Menu
Busca terça, 16 de julho de 2019
(67) 9860-3221
AQUÁRIO DO PANTANAL

Governo rescinde contrato de R$ 5,2 mi com empresa responsável por peixes do Aquário

30 junho 2015 - 08h47

O governo do Estado emitiu nota na noite de segunda-feira alegando que encerrou o projeto de pesquisa científica “Biodiversidade para todos: da água à popularização da ciência e proteção da vida por meio do Aquário do Pantanal”. O motivo alegado é o atraso na conclusão do Centro de Estudos e Pesquisas da Ictiofauna Pantaneira (Cepric) do Aquário do Pantanal, que estava previsto para novembro de 2015 e que não será terminado a tempo.

De acordo com a avaliação técnico-cientista de especialistas do Cepta (Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Peixes Continentais) e da Unesp (Universidade Estadual de São Paulo), as recomendações apontadas nas avaliações técnicas, previstas no edital, não foram totalmente atendidas pela empresa responsável, a Anambi Análise Ambiental.

O contrato foi firmado no governo André Puccinelli (PMDB) com valores de R$ 5,2 milhões.

Confira nota na íntegra:

Em virtude do atraso na conclusão da edificação do Centro de Estudos e Pesquisas da Ictiofauna Pantaneira (Cepric) do Aquário do Pantanal, que estava previsto para novembro de 2015 e não há data precisa para a transferência dos peixes da quarentena para o referido centro, o Governo do Estado decidiu pelo encerramento do projeto de pesquisa científica “Biodiversidade para todos: da água à popularização da ciência e proteção da vida por meio do Aquário do Pantanal”.

A avaliação técnico-científica dos consultores pesquisadores doutores, especialistas na área do projeto, do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Peixes Continentais (Cepta) e da Universidade Estadual de São Paulo (Unesp)- campus Jaboticabal, entregue na última quinta-feira (25), indicou que as recomendações apontadas nas avaliações técnicas, previstas no edital, não foram totalmente atendidas.

A mudança dos peixes para outro local deve ser muito bem avaliada, uma vez que encontram-se em fase de adaptação, tendo saído do ambiente natural para um quarentenário, passando por um estresse de captura de transporte e manejo e, algumas espécies já estão adaptadas.

Por este motivo, a orientação é que os peixes existentes sejam mantidos nos tanques da quarentena do Aquário até a conclusão do Centro de Pesquisa ou entregues à instituições de ensino e pesquisa.

O Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul) assumirá a manutenção dos peixes até que a obra seja concluída para a contenção dos gastos públicos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍCIA
Homem é preso com 1,3 tonelada de maconha próximo a Ivinhema
ECONOMIA
Dólar fecha em alta, acompanhando exterior de olho em juros nos EUA
DOURADOS
Prefeitura sanciona lei que autoriza gestão associada do serviço de saneamento básico entre Município e Estado
CAMPO GRANDE
Jovem que matou cão a facadas recebe ameaças de morte
RESGATE
Iguana é capturada em residência no centro de Coxim; veja o vídeo
BENEFÍCIOS
Projeto “MP - Social” é lançado em Dourados
CRIME AMBIENTAL
Produtor é multado em R$ 135 mil por desmatamento e exploração de madeira
BRASIL
Gustavo Montezano toma posse na presidência do BNDES
CONSUMIDOR
Preço da gasolina se mantém estável em Dourados
A DONA DO PEDAÇO
Camilo ameaça Vivi e ela joga sucesso na sua cara

Mais Lidas

DOURADOS
Homem é assassinado a tiros em conveniência
DOURADOS
Homem é morto no Jardim Pantanal; segundo homicídio da noite
DOURADOS
Homem assassinado no Jardim Pantanal tinha 23 anos
DOURADOS
Homem é baleado no Jardim Pelicano