Menu
Busca sábado, 20 de julho de 2019
(67) 9860-3221
MEIO AMBIENTE

Fazendeiro é autuado por destruir mata ciliar em atividade de piscicultura

18 junho 2015 - 09h23

Policiais Militares Ambientais de Miranda realizavam fiscalização no final da tarde de ontem, em uma chácara, localizada a cerca de 18 km da cidade, quando verificaram a degradação de matas ciliares (Área de Preservação Permanente-APP) de um curso d’água na propriedade.

No local, o proprietário construiu uma casa para instalar um moto-bomba no intuito de puxar água para tanques de piscicultura, derrubando as matas ciliares do córrego.

As atividades foram paralisadas e o infrator foi multado em R$ 5.000,00. O fazendeiro responderá por crime ambiental de degradação de área de preservação permanente. A pena é de um a três anos de detenção.

O autuado foi notificado a apresentar junto ao órgão ambiental Estadual um plano de recuperação da área degradada – PRADE.

Deixe seu Comentário

Leia Também

LOTERIA
Mega-Sena sorteia R$ 22 milhões neste sábado
CLIMA
Sábado começa com mínima de 13ºC e tarde pode ser de calor em Dourados
ROTA BIOCEÂNICA
Licitação para ponte ligando MS ao Paraguai será lançada hoje
DOURADOS
Conselho pede providência após furto de computador dentro de secretaria
FUTEBOL
Clássicos carioca e gaúcho abrem a 11ª rodada do Brasileirão neste sábado
NORONHA
Isis Valverde relembra foto de biquíni em cenário paradisíaco
FATALIDADE
Vítimas de grave acidente em Bataguassu serão veladas neste sábado
JUSTIÇA
Direitos da criança e do índio são preservados em adoções por indígenas
CAPITAL
Polícia pede prisão de comerciante suspeito de matar o próprio tio
LEGISLAÇÃO
Detran esclarece Lei que permite transferência de multas e pontos na CNH

Mais Lidas

DOURADOS
Homem é baleado com quatro tiros no Estrela Verá
DOURADOS
AGORA: Homem é baleado no Estrela Verá
INVESTIGAÇÕES
Preso no RJ, suspeito de planejar morte de “chefão da fronteira” é acusado de lavagem de dinheiro em MS
FRONTEIRA
Pistoleiro preso acusado de matar fazendeiro é membro do Comando Vermelho