Menu
Busca segunda, 22 de julho de 2019
(67) 9860-3221
STF

Decisão sobre criminalização da homofobia é comemorada em MS

17 junho 2019 - 12h35Por Da Redação

O subsecretário Estadual de Políticas Públicas LGBT, Frank Rossatte, considera a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) em criminalizar a homofobia como forma de racismo uma vitória de uma luta antiga. A partir de agora casos de agressões contra o público LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, transexuais e travestis)  passam a ser enquadradas como o crime de racismo até que uma norma específica seja aprovada pelo Congresso Nacional.

“Essa decisão é de extrema importância devido a vulnerabilidade que a população LGBT vem passando, nós não queríamos nada a mais, nós queremos direitos iguais para as pessoas, então isso é uma vitória para toda a população LGBT, pois era uma luta da militância, pelas pessoas LGBT em todo o Brasil. Nós esperamos por anos uma posição do Legislativo e como não obtivemos sucesso o nosso Supremo, o Judiciário agiu de forma legitima, de forma humana, em respeitar e entender que ninguém precisa ser ofendido, agredido pela sua questão de identidade de gênero ou orientação sexual”, afirma.

Por sua vez, a secretária Especial de Cidadania do Estado de Mato Grosso do Sul, Luciana Azambuja, concorda com a criminalização da homofobia e transfobia como crimes. “Cometer ou incitar um ato preconceituoso contra homossexuais deve sim ser considerado crime. Respeitar os direitos e a integridade de todas as pessoas é nossa obrigação. Não podemos admitir como normal um ato de discriminação a alguém, por causa de sua orientação sexual”, conclui.

Com a decisão, o Brasil se tornou o 43º país a criminalizar a homofobia, segundo o relatório “Homofobia Patrocinada pelo Estado”, elaborado pela Associação Internacional de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais e Intersexuais (Ilga).

Em geral, praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito em razão da orientação sexual da pessoa poderá ser considerado crime; com pena de um a três anos, além de multa. Se houver divulgação ampla de ato homofóbico em meios de comunicação, como publicação em rede social, a pena será de dois a cinco anos, além de multa.

Pela tese definida no julgamento, a homofobia também poderá ser utilizada como qualificadora de motivo torpe no caso de homicídios dolosos ocorridos contra homossexuais. Religiosos e fiéis não poderão ser punidos por racismo ao externarem suas convicções doutrinárias sobre orientação sexual desde que suas manifestações não configurem discurso discriminatório.

Mato Grosso do Sul foi o primeiro estado do país a ter uma Subsecretaria de Políticas Públicas LGBT, criada no ano de 2017, com o objetivo de executar projetos que ajudem a proteger o público-alvo do preconceito, intolerância e violência, além de desenvolver políticas públicas para a população LGBT. A Subsecretaria é vinculada à Secretaria Especial de Cidadania, e está localizada na Avenida Fernando Correa da Costa, 559, Sobreloja, Campo Grande. O telefone para contato é (67) 3316-9183.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AEROPORTO
Governador da Bahia diz que não irá a evento com Bolsonaro
CORUMBÁ
Homem armado é preso por importunar meninas e agredir mulher
ECONOMIA
Governo estuda liberar neste ano até R$ 500 por conta do FGTS
DESCAMINHO
Polícia apreende mais de 3.400 unidades de bebidas sem documentação
COPA DO BRASIL
Athletico e Internacional fazem último jogo em casa
DOURADOS
Homem sofre tentativa de homicídio ao ser baleado nas costas
POLÍTICA
Governador Azambuja recebe embaixador do Reino da Tailândia no Brasil
ACIDENTE
Após sofrer acidente no Paraguai, jovem morre em hospital na Capital
MEDALHA DE OURO
Judoca de MS conquista ouro no Pan-Americano e garante vaga no Mundial
BRASIL
ANTT suspende resolução com novas regras para cálculo de frete mínimo

Mais Lidas

DOURADOS
Homem morre após bater moto em carro parado na Marcelino Pires
AMAMBAI
Morto a tiros em frente a conveniência era 'braço direito' de Jarvis Pavão
RIBAS DO RIO PARDO
Avô e neta morrem após caminhonete bater de frente em carreta
CAPITAL
Acidente entre dois carros e carreta mata motorista na BR-163