordo com a denúncia, o crime aconteceu na noite do dia 24 de julho de 2017, em um motel localizado na Av. Euler de Azevedo, em Campo Grande. O réu teria matado Mayara com golpes de martelo. 

Para a acusação, L.A.B.B. praticou o crime por motivo fútil, pois a vítima teria feito um comentário acerca da namorada do acusado. O réu também teria utilizado de meio cruel, pois teria desferido reiterados golpes de martelo em sua cabeça. 

O Ministério Público também defende que o acusado usou de recurso que dificultou a defesa da vítima, porque teria sacado o martelo e desferido o golpe subitamente, sem que a vítima pudesse reagir. A denúncia ainda aponta que o crime foi praticado mediante violência contra a mulher, matando a vítima com quem tinha um relacionamento amoroso, logo após o ato sexual, aproveitando-se de sua fragilidade e com menosprezo à sua condição feminina, o que caracteriza a qualificadora de feminicídio. 

Segundo a denúncia, o réu teria ocultado e destruído parcialmente o cadáver da vítima, mediante emprego de fogo, e teria subtraído o veículo da vítima e repassado a A.S.P., acusado do crime de receptação. Nas alegações finais, o promotor pediu a pronúncia nos termos da denúncia. 

A defesa de L.A.B.B. requereu a absolvição do delito de furto, o afastamento das quatro qualificadoras, além da absolvição do crime de ocultação de cadáver, com base no princípio da consunção e a aplicação da continuidade delitiva nos crimes de homicídio e ocultação de cadáver.

Por sua vez, a defesa de A.S.P. sustentou a absolvição pela aplicação do perdão judicial ou ainda a desclassificação do crime. 

Na decisão, o juiz analisou que a materialidade do crime está demonstrada pelo laudo necroscópico, que atesta que a causa da morte de Mayara Amaral foi traumatismo craniano, somado aos laudos periciais do local do crime e residência do acusado e demais laudos, como de imagens das câmeras de segurança do motel e de mercado, além dos objetos encontrados. 

Com relação ao laudo de insanidade mental do acusado, o juiz citou que este será devidamente apreciado pelos jurados. Nesse ponto, o juiz observou que o acusado respondeu aos questionamentos de forma natural, sem qualquer inquietação ou perturbação, mostrando-se plenamente orientado no tempo e no espaço, tendo respondido as questões que lhe foram feitas de forma coerente.

Sobre a autoria do crime, o juiz aponta que os indícios recaem sobre o réu, que confessou tanto na delegacia quanto em juízo que praticou o delito. Sobre as qualificadoras, o juiz também apontou que é possível que os fatos narrados tenham ocorrido da forma narrada pelo MP,  de modo que caberá ao Conselho de Sentença apreciar cada uma delas, não havendo razões para afastá-las neste momento. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

ESPORTE
MS fatura 22 medalhas no Campeonato Brasileiro de Karatê em Belo Horizonte
BRASIL
Sertanejos Fábio e Guilherme morrem em acidente de carro em São Paulo
TRATADO
Temer diz ter conversado com presidente paraguaio por ponte em Porto Murtinho
DOURADOS
Câmara acata recomendação e suspende tramitação de Plano de Saneamento Básico
FUTEBOL AMADOR
Copa Abevê de futebol suíço tem início em Dourados
ELEIÇÕES
TSE e TREs divulgam carta defendendo segurança das urnas eletrônicas
DOURADOS
Para pesquisador, chuvarada de outubro está dentro da normalidade
TRÊS LAGOAS
Mulher ameaça policiais com garfo e faca e vai presa
CAMPANHA
Saúde promove oficina para alinhar ações contra a sífilis em Dourados
TJMS
Envenenamento de agentes penitenciários está pautado para júri

Mais Lidas

OPERAÇÃO SATURAÇÃO
Megaoperação cumpre dezenas de mandados de prisão em Dourados
RIO BRILHANTE
Caminhonete invade pista, bate em motocicleta e mata casal
CANAÃ
Órgãos de segurança fecham festa organizada através do WhatsApp
DOURADOS
Dupla é presa suspeita de pelo menos 30 furtos em comércios