Menu
Busca sábado, 26 de setembro de 2020
(67) 99659-5905
MATO GROSSO DO SUL

Cliente que adquiriu veículo sem condições de uso será indenizado

13 novembro 2019 - 11h34Por Da Redação

Sentença proferida pela 3ª Vara Cível de Três Lagoas julgou procedente a ação movida por A.G.G.D. contra uma revendedora de automóveis, condenada ao pagamento de R$ 5 mil de indenização por danos morais e R$ 1.776,00 por danos materiais, em razão da venda de um automóvel ao autor sem condições de uso.

Conta o autor que adquiriu um veículo seminovo da loja requerida no valor de R$ 50 mil, a ser pago mediante entrada e o restante via financiamento bancário em 48 prestações mensais, iguais e sucessivas.

No entanto, para a surpresa do autor, com menos de uma semana de uso, o veículo demonstrou-se imprestável, apresentando problemas mecânicos, de multimídia e elétrico.

Narra ainda o requerente que buscou providências com a revendedora diversas vezes, porém esta esquivou-se de atender adequadamente. Alega também que procurou três oficinas para a constatação dos defeitos apresentados, oportunidade em que foram confirmados problemas com a suspensão dianteira e a necessidade de troca de peças.

Por fim, o autor pediu pela aplicação da inversão do ônus da prova ao presente caso, requerendo a reparação dos danos sofridos no valor de R$ 1.776,00.

Ao analisar os autos, o juiz Anderson Royer observou que o autor comprovou por meio do contrato de financiamento junto com os comprovantes de pagamentos que comprou o veículo da requerida. Além disso, o mesmo juntou os três orçamentos e a garantia do bem oferecida pela própria revendedora, o que colaboram para que o cliente receba a indenização por dano material no valor de R$ 1.776,00.

Desse modo, o juiz concluiu que a importância de R$ 5 mil, a título de indenização por dano moral, não se apresenta excessiva, tampouco irrisória, cumprindo satisfatoriamente a sua dupla finalidade compensatória e inibitória.

“É sabido que não há no ordenamento jurídico parâmetros legais rígidos para o quantum a ser fixado a título de indenização por dano moral, sendo questão subjetiva, que deve apenas obedecer alguns critérios estabelecidos pela doutrina e jurisprudência”, concluiu o magistrado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE & BEM - ESTAR
Pandemia: o que será de nós, depois da máscara?
MARACAJU
Menina procura a avó e diz que foi obrigada a ver filmes pornográficos
CRISE AMBIENTAL
Papa cita na ONU 'perigosa situação da Amazônia e dos indígenas'
TAQUARUSSU
Ambiental autua quatro em R$ 8,4 mil e apreende 139 quilos de pescado
UEMS
Abertas inscrições para seleção de docentes temporários na área de Letras
TRÁFICO
Casal morador em Ponta Porã é preso com maconha em Minas Gerais
SAÚDE
Setembro Verde: Central de Transplantes realiza live no próximo domingo
POLÍCIA
“Ordem do presídio”, diz ladrão de 17 anos que atirou em caminhoneiro
FUTEBOL
STJD indefere pedido e confirma Palmeiras e Flamengo para domingo
MEIO AMBIENTE
Polícia desmonta acampamento, apreende arma e munição e evita caça ilegal

Mais Lidas

POLÍCIA
Caminhoneiro de Dourados morre ao capotar na serra de Maracaju
PANDEMIA
Novo decreto diminui toque de recolher e libera venda de bebidas em bares até as 23h
PROSSEGUIR
Governo atualiza mapa da Covid e Dourados volta para "bandeira vermelha"
PONTA PORÃ
Polícia apreende comboio com contrabando avaliado em R$ 1 milhão