Menu
Busca sexta, 23 de agosto de 2019
(67) 9860-3221
ECONOMIA

Indústria mantém saldo negativo na geração de emprego em MS

23 junho 2015 - 11h32

O setor industrial de Mato Grosso do Sul, composto pelas indústrias de transformação, de extrativismo mineral, de construção civil e de serviços de utilidade pública, encerrou o mês de maio com mais uma redução líquida de postos de trabalho, apresentando saldo negativo de 453 vagas, enquanto no acumulado do ano o total de vagas encerradas nas atividades industriais do Estado sobe para 1.012, conforme levantamento do Radar Industrial da Fiems.

Os segmentos industriais que apresentaram as maiores reduções no mês de maio foram indústria de produtos alimentícios e bebidas (-278), indústria têxtil e do vestuário (-150) e indústria mecânica (-102).

Segundo o coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems, Ezequiel Resende, no conjunto da economia estadual, foram criadas 534 vagas no mês de maio, enquanto no acumulado do ano, o resultado aponta a abertura de 2.205 postos de trabalho.

“Contudo, a média para o período, considerando o intervalo de 2005 a 2015, é 14.572 vagas abertas. Ou seja, o desempenho de janeiro a maio deste ano é 85% menor que o resultado médio historicamente obtido para o mesmo intervalo”, pontuou.

No conjunto das atividades industriais, Mato Grosso do Sul encerrou maio de 2015 com um contingente de 132.603 trabalhadores formalmente empregados, queda de 0,31% em relação a abril. “A indústria segue respondendo pelo segundo maior contingente de trabalhadores formais empregados no Estado, com participação de 20,7% sobre o total, ficando atrás somente do setor de serviços, que emprega formalmente 185.078 trabalhadores com participação equivalente a 28,9%”, detalhou Ezequiel Resende.

Detalhamento

Em Mato Grosso do Sul, conforme o Radar Industrial da Fiems, no período de janeiro a maio de 2015, ao todo 97 atividades industriais apresentaram saldo positivo de contratação, proporcionando a abertura de 3.365 vagas. Entre as atividades industriais com saldo positivo de pelo menos 70 vagas destacaram-se fabricação de açúcar em bruto (+566), fabricação de álcool (+374), abate de suínos, aves e outros pequenos animais (+325), obras para geração e distribuição de energia elétrica e para telecomunicações (+272), distribuição de energia elétrica (+247), coleta de resíduos não-perigosos (+90), fabricação de calçados de material sintético (+82), fabricação de alimentos para animais (+80) e curtimento e outras preparações de couro (+73).

Por outro lado, no mesmo período, 107 atividades industriais apresentaram saldo negativo em Mato Grosso do Sul, proporcionando o fechamento de 4.377 vagas. Entre as atividades industriais com saldo negativo de pelo menos 70 vagas destacaram-se abate de reses, exceto suínos (-1.110), obras de engenharia civil não especificadas anteriormente (-775), construção de edifícios (-307), construção de rodovias e ferrovias (-293), produção de ferro-gusa (-119), confecção de peças do vestuário, exceto roupas íntimas (-104), fabricação de produtos de carne (-103), serviços especializados para construção não especificados anteriormente (-94), captação, tratamento e distribuição de água (-94), extração de minério de ferro (-93) e catering, bufê e outras comidas preparadas (-73).

Em relação aos municípios, constatou-se que em 41 deles as atividades industriais registraram saldo positivo de contratação no período de janeiro a maio de 2015, proporcionando a abertura de 2.351 vagas, com destaque para São Gabriel do Oeste (+410), Angélica (+408), Rio Brilhante (+214), Costa Rica (+141), Nova Andradina (+128), Maracaju (+121), Dourados (+118), Itaquiraí (+112), Iguatemi (+80) e Chapadão do Sul (+78). Por outro lado, no mesmo período, em 34 municípios as atividades industriais registraram saldo negativo, proporcionando a fechamento de 3.363 vagas, com destaque para Três Lagoas (-878), Campo Grande (-552), Caarapó (-442), Nova Alvorada do Sul (-241), Aparecida do Taboado (-193), Naviraí (-166), Bataguassu (-121), Água Clara (-119), Ribas do Rio Pardo (-110), Corumbá (-104), Coxim (-98), Cassilândia (-76) e Paranaíba (-70).

Deixe seu Comentário

Leia Também

GOVERNO FEDERAL
União é multada em R$ 90 milhões por se recusar a verificar agrotóxicos em água consumida por douradenses
CONSUMIDOR
Procon de Dourados fará campanha de negociação de débitos em setembro
CAGED
Dourados abre quase 300 novas vagas de emprego em julho
BRASIL
Atividade e emprego na construção atingem maior valor em seis anos
BR-267
Homem fura bloqueio e abandona carro com 100kg de maconha
2,7 KM
Restauração da Marcelino Pires ficou R$ 2,5 milhões mais cara com prolongamento
BRASIL
PF prende homem por compartilhar cenas de abuso sexual infantil
É LEI
Direito à comunicação em Libras é ampliado em MS
BRASIL
Bolsonaro alerta para guerra da informação
DOURADOS
Brigada realiza formatura em alusão ao Dia do Soldado

Mais Lidas

TRÂNSITO
Empresa desliga mais de 30 lombadas eletrônicas em Dourados após rescisão contratual
Hospital da Vida
Ao MPE, médico relata confusão total de informações em plantão com morte
DOURADOS
Veículo é consumido pelas chamas no Água Boa; veja vídeo
CRIME ORGANIZADO
Operação contra o PCC cumpre 30 mandados de prisão em cidades de MS