Menu
Busca domingo, 09 de agosto de 2020
(67) 99659-5905
AUXÍLIO

Famílias ribeirinhas do Pantanal recebem macacões para proteção do trabalho de pesca

05 setembro 2017 - 19h35

A segurança de ribeirinhos que vivem da coleta de iscas ao longo do Rio Paraguai foi ampliada com mais uma entrega de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). A ação do Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso do Sul (MPT/MS) ocorreu na última semana e beneficiou a comunidade Barra do Rio São Lourenço, localizada a 220 quilômetros do município de Corumbá. Mais de cem pessoas vivem no local.

A iniciativa contemplou a entrega de macacões emborrachados impermeáveis com botas, que contribuem para uma maior proteção dos catadores de iscas, principal atividade geradora de renda da região.

"É um conforto para o Ministério Público do Trabalho reverter recursos, provenientes de acordo com empresas que descumpriram a legislação trabalhista, para condições mínimas de saúde e segurança de pessoas que vivem isoladas e merecem a atenção do poder público", observa a procuradora do Trabalho Rosimara Delmoura Caldeira, coordenadora da expedição.

Durante a visita, muitos moradores relataram situações envolvendo picadas de cobras, ataques de jacarés e doenças decorrentes do serviço submerso. É o caso do irmão de Leonora de Souza, 47 anos. Ela trabalha há 17 anos com a captura de iscas, que acontece geralmente à noite. "Um jacaré atacou meu irmão, que não estava protegido e teve os dedos do pé perfurados. Aqui não temos posto de saúde; então, ser atingido por um animal ou pegar uma micose, uma coceira, é um risco grave para a nossa saúde", conta a moradora, que recebe em média R$ 300 por mês.

Expedição

A Barra do Rio São Lourenço é acessível somente por meio de transporte aquaviário. No total, foram entregues 30 macacões impermeáveis, que se somam a outros mais de 400 destinados em expedições anteriores realizadas pelo MPT/MS nas comunidades do Paraguai-Mirim, São Francisco e Cacimba da Saúde em Corumbá.

As condições de trabalho a que são submetidos os catadores de iscas são precárias. Os coletores normalmente desempenham essa atividade sem nenhum tipo de equipamento de proteção, permanecendo sujeitos a ataque de cobras, jacarés e insetos. Outro grave problema é o alto índice de doenças dermatológicas e, nas mulheres, de doenças ginecológicas, devido ao contato direto e prolongado com a água suja dos banhados e dos corixos.

Conforme reforça o diretor-presidente da Ecoa, André Luiz Siqueira, que mais uma vez participou da ação social, o uso do equipamento é uma forma de minimizar a ocorrência de ferimentos e de doenças. "As mulheres predominam nessa atividade, que é uma das modalidades da pesca, representando em torno de 70% do total de isqueiros. Com os macacões, conseguimos reduzir seguramente em 100% os problemas ginecológicos", destaca André. "A demanda por esse tipo de equipamento ainda é muito grande e, na maioria dos casos, os catadores não têm condições financeiras de adquiri-lo", acrescenta o diretor-presidente.

A Ecoa é uma organização sem fins lucrativos que desenvolve ações de base comunitária no Pantanal e na bacia hidrográfica do Rio da Prata. A parceria com o MPT/MS começou em 1991, quando foram identificados os primeiros grupos de isqueiros na Estrada Parque Pantanal, pertencente ao município de Corumbá. André Siqueira lembra que esses trabalhadores viviam em condições insalubres e às margens de políticas públicas, com taxas elevadas de analfabetismo e de doenças ocupacionais. Desde 2012, a entrega de macacões vem acontecendo anualmente para garantir a saúde e a segurança dos isqueiros.

Condições de trabalho

Além da entrega dos equipamentos de proteção, o MPT/MS visitou escolas municipais da região, com o objetivo de verificar as condições sanitárias e de conforto nos locais de trabalho. A Escola Municipal Rural Polo Barra do São Lourenço, por exemplo, atende a quase 40 crianças e adolescentes da comunidade, sendo que 13 alunos permanecem alojados em razão da distância e do difícil acesso para conseguir estudar. A unidade passa, atualmente, por uma reforma em suas instalações.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CRIME AMBIENTAL
Infratores levam multa de R$ 10 mil por incêndio e transporte de motosserras
REGIÃO
Mulher foragida da Justiça acaba presa em Aparecida do Taboado
ESTADO
No dia em que MS ultrapassa a marca de 500 óbitos, ato de amor aos pais é respeitar isolamento social
LÍBANO
Bolsonaro convida Temer para chefiar missão humanitária
DOURADOS
Vítimas mais recentes da Covid-19, idosos foram notificados há mais de um mês
MOBILIZAÇÃO
Campanha promove paternidade no Brasil e no exterior
REGIÃO
Polícia flagra 245 quilos de maconha transportados em motos estrangeiras
PANDEMIA
Mato Grosso do Sul já soma 101 mortes causadas pelo novo coronavírus somente em agosto
TRÁFICO
Mulher sai de Dourados com filho de quatro anos e é presa com droga presa ao corpo
CAPITAL
Recém-nascido tratado no Hospital Regional vence a Covid-19

Mais Lidas

DOURADOS
Homicídio ocorreu após madrugada de farra e confusões na Jaguapiru
PANDEMIA
Paciente internado em Dourados morre de coronavírus
DOURADOS
Equipe do Samu se desloca para atender vítima de facadas em bairro
PANDEMIA
Cerca de 90% douradenses diagnosticados com Covid estão recuperados