Menu
Busca sábado, 07 de dezembro de 2019
(67) 9860-3221
MONITORAMENTO

Governo adquire 500 novas tornozeleiras eletrônicas a R$ 1,3 milhão

06 novembro 2017 - 16h05Por da Redação

O Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, por meio da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), publicou no Diário Oficial do Estado (DOE), desta segunda-feira (6.11), a contratação inicial de 500 tornozeleiras eletrônicas para monitoramento de presos. Os equipamentos serão fornecidos pela empresa Spacecom, vencedora do processo licitatório.

O contrato prevê a locação de até duas mil tornozeleiras no período de um ano, para detentos dos regimes fechado, aberto, semiaberto, presos oriundos de audiências de custódia e os casos enquadrados na Lei Maria da Penha de todo o Estado, de acordo com as determinações judiciais.

Conforme o convênio firmado, o aluguel de cada tornozeleira custará R$ 230 ao mês, a um custo anual de R$ 1.380.000,00 pelas 500 tornozeleiras já contratadas. O contrato prevê, ainda, que serão pagos os valores correspondentes apenas aos equipamentos utilizados.

A Agepen utiliza o monitoramento eletrônico de investigados ou condenados, em Mato Grosso do Sul, desde março do ano passado. O controle é feito por agentes penitenciários na Unidade Mista de Monitoramento Estadual, também chamada de “Presídio Virtual”, instalada em Campo Grande.

No local, quem utiliza a tornozeleira é monitorado 24 horas por dia e têm os locais e períodos determinados para permanecer. Sinais sonoros são imediatamente emitidos à central caso o monitorado descumpra alguma norma estabelecida e a polícia é avisada. Atualmente, 140 pessoas da comarca de Campo Grande são monitoradas. Com os novos equipamentos, que deverão entrar em funcionamento até o início da próxima semana, o serviço será expandido para o interior.

Para o diretor-presidente da Agepen, Aud de Oliveira Chaves, a tornozeleira eletrônica é uma possibilidade a mais de o Judiciário aplicar penas diversas da prisão e, além de ser mais barato do que manter um preso recluso, o monitoramento ajuda a equacionar a superlotação e fortalece a proteção das mulheres vítimas de violência doméstica e familiar. “Além disso, o uso das tornozeleiras eletrônicas reduz custos, já que custam R$ 230, contra R$ 1,7 mil gastos, em média, com um preso custodiado em algum presídio”, ressalta.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AQUIDAUANA
Mulher acaba ferida após briga entre irmãos
COMER BEM
Restaurante Senhoritta oferece espaço climatizado para confraternizações
LOTERIA
Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 3 milhões
ECONOMIA
Brasil e Paraguai terão livre comércio de automóveis
CAMPO GRANDE
Bêbado, motorista fura sinal e mata motociclista
DOURADOS
Jovem tem moto furtada no Jardim Tropical
DOURADOS
Natal para Todos terá luzes acesas no domingo, com chegada do Papai Noel
GRANDE DOURADOS
Quadrilha especializada em roubo de caminhonetes é desarticulada e seis são presos
Vacinação
Campanha antirrábica tem pontos fixos em Dourados neste sábado
CAMPO GRANDE
Sogro é morto pelo genro na frente da filha, esposa e netos

Mais Lidas

FUTEBOL
Prêmio Brasileirão 2019 reunirá craques na próxima segunda
CAMPO GRANDE
Projeto de ciêcias leva escola a economiza 2 mil litros de água por mês
DOURADOS
Previsão climática aponta possibilidade de chuva a partir de domingo
DOURADOS
Cantata de Natal convida a seguir ensinamentos de Jesus Cristo