Menu
Busca terça, 25 de setembro de 2018
(67) 9860-3221
CONTAS

Gestores públicos são capacitados pelo TCE para compras sustentáveis

07 dezembro 2017 - 17h35

A orientação atende aos compromissos da ONU-Organização das Nações Unidas/Meio Ambiente, que por meio da Agenda 2030 estabelece uma série de ações para que a gestão pública, principalmente dos municípios se alinhe a um planejamento capaz de garantir um futuro sustentável à humanidade. Nesse sentido o Tribunal de Contas vem promovendo um papel pedagógico para capacitar os gestores públicos a alinhar os seus planejamentos na direção desse esforço universal. 

Nessa missão o TCE-MS conta com parcerias da Controladoria Regional da União no Estado do Mato Grosso do Sul (CGU/MS) e do SEBRAE/MS que desde a manhã desta quinta-feira (07/12), promove o evento “Capacitação em Compras Públicas Sustentáveis e Rotulagem Ambiental”. 

Com o objetivo de apresentar conceitos sobre as compras públicas sustentáveis e a sua utilização em licitações governamentais, o curso de capacitação, que foi aberto para o número de 40 participantes, em sua maioria gestores públicos representantes de 16 municípios do Estado e equipes de coordenação que atuam em processos de compras, contou ainda com a participação do Auditor Estadual de Controle Externo e Presidente da Comissão Permanente de Licitação do TCE-MS, Hebert Covre Lino Simão. 

Dentro do tema, o Diretor Geral do TCE-MS, Eduardo dos Santos Dionizio, abriu os trabalhos, com a palestra “Compras Públicas e Desenvolvimento Sustentável - A visão do TCE-MS”, e destacou que a iniciativa do Sebrae e da ONU em promover esse debate é de fundamental importância para o desenvolvimento local: “O Tribunal de Contas do Mato Grosso do Sul vem a este evento como parceiro buscando a efetiva implementação da Lei Complementar 123 que é a compra pública junta ao pequeno negócio, e também que essa compra seja feita, de uma forma sustentável para que os produtos e serviços a serem adquiridos provoquem impactos positivos ao meio ambiente”.

Em sua participação, Eduardo Dionizio ainda apontou que não basta o gestor público promover as compras públicas somente com um ato de comprar e vender, mas é necessário que essas compras tenham impacto direto na vida dessas pessoas que vivem essencialmente do município. “Portanto a compra pública sustentável tem por objetivo unir duas frentes que são o desenvolvimento e a qualidade de vida, ou seja, que as pessoas possam viver num ambiente saudável, assegurando um futuro melhor para as gerações futuras”.

Para o diretor de operações do Sebrae-MS, Tito Estanqueiro, acompanhar essa nova dinâmica é uma oportunidade tanto para funcionários da administração pública quanto aos pequenos negócios que procuram acesso como fornecedores. “A ONU busca a disseminação de boas práticas mundiais. Trazer o piloto de compras sustentáveis a Mato Grosso do Sul, com a participação da CGU-MS e do TCE-MS, é uma oportunidade para que estes gestores contribuam, no futuro, com a implementação de políticas que definam um padrão regional de critérios socioambientais na contratação de bens e serviços pela administração pública local”.

De acordo com a gestora de projetos de compras públicas no Sebrae/MS, Cristiane Gomes Nunes, os gestores públicos que participam do evento estão tendo a oportunidade para aprender como trabalhar com requisitos socioambientais em editais públicos para aquisição de produtos e serviços; como aplicar a sustentabilidade nas contratações e logísticas públicas, e implementá-las em licitações sustentáveis. “Os debates visam também sensibilizar os gestores quanto à visão dos órgãos de controle no processo, a importância da participação dos pequenos negócios e a relevância dos rótulos, selos e certificações como meios verificadores de sustentabilidade”.

A programação do curso seguiu com uma apresentação feita pela Auditora Federal de Finanças e Controle e Coordenadora do Núcleo de Ações de Ouvidoria e Prevenção do CGU/MS, Janaína Gonçalves Theodoro de Faria, que destacou sobre a importância das “Compras Públicas Sustentáveis sob o olhar dos órgãos de controle”. 

Logo após o consultor da ONU, Alexandre Eliasquevitch Garrido, abordou sobre as compras públicas sustentáveis, segundo a metodologia traduzida pela ONU para o Brasil em que complementa o conhecimento dos gestores públicos nesta pauta, em consonância com os objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU – ODS, e o ciclo de vida dos produtos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Início do horário de verão é confirmado para o dia 04 de novembro
LEGISLATIVO
Câmara de Dourados aprova Programa de Recuperação Fiscal durante sessão ordinária
CÂNCER
Justiça manda município fornecer medicamento de alto custo
ECONOMIA
Dólar fecha em leve queda de olho em exterior e cenário eleitoral
RECURSO NEGADO
STF manda prender Acir Gurgacz, candidato ao governo de Rondônia
DOURADOS
Palestra alerta sobre casos de depressão entre estudantes universitários
ELEIÇÕES 2018
Eleitor escolherá seis candidatos e deve se atentar a nova ordem de votação
AQUIDAUANA
Pescadores são autuados em R$ 6,7 mil com petrecho proibido, pescado, tarrafas e três veículos
JOGOS ESCOLARES
Delegação do MS embarca para fase regional em SC
CAMPO GRANDE
Companhia diz que aeronave alterou voo para manutenção

Mais Lidas

DOURADOS
Adolescente é encontrado baleado na rua e morre no HV
DOURADOS
Justiça mantém flagrante, mas concede liberdade a suspeita de alterar cena do crime
DOURADOS
Polícia encontra bilhete com “mula” e fecha entreposto de drogas no Estrela Porã
OPERAÇÃO REMAKE
Gaeco cumpre mandados e apura desvio de R$ 670 mil em sindicato