Menu
Busca quarta, 19 de junho de 2019
(67) 9860-3221
CAMPO GRANDE

Idoso morre 15 dias após ser mordido por cachorro no rosto

29 setembro 2017 - 06h24

Um idoso de 64 anos morreu na tarde desta quinta-feira, dia 28 de setembro, por volta das 16h40, no Hospital Militar de Campo Grande. Segundo a esposa, ele passou mal depois de ser mordido no rosto por um cachorro.

De acordo com o boletim de ocorrência, o idoso foi identificado como Arnobio Maciel de Oliveira, morador na cidade de Ponta Porã, na fronteira com o Paraguai.

Após se queixar de fortes dores abdominais, na última segunda-feira (25) ele foi transferido para o Hospital Militar de Campo Grande onde morreu na tarde de ontem.

Conforme sua esposa, o idoso não sofria de nenhuma doença, porém há 15 dias foi mordido no rosto por um cachorro.

O caso foi registrado como morte a esclarecer na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) da área central de Campo Grande.

Com informações do site Campo Grande News.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

PARANHOS
Veículo roubado em SP é recuperado com quase meia tonelada de maconha
AMBIENTAL
Operação Corpus Christi começa com foco na repressão à pesca predatória
ARTIGO
O que muda com a nova "Lei do pente fino" do INSS
BRASIL
Começa hoje a convocação dos candidatos da lista de espera do Sisu
TV
Ratinho recebe Sergio Moro e exalta ministro: "Único herói brasileiro"
NOVA ANDRADINA
Ao atender portão, homem é surpreendido e morto a facada
BRASIL
Analfabetismo no Brasil cai entre 2016 e 2018 de 7,2% para 6,8%
CAMPO GRANDE
Pai é preso pelo estupro da própria filha de dois anos
ASSEMBLEIA
Sete projetos estão pautados para a Ordem do Dia desta quarta-feira
COPA AMÉRICA
Pressionada após derrota, Argentina encara o Paraguai nesta quarta

Mais Lidas

FATALIDADE
Corpo de douradense é encontrado no rio Aquidauana
DOURADOS
Perseguição na Coronel Ponciano termina com homem preso e apreensão de mais de 700kg de maconha
PARAGUAI
Homem escapa de sequestro, mas acaba executado por pistoleiros em posto
RESERVA INDÍGENA
Dois são presos suspeitos pelas mortes de tio e sobrinho em Dourados