Menu
Busca quinta, 23 de maio de 2019
(67) 9860-3221
RURAL

Fazendeiro que abandonou gado perde licença da Iagro para criar animais

17 maio 2019 - 20h35Por Da redação

Além de ser multado em R$ 135 mil, o produtor rural que abandonou 270 cabeças de gado sem pastagem e sem água em uma fazenda, perdeu todas as licenças para qualquer tipo de atividade animal, que envolve desde criação até transporte, segundo informou a Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal).

Situação foi flagrada pela PMA (Polícia Militar Ambiental) que foi até a fazenda, localizada na cidade de Paranaíba, após receber denúncia de maus-tratos aos animais.

Na propriedade, pastagem estava totalmente degradada, apresentando apenas terra, sem grama, em grande parte, de onde o gado não podia mais retirar alimento. Todos os animais estavam extremamente debilitados, com alguns deitados sem conseguir se levantar, e 17 deles já estavam mortos por desnutrição.

Conforme o Iagro, outros animais morreram após o flagrante, somando 30 cabeças de gado.

O gerente de sanidade animal do Iagro, Rubens de Castro Rondon, afirma que assim que foram acionados pela PMA, equipe autuou o proprietário, que mora em Três Lagoas, e “interditou as fichas”, nome dado a retirada da licença.

Além disso, foi encaminhada denúncia para o Ministério Público, com solicitação para que o órgão entre com pedido de liminar na Justiça para que o pecuarista seja obrigado a fornecer ração aos animais que sobreviveram.

Caso a medida não seja determinada, o que cabe ao Iagro é o sacrifício. Segundo o gerente de sanidade animal, a Agência não tem no plano recursos ou como comprar ração para os animais e, além disso, rebanho não foi vacinado contra a febre aftosa e não é permitido o transporte sem a vacina, ao mesmo tempo que eles muito desnutridos para receberem a dose.

ABANDONO

O proprietário não mora na fazenda e vizinhos informaram que há aproximadamente três meses não aparece ninguém na propriedade, estando a sede abandonada e deteriorada.

Ele foi autuado administrativamente e multado em R$ 135 mil por maus-tratos aos animais e mais R$ 10 mil por degradação das matas ciliares de córrego existente na fazenda. 

Ele também responderá por crime ambiental de maus-tratos a animais, que tem pena prevista de três meses a um ano de detenção e por degradação de área protegida de preservação permanente, com pena prevista  um a três anos de detenção.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SHOWBIZZ
Flávia Monteiro se diverte em praia do Ceará: "minha alma é uma eterna criança"
NOVA ANDRADINA
Menor agride mãe, ateia fogo em móveis, se tranca em cômodo e é salvo pela PM
UEMS
Acadêmicos participam de amistoso de Futebol Suiço na Aldeia Jaguapiru
ITAQUIRAÍ
Casal é investigado por golpes contra idosos que somam mais de R$ 500 mil
NOVO DECRETO
Exército vai definir em 60 dias quais armas cidadãos vão poder comprar
ACIDENTE
Motorista pega no sono e bate caminhão na traseira de outro na BR-163
FUTEBOL
Fifa desiste de fazer Copa do Mundo do Catar com 48 seleções
CRIME AMBIENTAL
Ambiental fecha suinocultura instalada em área protegida de nascentes
JUSTIÇA
Banco é condenado a ressarcir cheque extraviado de R$ 29 mil
UEMS
Estão abertas as inscrições para a VI edição do Enepex

Mais Lidas

POLÍCIA
Após pescaria, marido encontra desconhecido na frente de casa e ameaça mulher com arma em Dourados
PEDRO JUAN
Seis morrem e uma criança fica ferida após ataque de pistoleiros na fronteira
PEDRO JUAN
Três suspeitos de chacina na fronteira são presos pela polícia paraguaia
DOURADOS
Tropa de Choque chega à PED após suspeita de túnel e motim