Menu
Busca terça, 18 de setembro de 2018
(67) 9860-3221
EM MS

“GPS de Preso” idealizado por juiz agiliza trabalho nas comarcas

31 outubro 2017 - 11h43Por Da Redação

Há 3 anos, o juiz Aluizio Pereira dos Santos, titular da 2ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande, com o apoio do Tribunal de Justiça e o desenvolvimento da Secretaria de Tecnologia da Informação, criou um sistema capaz de apontar a situação processual exata dos presos provisórios da Capital, que passou a ser chamado “GPS de Preso”.

A elaboração, em 2014, do sistema hábil em demonstrar há quanto tempo um processo de réu preso provisoriamente se encontra sem movimentações, foi um reflexo da preocupação, não somente do magistrado idealizador, mas também institucional, para que os custodiados aguardando julgamento não fiquem “esquecidos” nos presídios e, dessa forma, consigam habeas corpus nas instâncias superiores por excesso de prazo de prisão.

O tempo prolongado de manutenção em cárcere de pessoas que ainda não tiveram suas ações julgadas e sua culpa finalmente decretada é uma realidade no país e que não se restringe a pessoas humildes e a casos sem repercussão. Em fevereiro deste ano, por exemplo, o STF concedeu habeas corpus ao goleiro Bruno com a fundamentação de abusividade de sua prisão de mais de 6 anos sem o julgamento definitivo. Situação parecida já acontecia em 2006, quando Gil Rugai, jovem que ficou nacionalmente conhecido pela acusação de matar o próprio pai e madrasta, foi posto em liberdade em razão de sua prisão preventiva ter se estendido demais, também segundo o STF.

O GPS de Preso vem então auxiliar os juízes do Estado no impedimento desses cenários. Hoje, os magistrados de Mato Grosso do Sul em sua totalidade podem, com poucos comandos no sistema, saber a situação de todos os presos provisórios a seu encargo, obtendo rapidamente, e em única tela, informações como o nome completo dos presos, a data de início da prisão preventiva, do recebimento da denúncia, das audiências, dentre outros dados.

“Mais confiável do que o GPS propriamente dito, em que para se ter uma informação mais precisa e correta o usuário depende da atualização da base de dados feita por outras entidades, a fidedignidade das informações do GPS de Preso depende unicamente do próprio juiz e de seus servidores”, ressalta o idealizador do programa. O juiz Aluizio Pereira dos Santos assim afirma, pois o GPS de Preso faz uso do SAJ (Sistema de Automação da Justiça) para preencher seus campos, devendo este ser mantido atualizado em relação ao andamento dos processos.

“Trata-se de mais um mecanismo para facilitar o trabalho do magistrado e dos servidores, e que auxilia o Tribunal a prestar uma tutela jurisdicional mais eficaz e de maior qualidade”, concluiu.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DIREITOS DO TRABALHADOR
Com ameaça de greve, frentistas de MS conquistam piso salarial de R$ 1.190,95
DIREITOS DO CONSUMIDOR
Encontro Estadual tem confirmada a presença de 18 unidades do Procon em Dourados
CAMPO GRANDE
Omep e Seleta terão que devolver R$ 74 milhões aos cofres municipais
DOURADOS
Câmara solicita melhorias na infraestrutura e trânsito do município
ANTÔNIO JOÃO
Mulher é agredida com chutes e socos por marido e cunhado
GERAL
Prazo para beneficiários com menos de 60 anos sacarem PIS termina no dia 28
SÉRIE B
Londrina recebe o Figueirense em duelo de seis pontos
ADOLESCENTES
Agorafobia: 'por que passei 15 horas fugindo do casamento da minha melhor amiga'
SUL
Conheça Garopaba, em Santa Catarina
DOURADOS
Idoso encontrado morto na pedreira foi vítima de latrocínio

Mais Lidas

DOURADOS
Homem encontrado na Marcelino morreu de causas naturais
FLAGRANTE
Mãe é presa na frente da filha traficando cocaína
DOURADOS
Corpo é encontrado na Marcelino Pires
DOURADOS
Morador flagra ladrão e aciona a polícia que consegue prende-lo