Menu
Busca terça, 25 de setembro de 2018
(67) 9860-3221
AQUÁRIO DO PANTANAL

Governo rescinde contrato de R$ 5,2 mi com empresa responsável por peixes do Aquário

30 junho 2015 - 08h47

O governo do Estado emitiu nota na noite de segunda-feira alegando que encerrou o projeto de pesquisa científica “Biodiversidade para todos: da água à popularização da ciência e proteção da vida por meio do Aquário do Pantanal”. O motivo alegado é o atraso na conclusão do Centro de Estudos e Pesquisas da Ictiofauna Pantaneira (Cepric) do Aquário do Pantanal, que estava previsto para novembro de 2015 e que não será terminado a tempo.

De acordo com a avaliação técnico-cientista de especialistas do Cepta (Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Peixes Continentais) e da Unesp (Universidade Estadual de São Paulo), as recomendações apontadas nas avaliações técnicas, previstas no edital, não foram totalmente atendidas pela empresa responsável, a Anambi Análise Ambiental.

O contrato foi firmado no governo André Puccinelli (PMDB) com valores de R$ 5,2 milhões.

Confira nota na íntegra:

Em virtude do atraso na conclusão da edificação do Centro de Estudos e Pesquisas da Ictiofauna Pantaneira (Cepric) do Aquário do Pantanal, que estava previsto para novembro de 2015 e não há data precisa para a transferência dos peixes da quarentena para o referido centro, o Governo do Estado decidiu pelo encerramento do projeto de pesquisa científica “Biodiversidade para todos: da água à popularização da ciência e proteção da vida por meio do Aquário do Pantanal”.

A avaliação técnico-científica dos consultores pesquisadores doutores, especialistas na área do projeto, do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Peixes Continentais (Cepta) e da Universidade Estadual de São Paulo (Unesp)- campus Jaboticabal, entregue na última quinta-feira (25), indicou que as recomendações apontadas nas avaliações técnicas, previstas no edital, não foram totalmente atendidas.

A mudança dos peixes para outro local deve ser muito bem avaliada, uma vez que encontram-se em fase de adaptação, tendo saído do ambiente natural para um quarentenário, passando por um estresse de captura de transporte e manejo e, algumas espécies já estão adaptadas.

Por este motivo, a orientação é que os peixes existentes sejam mantidos nos tanques da quarentena do Aquário até a conclusão do Centro de Pesquisa ou entregues à instituições de ensino e pesquisa.

O Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul) assumirá a manutenção dos peixes até que a obra seja concluída para a contenção dos gastos públicos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAMPO GRANDE
Longen é eleito presidente do Sindicato das Indústrias de Alimentos para o triênio 2019-2021
GERAL
Com lances a partir de R$ 50, SAD promove hoje leilão com 130 lotes de veículos e sucatas
GERAL
Distribuição de kits gratuitos para TV digital começa em Dourados
BR-163
Gol carregado com maconha é apreendido em Dourados
BALANÇO
Número de vítimas em acidentes de trânsito reduz 26% em Dourados
GERAL
Pacientes terão acesso a informações sobre médicos credenciados
EM CAMPO GRANDE
MPE proíbe eventos em local tradicional na Capital
ÁGUA BOA
Homem armado invade casa e leva dinheiro da vítima
DOURADOS
Polícia encontra bilhete com “mula” e fecha entreposto de drogas no Estrela Porã
ASSEMBLEIA LEGISLATIVA
Três Projetos de Lei serão votados durante Ordem do Dia desta terça-feira

Mais Lidas

DOURADOS
Adolescente é encontrado baleado na rua e morre no HV
DOURADOS
Justiça mantém flagrante, mas concede liberdade a suspeita de alterar cena do crime
FÁTIMA DO SUL
Acidente envolvendo três veículos mata motociclista na MS-376
VIOLÊNCIA URBANA
Motorista de Uber é assaltada durante corrida em Dourados