Menu
Busca quinta, 24 de maio de 2018
(67) 9860-3221
CAMPANHA FIEMS
DEBATE

Governador reafirma a vereadores necessidade de mudanças no critério de rateio do ICMS

07 dezembro 2017 - 19h20

Ao se reunir com vereadores no auditório da Governadoria nesta quinta-feira (7.12) o governador Reinaldo Azambuja concordou com a necessidade de alterar a lei estadual que definiu os critérios de rateio dos 25% de ICMS destinados aos municípios. E disse que, por ter sido prefeito de Maracaju e saber das dificuldades enfrentadas pelas prefeituras, junto com o atual presidente da Assembleia Legislativa, deputado Júnior Mochi, tentou modificar os critérios de rateio quando era deputado estadual.

Reinaldo Azambuja disse que na época foi proposta a criação de um Fundo para socorrer os municípios quando atingissem um limite previamente definido, a chamada “faixa de corte”. O dinheiro seria usado quando a cidade ficasse abaixo dessa faixa e assim que conseguisse acertas as finanças o recurso deixaria de ser liberado. “Seria um Fundo que daria o equilíbrio principalmente os municípios que tem na sua atividade a pecuária, que são os que sofrem mais”, pontuou.

“Entendo a necessidade de se modificar essa lei que trata do rateio dos 25% de ICMS, mas é preciso a mobilização política de vereadores, prefeitos, Assembleia, e estamos prontos para ajudar, porque esse é um assunto que não envolve partidos, envolve uma causa”, afirmou o governador. Reinaldo Azambuja lembrou que a distribuição dos 75% do bolo do ICMS é definida por lei federal, que é referente ao valor adicionado, ou seja, o movimento econômico do município, e esse critério não há como estados e municípios alterarem por se tratar de regra constitucional.

Segundo o governador, desde que a lei estadual que trata do rateio dos 25% de ICMS dos municípios entrou em vigor, só houve uma mudança, quando ICMS Ecológico passou a ser considerado na distribuição do que foi arrecadado de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços. Reinaldo Azambuja citou que, no seu entendimento, entre os critérios que precisam ser rediscutidos estão a extensão territorial, número de eleitores e receita própria, que compõem a planilha que define o percentual de participação de cada município no bolo do ICMS.

Ao lembrar que a partir do próximo ano, a pedido da Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul (Assomasul), o Governo do Estado vai divulgar mensalmente o valor adicionado de cada município sul-mato-grossense, o governador alertou que prefeitos e vereadores precisam estar atentos quanto a essa questão. Ele citou exemplo da época em que administrava Maracaju. “Tinha uma usina que fabricava açúcar e álcool, e dava saída do álcool e do açúcar, mas não dava a entrada na cana. O que acontecia? O valor adicionado ficava negativo, era um prejuízo enorme para o município. Então a gente precisa olhar as entradas e saídas das empresas, porque se tiver empresa que só informa a saída e não dá a entrada, o valor adicionado vai dar negativo, aí o município perde, e 75% do ICMS é valor adicionado”, comentou.

O presidente da União das Câmaras de Vereadores de Mato Grosso do Sul (UCVMS), Jeovani Vieira dos Santos, vereador de Jateí, disse que a reunião com o governador Reinaldo Azambuja foi solicitada para se discutir alternativas para compensar os municípios, principalmente os pequenos, que enfrentam perdas no rateio dos 25% de ICMS com as atuais regras. No encontro, Reinaldo Azambuja sugeriu que os vereadores elaborem um estudo com essa finalidade, para posteriormente ser discutido com o governo e os deputados, para que Executivo e Legislativo possam auxiliá-los nessa iniciativa.

Ao final da reunião, Reinaldo Azambuja afirmou estar convicto que o Brasil vai retomar o ritmo de crescimento a partir do próximo ano, após vencer a maior crise da histórica republicana. “Se na crise fomos parceiros dos 79 municípios do Estado, com a nossa economia crescendo o Governo do Estado será muito mais parceiro ainda dos nossos municípios”, afirmou.

Também participaram do encontro com os vereadores dos municípios sul-mato-grossense o secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel, e o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Júnior Mochi. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

VANDALISMO
Incêndio afeta pelo menos 10 bairros em Dourados
GERAL
PM de Dourados recebe homenagem da OAB durante 1ª Conferencia da Mulher Advogada
Evento aconteceu em Campo Grande
LIBERTADORES
Com novo técnico, Corinthians busca liderança contra Millonarios
CIDADES
Corumbá e Coxim recebem atendimento com o ‘Cassems Itinerante’ no fim de semana
EDUCAÇÃO
IFMS abre 195 vagas em cursos técnicos de nível médio
Vagas são para Aquidauana, Coxim, Dourados, Jardim e Três Lagoas. Inscrições são gratuitas e começam no próximo dia 30
ARTIGO
A greve dos caminhoneiros e a prática abusiva por parte dos empresários do ramos de combustível
DOURADOS
MP quer Agepen adotando medidas para garantir monitoramento na PED
ELEIÇÕES 2018
TSE define quanto cada partido receberá de fundo eleitoral
GASOLINA A R$ 5
Contra abuso nos preços, força-tarefa autua postos em Dourados
DOURADOS
Pedro Pepa pede apoio a deputado estadual para pavimentação de via

Mais Lidas

TRAGÉDIA
Douradense morre em acidente na MS-270
RODOVIAS BLOQUEADAS
Greve dos caminhoneiros pode paralisar indústria em Dourados
MANIFESTAÇÃO
Caminhoneiros bloqueiam três trechos da BR-163 em Dourados
OPERAÇÃO OIKETIKUS
Gaeco volta às ruas contra "máfia do cigarro"