Menu
Busca segunda, 17 de junho de 2019
(67) 9860-3221
LEGISLATIVO

Deputados devem votar cinco projetos nesta terça-feira

21 maio 2019 - 08h47Por Da Redação

Proposta encaminhada pelo Poder Executivo, referente à Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul Sociedade Anônima (Sanesul), deve ser votada, em primeira discussão, na sessão ordinária desta terça-feira (21). O Projeto de Lei (PL) 98/2019, que revoga a Lei 3.378/2007, tramita em regime de urgência. Além dessa matéria, outras quatro estão previstas na Ordem do Dia.

A revogação da Lei 3.378/2007, de acordo com o governo, justifica-se em razão da edição da Lei 13.303/2016, que dispõe sobre o estatuto jurídico da empresa pública, da sociedade de economia mista e de suas subsidiárias, no âmbito da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios.

Conforme o governo, “a Sanesul vem se adequando às novas exigências”. No entanto, continua a justificativa do Executivo, “para finalizar o processo, faz-se necessária a alteração na sua atual estrutura organizacional, com a finalidade de atender à implantação de áreas obrigatórias como de integridade e gestão de riscos, governança, compliance, ouvidoria, comitê estatutário, dentre outras”.

Também está prevista a votação, em discussão única, do Projeto de Decreto Legislativo 05/2019, da Mesa Diretora.  A matéria, com parecer favorável por unanimidade da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR), indica o atual diretor de regulação e fiscalização da área de gás canalizado, da Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Mato Grosso do Sul (Agepan), Valter Almeida da Silva, para  ser reconduzido ao cargo.

Em primeira votação, estão previstos três projetos. Um deles, o PL 015/2019, de autoria do deputado Evander Vendramini (PP), proíbe que instituições financeiras ofereçam ou celebrem contrato de operação de crédito com aposentados e pensionistas, via contato telefônico. A matéria já havia sido e aprovada em primeira discussão, mas o autor apresentou emenda substitutiva integral, que precisou ser também analisada pela CCJR. O projeto volta, agora, para primeira votação.

Outro projeto previsto para ser votado, nesta terça-feira, é o PL 73/2019, de autoria do deputado Pedro Kemp (PT). A matéria acrescenta inciso a artigo da Lei Estadual 3.828/2009, que “disciplina a denominação própria de rodovias, logradouros, prédios públicos e repartições do Estado e dá outras providências”. Esses locais, conforme a proposta, não podem recebem nomes de pessoas que constem no Relatório Final da Comissão Nacional da Verdade (Lei Federal nº 12.528/2011) como responsáveis por violações de direitos humanos.

Os parlamentares devem votar, ainda, o PL 86/2019, que denomina o município de Água Clara como a capital estadual do MDF. O autor, deputado Zé Teixeira (DEM), informa, na justificativa da proposta, que o município tem “a mais moderna indústria de MDF da América Latina”, construída pelo grupo Asperbras, com investimentos de R$ 600 milhões.

Deixe seu Comentário

Leia Também

FAMOSOS
Luísa Sonza se esquiva sobre saúde de Whindersson em encontro com a imprensa
BRASÍLIA
Conselho de Comunicação analisa pacote anticrime e liberdade de imprensa
CULTURA
Festival traz a Bonito espetáculos de dança, Bossa Nova e performances contemporâneas
POLÍCIA
Bolivianos tentam passar pela fronteira com cocaína e acabam presos
INTERNACIONAL
Apagão atinge 47,4 milhões de pessoas na Argentina e no Uruguai
ESPORTE
Com página virada, Seleção Feminina faz primeiro treino em Lille
CAMPO GRANDE
Arrastão e pancadaria em saída de festa termina com 6 adolescentes na delegacia
POLÍTICA
Presidente do BNDES pede demissão após críticas de Bolsonaro
SAÚDE
Em agosto, Governo do Estado e Hospital Regional reativam serviço de cirurgias bariátricas
RODA DE CONVERSA
Encontro reúne pessoas com ideias inovadoras em Dourados

Mais Lidas

POLÍCIA
Casal contratado para levar maconha até Campo Grande é preso em Dourados
FURTO
Jovem é preso enquanto furtava bicicleta dentro de residência em Dourados
ASSALTO
Pastor marido de deputada federal é executado no Rio
POLÍCIA
Após cinco mortes em uma semana, órgãos realizam operação na reserva indígena de Dourados