Menu
Busca sábado, 20 de abril de 2019
(67) 9860-3221
MS

Competitividade acelera motor da economia de MS, diz governo

29 maio 2015 - 17h30

Assessoria

A expansão da indústria de celulose em Três Lagoas e instalação de fábricas em Dourados e Maracaju, põem Mato Grosso do Sul na “contramão” da crise, segundo o secretário de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel.

Em entrevista ao Jornal do Rádio da 104 FM e Jornal da TVE, o secretário disse que um dos trunfos do Estado diante do cenário de estagnação econômica é a competitividade. “Essa postura de um Estado mais competitivo, faz com que os poucos investidores no Brasil hoje olhem com atenção para Mato Grosso do Sul”, afirmou Riedel, ressalvando, no entanto, que os investimentos projetados vão acelerar o motor da economia a médio e longo prazos.

“É a perspectiva de médio e longo prazos que temos que olhar. Nós temos os dois maiores investimentos do País anunciados aqui. São praticamente R$ 18 bilhões na duplicação das fábricas de celulose da Eldorado e da Fibria. Temos novos investimentos não anunciados ainda na região de Dourados, que o governador Reinaldo Azambuja no momento apropriado irá divulgar, e outras tratativas no âmbito da Secretaria de Desenvolvimento Econômico. Isso é muito importante para criar no Estado um ambiente favorável ao crescimento das atividades produtivas”.

De acordo com o secretário de Governo e Gestão Estratégica, nesse semestre o Governo está trabalhando no equilíbrio das contas, em razão do aumento dos gastos públicos, por conta de reajustes nos preços de produtos e serviços, como transporte, energia e combustíveis, “que tem impacto na máquina da economia”, pois eleva o custo da produção e as despesas do poder público.

Riedel lembra que além da alta dos preços no início do ano, houve aumento na folha salarial e encargos sociais, enquanto a receita diminuiu. Por isso o governo está criando ambiente para atrair investimentos privados e assim desencadear a geração de empregos e renda e consequente aumento da receita com impostos.

Segundo o secretario de Governo, o aumento de impostos se dá com investimentos na produção e infraestrutura, porque movimenta toda uma cadeia no setor comercial e prestação de serviços. “O governador Reinaldo Azambuja não vai aumentar imposto. A estratégia é manter o ambiente de competitividade e garantir a atração de investimentos privados. O Estado, apesar de ser pequeno, tem todas as condições para que os produtos fabricados aqui chequem aos mercados consumidores de forma rápida e com melhores preços. A competitividade é que embala a economia”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PROCON
CCR-MSVias é notificada por falta de pessoal e troco em pedágio
MEIO AMBIENTE
Campo-grandense é autuado em R$ 3 mil por desmatamento de vegetação nativa
SORTE
Dupla de Páscoa deve pagar prêmio de R$ 25 milhões neste sábado
PONTA PORÃ
Polícia prende homem e apreende drogas e armas em residência
IMUNIZAÇÃO
Nova etapa da Campanha contra a Gripe começa na segunda-feira
CAMPO GRANDE
Quadrilha é presa após invadir garagem e fazer funcionários reféns
UEMS
Curso de Pedagogia realiza encontro brincante no dia 27 de abril
CRIME AMBIENTAL
Fazendeiro é multado por degradação de matas ciliares de córrego
POLÍTICA
Câmara de Ladário conclui processos e chega ao sétimo vereador cassado
CAARAPÓ
PF apreende quase meia tonelada de maconha em tanque de carreta

Mais Lidas

DOURADOS
Guarda faz batida em festa regada a álcool e narguilé e encontra menores bêbados
DOURADOS
Homem é preso tentando se esconder sob balcão de loja em que furtava
CAMPO GRANDE
Mulher é encontrada pendurada em árvore ao lado de carro
MS-338
Motorista freia ao ver anta e tem caminhão atingido por ônibus