Menu
Busca segunda, 19 de novembro de 2018
(67) 9860-3221
AQUÁRIO DO PANTANAL

Governo rescinde contrato de R$ 5,2 mi com empresa responsável por peixes do Aquário

30 junho 2015 - 08h47

O governo do Estado emitiu nota na noite de segunda-feira alegando que encerrou o projeto de pesquisa científica “Biodiversidade para todos: da água à popularização da ciência e proteção da vida por meio do Aquário do Pantanal”. O motivo alegado é o atraso na conclusão do Centro de Estudos e Pesquisas da Ictiofauna Pantaneira (Cepric) do Aquário do Pantanal, que estava previsto para novembro de 2015 e que não será terminado a tempo.

De acordo com a avaliação técnico-cientista de especialistas do Cepta (Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Peixes Continentais) e da Unesp (Universidade Estadual de São Paulo), as recomendações apontadas nas avaliações técnicas, previstas no edital, não foram totalmente atendidas pela empresa responsável, a Anambi Análise Ambiental.

O contrato foi firmado no governo André Puccinelli (PMDB) com valores de R$ 5,2 milhões.

Confira nota na íntegra:

Em virtude do atraso na conclusão da edificação do Centro de Estudos e Pesquisas da Ictiofauna Pantaneira (Cepric) do Aquário do Pantanal, que estava previsto para novembro de 2015 e não há data precisa para a transferência dos peixes da quarentena para o referido centro, o Governo do Estado decidiu pelo encerramento do projeto de pesquisa científica “Biodiversidade para todos: da água à popularização da ciência e proteção da vida por meio do Aquário do Pantanal”.

A avaliação técnico-científica dos consultores pesquisadores doutores, especialistas na área do projeto, do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Peixes Continentais (Cepta) e da Universidade Estadual de São Paulo (Unesp)- campus Jaboticabal, entregue na última quinta-feira (25), indicou que as recomendações apontadas nas avaliações técnicas, previstas no edital, não foram totalmente atendidas.

A mudança dos peixes para outro local deve ser muito bem avaliada, uma vez que encontram-se em fase de adaptação, tendo saído do ambiente natural para um quarentenário, passando por um estresse de captura de transporte e manejo e, algumas espécies já estão adaptadas.

Por este motivo, a orientação é que os peixes existentes sejam mantidos nos tanques da quarentena do Aquário até a conclusão do Centro de Pesquisa ou entregues à instituições de ensino e pesquisa.

O Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul) assumirá a manutenção dos peixes até que a obra seja concluída para a contenção dos gastos públicos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SOLENIDADE
Conselho Antidrogas encerra atividades do ano nesta segunda-feira na Câmara
MARACAJU
Mulher usa filha de 5 anos para disfarçar transporte de fuzil e munição
FISCALIZAÇÃO
MPT destina veículo para aprimorar vistoria de imóveis da União
CAMPO GRANDE
Na chuva, carro sai da pista, bate em árvore e mata duas pessoas na BR-060
DOURADOS NEWS 18 ANOS
Pesquisador vê Dourados News como “carro chefe” do online
TEMPO
Segunda-feira de sol com aumento de nebulosidade em Dourados
SHOWBIZZ
Maísa Silva, de 16 anos, posta foto de biquíni e rebate assediador: "Nojento"
COSTA RICA
Serralheiro é preso sob suspeita de abusar de criança de 5 anos em quitinete
OPORTUNIDADE
De máquina de escrever a estante, leilão oferta 12 lotes a partir de R$ 100
POLÍTICA
Bolsonaro sai em defesa de Tereza Cristina: ela tem nossa confiança

Mais Lidas

TEMPORAL
Fortes ventos derrubam mais de 30 árvores e deixa rastro de destruição em Dourados
FACADAS
Traficante brasileiro mata namorada dentro de cela no Paraguai
TEMPORAL
Ventos fortes derrubam árvores em Dourados
CACHOEIRINHA
Mulher denuncia e marido é encontrado em ponto de distribuição de drogas